Weverton celebra título e afirma que atual geração entrou para a História do Palmeiras

Weverton defende chute de De Arrascaeta, em jogo do Palmeiras contra o Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário, em Montevideo.
Cesar Greco

Weverton conquista sua segunda Libertadores e ultrapassa seu ídolo Marcos em taças levantadas da maior competição continental

“A América do Sul é mais uma vez nossa”, é o que disse Weverton durante a festa palmeirense no gramado do estádio Centenário após a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, na final da Copa Libertadores 2021.

Um dos principais jogadores do elenco, o arqueiro foi novamente decisivo para o Verdão ao fazer uma grande defesa no final do primeiro tempo em um chute de De Arrascaeta, quando a equipe do Palmeiras vencia os rubro-negros por 1 a 0.

“Foi duro, foi difícil, acho que esta foi nossa quarta final na temporada e a gente não tinha ganhado nenhum campeonato. Mas quero dizer hoje que louve a Deus, todos que estão felizes, porque ele fez coisas grandiosas por nós. É tempo de comemorar, nós batalhamos muito para chegar até aqui”, contou.

Para Weverton, ainda, a conquista de duas Libertadores no período de um ano faz com que os jogadores do atual elenco fiquem marcados de vez na História do Palmeiras.

“A gente lutou, a gente batalhou. Nossa geração entrou de vez para a história desse gigante brasileiro. Dedico esse título à minha família e a todos os palmeirenses que estiveram aqui, que venderam muitas coisas importantes para estar aqui hoje para comprar ingresso, passagem. E também aqueles que ficaram em casa e não puderam vir”, discursou.

Weverton ultrapassa Marcos em número de títulos da Libertadores

No Palmeiras desde 2018, Weverton chega a cinco títulos conquistados no Palmeiras em 205 jogos disputados: um Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil, um Paulistão e duas Libertadores.

Os dois troféus levantados na maior competição do continente fazem com que o camisa 21 ultrapasse São Marcos. O ex-goleiro, que é o principal ídolo do atual arqueiro, foi o principal nome da conquista de 1999 e bateu na trave no ano seguinte.

Em relação às vitórias dentro da competição, recentemente Weverton (29) já havia superado Marcos (27) no triunfo diante do SPFC, nas quartas de final.

Maurício Galiotte se pronuncia contra a falta de critério da arbitragem brasileira

Maurício Galiotte se pronuncia contra a falta de critério da arbitragem brasileira.
Cesar Greco

Pelas redes sociais do Palmeiras, Maurício Galiotte disse que é “lamentável o despreparo”

Jogando com os reservas, o Palmeiras recebeu o Atlético-MG no Allianz Parque e empatou a partida em 2 a 2. Depois do jogo, a delegação palmeirense reclamou muito da falta de critérios da arbitragem brasileira.

Primeiro, em entrevista coletiva, o auxiliar João Martins, que substituiu Abel Ferreira à beira do gramado, criticou a não anulação do segundo gol atleticano, anotado por Hulk. Em seguida, por meio das redes sociais do clube, foi a vez do presidente Maurício Galiotte protestar.

Aos 16 minutos do segundo tempo, quando o placar apontava 2 a 1 para o Verdão, Hulk aproveitou uma bola rebatida e empatou o jogo. Entretanto, para que a bola chegasse até o gol defendido por Jailson, foi preciso que Nacho (impedido no lance) desviasse dela.

No último sábado, contra o Fortaleza, uma jogada muito semelhante ocorreu a favor do Palmeiras e o gol foi anulado. Já diante do Fluminense, o segundo gol de Yago Felipe foi válido mesmo após Cazares, impedido no lance, se abaixar e desviar da bola.

Assim como Maurício Galiotte, o ex-goleiro Marcos também reclamou nas redes sociais

Ativo nas redes sociais, o ex-goleiro São Marcos usou o seu perfil no Instagram para também criticar e ironizar o gol validado de Hulk.

Dudu ultrapassa Marcos e se torna o jogador com mais vitórias pelo Palmeiras no século

Dudu do Palmeiras, disputa bola com Cuesta do Internacional, durante partida válida pela vigésima sétima rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Novamente titular, Dudu não aprovou as críticas da torcida para Luiz Adriano, que saiu vaiado de campo

Dudu alcançou mais um feito com a camisa do Palmeiras na vitória do time por 1 a 0 sobre o Internacional na tarde de ontem, no Allianz Parque: o Baixola ultrapassou o ex-goleiro Marcos e tornou-se o atleta com mais vitórias pelo Verdão no século XXI, com 183 triunfos. Fernando Prass, com 151, completa o top 3.

