1
X
3

O Palmeiras foi derrotado pelo Flamengo no Allianz Parque, numa tarde bastante apática de todos os jogadores, mesmo depois de sair na frente com um gol aos 14 minutos de partida.

O resultado, além de complicar bastante a situação do time no campeonato, pode influenciar o moral de todo o grupo para os confrontos  da Libertadores, que serão nas duas próximas semanas. Alerta geral ligado.

Primeiro tempo

5'
Palmeiras

Aberto pela direita, Wesley fez jogada individual e bateu rasteiro de canhota, mas Diego Alves pegou sem dificuldades.

7'
Flamengo

Danilo teve uma pane mental e recuou no fogo para Weverton, que disputou com Pedro e rebateu para o meio da área; De Arrascaeta cutucou para Pedro, que estava muito impedido.

9'
Palmeiras

Depois de um bom ataque pela direita que ninguém aproveitou por dentro, o Palmeiras insistiu e a bola voltou da esquerda para a direita, e Wesley mais uma vez tentou a finalização – Wesley mandou a bola cruzada, por baixo, mas ela saiu à direita do gol.

11'

Em disputa de bola com De Arrascaeta, Danilo torceu o joelho e sentiu muitas dores, mas seguiu o jogo.

Piquerez estava apoiando mais pela esquerda; Marcos Rocha estava mais fixo. Wesley balançava pelos dois lados e Dudu bastante ativo por dentro, encostado em Veiga.

14'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Weverton lançou rápido com a mão; Dudu recebeu na altura do meio do campo pela esquerda, conduziu e tocou para Wesley, que passou por Isla, passou por De Arrascaeta e bateu cruzado, no canto esquerdo de Diego Alves.

16'
Flamengo

Gol do Flamengo – Logo no primeiro lance após o gol, o Flamengo desceu pela direita; Éverton Ribeiro teve espaço e cruzou no segundo pau; Michael, nas costas de Marcos Rocha, testou firme no canto esquerdo de Weverton.

30'
Palmeiras

Dudu abriu para Piquerez dentro da área; o uruguaio ajeitou de cabeça para a chegada de Zé Rafael, que emendou de canhota, mas a bola subiu demais.

40'
Flamengo

Vitinho recebeu na meia direita e bateu colocado buscando o canto direito de Weverton, que se atirou na bola – ela triscou o pé da trave e saiu pela linha de fundo.

45'
Palmeiras

Depois de jogada de Rony dentro da área, Piquerez recebeu bola rolada na meia-lua e emendou de direita, mas pegou muito por baixo na bola.

48'

Wilton Sampaio encerrou o primeiro tempo após 3 minutos de acréscimo.


Segundo tempo

Gustavo Scarpa entrou no lugar de Raphael Veiga.

1'
Palmeiras

Gustavo Scarpa ganhou disputa de bola no meio e a bola ficou com Rony, que devolveu para Scarpa que inverteu para Piquerez já dentro da área; o uruguaio bateu de primeira, cruzado, e Diego Alves fez boa defesa.

2'
Palmeiras

Gustavo Scarpa bateu falta da meia direita – ela tinha o endereço, mas bateu em Gustavo Henrique na barreira.

5'
Palmeiras

Danilo se projetou na direita e recebeu bom passe de Dudu, o camisa 28 fintou para dentro e bateu de canhota, com curva – a bola saiu à direita do gol.

11'
Flamengo

Gol do Flamengo – Vitinho bateu escanteio da direita; Pedro subiu no meio de três marcadores e conseguiu a testada no ângulo direito de Weverton.

14'
Flamengo

Michael partiu em disparada pela esquerda pressionado por Luan; ele conseguiu o corte e bateu rasteiro, fraco, fácil para Weverton.

15'

Patrick de Paula, Luiz Adriano e Breno Lopes entraram nos lugares de Danilo, Rony e Wesley.

27'

Willian entrou no lugar de Piquerez.

36'
Flamengo

Gol do Flamengo – Exposto, o Palmeiras deixou o contra-ataque à disposição do Flamengo. Vitinho abriu para a velocidade de Michael, que ficou no mano a mano com Marcos Rocha, levou vantagem com facilidade e fuzilou Weverton.

41'
Palmeiras

Gustavo Scarpa bateu falta do bico da área; Diego Alves defendeu fácil.

45'
Palmeiras

Dudu bateu escanteio da direita; Gustavo Gómez subiu de cabeça mas testou nas mãos de Diego Alves – o juiz deu falta do paraguaio sobre Gustavo Henrique.

50'

Zé Rafael entrou forte em Willian Arão e foi expulso.

53'

Fim de jogo no Allianz Parque.