Em seu perfil oficial no Instagram, o Santo fez uma postagem parabenizando Dudu.

Símbolo de uma fase de reconstrução, o atacante carrega em seu currículo outras marcas expressivas pelo Palmeiras:

  • Jogador do elenco com mais jogos (325), vitórias (183), gols (73) e assistências (80);
  • Jogador com mais jogos (139), mais vitórias (96), mais gols (35) e mais assistências (36) no Allianz Parque;
  • Artilheiro do Palmeiras no século: 73 gols;
  • 2º com mais jogos no século: 325, atrás apenas de Marcos (392);
  • 5º atacante com mais jogos na História: 325;
  • 28º jogador com mais jogos na história do Palmeiras.

Dudu não aprova críticas da torcida a Luiz Adriano

Aos 29 anos, Dudu é o principal ídolo da torcida entre os jogadores do atual elenco e também um dos líderes do grupo. Em entrevista após a vitória em cima do Inter, o camisa 4+3 comentou sobre as vaias recebidas por Luiz Adriano ao ser substituído e não aprovou as críticas da torcida.

“Claro que isso é ruim. A gente sente também, não é só o Luiz Adriano. É o time todo. Quando xinga um, xinga todos”, disse.

Em má fase no Palmeiras, Luiz discutiu com um torcedor no aquecimento para o jogo contra o Red Bull Bragantino, no último dia 9, e foi o único dos titulares diante do Internacional que não teve seu nome gritado pelos torcedores antes da partida.

MEMÓRIA: A ‘quase’ venda de Marcos para o Arsenal em 2003

Por Thell de Castro

Palmeiras2003A situação do Palmeiras era crítica em 2003. O time disputaria a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, tínhamos poucas estrelas no elenco, levamos uma surra do Vitória em casa na Copa do Brasil, entre outros vexames.

Para desespero da torcida palmeirense, no dia 22 de janeiro de 2003, a Folha trouxe na capa do caderno de esportes, em letras garrafais: “Por US$ 4 mi, Palmeiras cede Marcos ao Arsenal”, anunciando a venda do santo ao time inglês. Trechos da matéria:

“O goleiro Marcos embarcou ontem para Londres para acertar sua transferência por 2,5 milhões de libras (US$ 4 milhões) para o Arsenal, time que conta com outro pentacampeão, Gilberto Silva.

 Desde o meio de 2001, Marcos assumiu o gol da seleção sonhando com a ida para o futebol europeu. A negociação, porém, só veio agora, após a desastrosa campanha do Palmeiras no Brasileiro 2002 – acabou rebaixado.

 Essa informação não escapou à imprensa britânica. “Depois da impressionante atuação na Copa do Mundo, Marcos sofreu um retrocesso com o descenso do seu time, o Palmeiras”, descreveu o serviço on-line da rede BBC.

 Oficialmente, o Arsenal não comenta o caso. Por seu lado, o Palmeiras divulgou um comunicado dizendo que o jogador foi liberado para viajar e negociar com “um clube inglês” e “com a condição de retorno para São Paulo até no máximo sexta-feira”.

 Marcos vai ficar dois dias em Londres conversando com os dirigentes do Arsenal para acertar um contrato de quatro anos. Ele quer se apresentar de vez no segundo semestre. Porém o clube, que tem dois goleiros reservas contundidos, quer o jogador lá.

 “Preciso de um tempo para arrumar minhas coisas e me acertar com meus pais e meu filho”, argumenta. Sua mãe, Dona Antônia, já aceita trocar a pacata Oriente (cidade natal de Marcos, a 465 km a noroeste de São Paulo) por Londres. “Vou e depois convenço meu marido a ir também, afinal, Londres não é o fim do mundo”.

 O goleiro de 29 anos quer se despedir do time jogando o Paulista, a Copa do Brasil e o Brasileiro. Depois terá a missão de substituir David Seaman, titular do gol do Arsenal e da seleção inglesa. Mesmo com a pretensão do goleiro de 39 anos de jogar mais uma temporada, todos dão como certa sua aposentadoria no meio do ano.

 Revelado no Palmeiras, Marcos começou como reserva de Velloso e se firmou no time titular no fim de 1998. Seu maior feito foi a conquista da Taça Libertadores 99, defendendo pênaltis, o que lhe valeu o apelido de “São Marcos”.

O jogador tinha contrato até julho de 2004 com o Palmeiras, mas sua transferência deve lhe render US$ 400 mil (10% da transação).

 O temor palmeirense é que Marcos repita agora o que fez no fim de 2002, quando chegou a pedir para não jogar e depois se contundiu – atualmente, está lesionado. A venda de Marcos foi anunciada um dia após a saída oficial do lateral Arce”.

MarcosNa mesma página da matéria, uma curiosidade daquelas que o Palmeiras era campeão em gerar naqueles tempos: o time anunciou a contratação do atacante Carlos Castro, 32 anos, que jogava no Necaxa, do México. “O clube informou que o colombiano foi indicado pelo técnico Jair Picerni”, dizia o texto.

Na Folha do dia seguinte, ao contrário da manchete arrebatadora em letras garrafais, uma pequena nota dizia que existia um impasse na contratação do goleiro.

“Marcos não deve cumprir a promessa de se reapresentar na sexta-feira ao Palmeiras. Segundo seu empresário, Claudio Guadagno, ainda há um impasse para a assinatura. O goleiro visitou instalações do clube e conversou com dirigentes. A imprensa inglesa saudou sua ida. “Seaman treme com Marcos voando para Londres” foi a manchete do diário londrino Guardian.

 No dia 24 de janeiro, nova reportagem do jornal, na capa do caderno de esportes, mas sem o mesmo destaque da manchete principal de dois dias atrás. “Marcos é esperado no Palmeiras, mas não pelo técnico do Arsenal”.

 O goleiro Marcos, titular da seleção na Copa, é esperado hoje no Palmeiras, e não no Arsenal. A negociação do jogador com o clube inglês não foi definida. O técnico do Arsenal, Arséne Wenger, disse em entrevista ao site oficial do time que Marcos é só uma opção e que nada está acertado. (…)

 Quando saiu do Brasil, o ídolo palmeirense planejava defender o time do Parque Antarctica até o meio do ano, juntando-se ao Arsenal apenas em junho. O valor da transação entre os clubes seria, na verdade, um pouco inferior a US$ 4 milhões (US$ 3,8 milhões), mas esse não seria o problema. A questão é que o Arsenal não está certo da aquisição do goleiro do penta – quer um jogador que possa atuar desde já e por muito tempo no clube. (…)

 Marcos, que não joga há quase três meses, já admite se apresentar agora ao clube londrino. (…) Quando Marcos embarcou, a negociação parecia certa. O empresário Cláudio Guadagno, o ex-diretor palmeirense Marcos Bagatella e o executivo Dick Law viajaram com ele para a Inglaterra”.

Folha - Marcos
Reprodução – Folha de S.Paulo

No sábado, dia 25, véspera da estreia do time no Paulistão contra o Mogi Mirim, a Folha destacou na terceira página do caderno de esportes: “Marcos fica no Brasil até o meio do ano”.

“Saí daqui jogador do Palmeiras e voltei jogador do Palmeiras”. Marcos está de volta mesmo ao time do Parque Antarctica. O goleiro se apresentou ontem ao clube após a sua viagem de negócios à Inglaterra, onde planejava acertar contrato com o Arsenal, treinou com os seus companheiros em uma tarde chuvosa e disse em uma coletiva que fica pelo menos até o meio do ano no Palmeiras.

 “Acho que todo jogador de linha pensa em se destacar e ir para a Europa. Goleiro quase não tem mercado lá. Então nem pensava em me transferir. Fui pego de surpresa com tudo isso. Tenho muita coisa para resolver aqui e não teria como ir agora”, disse, Marcos, sobre a negociação frustrada.

Estadão - Marcos
Reprodução – O Estado de S.Paulo

Após essa reportagem, o burburinho diminuiu e foi sumindo da mídia. No dia 1º de fevereiro, uma pequena nota no jornal disse que Marcos ainda estaria negociando com o time inglês, que havia contratado o goleiro francês Warmuz.

Para sorte do torcedor palmeirense, Marcos ficou. Foi um dos líderes do time na Série B, ganhou o Paulista de 2008 e passou por tudo que aconteceu nesses anos sem arranhar sua imagem de ídolo.

Teve problemas, lesões, ficou fora de muitos jogos, vimos ainda Sérgio, Diego Cavalieri, Bruno e Deola jogarem em seu lugar, mas continuou no elenco, se salvando em meio a vários jogadores que, nitidamente, não tinham comprometimento com o clube, até se despedir dos gramados, em dezembro de 2012.

Enfim, enorme azar do Arsenal e grande sorte nossa que você ficou. Obrigado, São Marcos, por tudo o que fez por nós.

Marcos


Thell de Castro é palmeirense, jornalista e editor do site TV História