Ficha Técnica

Flamengo

Diego Alves
Isla
Rodinei
Gustavo Henrique
Bruno Viana
Ramon
Willian Arão
Andreas Pereira
João Gomes
De Arrascaeta
Vitinho
Éverton Ribeiro
Thiago Maia
Pedro
Matheuzinho
Michael
Renato Portaluppi
TÉCNICO


Fim de jogo

O plano de jogo parecia promissor. O Palmeiras tinha largura nos dois corredores, com Wesley e Piquerez. A movimentação do camisa 11 confundia a marcação do Flamengo e foi exatamente assim que o Palmeiras pulou na frente, logo aos 14 minutos.

Mas um buraco na cobertura do lateral esquerdo deu a liberdade que Éverton Ribeiro não podia ter. O cruzamento – na verdade, um passe – foi perfeito e Michael veio da beirada para testar, sozinho. Marcos Rocha, que fez um jogo muito ruim, nessa não tinha o que fazer – mas um gol de cabeça de um jogador de 1,66m precisa de um culpado na área, segundo o imaginário da torcida. O camisa 2 vai pagar pelo que fez e pelo que não fez.

Pior do que o buraco, mais uma vez deixado por Danilo – sentindo o joelho ou simplesmente mal colocado – foi a reação do time ao gol de empate. De forma imatura, o Palmeiras não conseguiu lidar com a frustração de perder a vantagem, sonhada por duas semanas. Nem parecia um time tão acostumado a vitórias, decisões e títulos.

Mesmo superior em toda a parte final do primeiro tempo, o time parecia amarrado, lento, disperso. O bom plano de jogo não resistiu à apatia.

Do outro lado, tínhamos um adversário que jogou o jogo. Desfalcado, o Flamengo fez de suas adversidades, sua força – assim como na partida do ano passado, quando, mesmo acometido por um surto de Covid e com um time recheado de juniores, arrancou um empate.

Além de Michael, que viria a ser o destaque do jogo fazendo mais um gol no segundo tempo, a dupla de zaga esteve impecável. Todas as bolas que o Palmeiras alçou à área, por cima ou por baixo, foram rechaçadas pela dupla reserva do adversário. Sem erro, sem vacilo, sem apatia. Exatamente o oposto do que fizeram nossos jogadores.

Para piorar, no segundo tempo, Abel mexeu muito mal, a começar pela troca de Veiga por Gustavo Scarpa. O camisa 14 tinha como função atacar o lado direito da defesa do Flamengo, mas se movimentou por todos os setores, como é de sua natureza. Não casou com o jogo de Dudu, como acontecia com Veiga.

O segundo gol do adversário foi bizarro. Pedro é um jogador muito talentoso, mas é inconcebível que ele consiga ganhar de cabeça no meio de três dos nossos. E acertou o ângulo de Weverton apenas escorando a bola, nem precisou dar potência à testada.

Luiz Adriano voltou totalmente sem ritmo e não fez uma jogada aproveitável. Breno Lopes não justificou em nenhum momento a saída de Wesley, inexplicável. O time parou de vez, as substituições após o gol foram inúteis. A posterior entrada de Willian foi um sopro de desespero.

O terceiro gol, resultado de um contragolpe, com o adversário cheio de defensores, foi o golpe mais cruel. Com apenas um atacante em campo, o Flamengo conseguiu ampliar o placar usando a arma que o Palmeiras mais gosta de usar. E isso foi possível graças à inspiração de Michael sobre um letárgico Marcos Rocha.

Faltou também inspiração a Abel, que pensou o jogo muito mal, apesar da estratégia inicial ter sido correta. Mas cabe a reflexão: sem um definidor nato de qualidade, contra uma zaga numa tarde tão feliz, algo teria funcionado? Não teria sido isso a principal causa da apatia generalizada de um time que percebeu, em campo, que não conseguiria colocar a bola para dentro, qualquer que fosse a escolha tática?

Enquanto esperamos pelo titular da lateral esquerda ficar pronto, todas as opções da lateral direita já não satisfazem e o comando do ataque segue inoperante, já quase em outubro. A defesa do Palmeiras toma gols de todos os jeitos, mesmo com o melhor zagueiro do continente. E há quem diga que a diretoria está fazendo um bom trabalho.

A reação está nas mãos de Abel. O time estava voando; de repente, emperrou. Algumas mudanças foram feitas desde então, visando o confronto contra o SPFC – que, especificamente, funcionaram. Talvez seja hora de recompor a formação que enfileirou 9 vitórias seguidas para salvar a temporada. VAMOS!





  • Na boa, reformulação pra ontem ….deixamos de nos reforçar com jogadores que estavam se oferecendo para nós. Marcos Rocha nao dá mais!

  • Acho muito claro, Palmeiras hj é 3ª força brasileira. Time não investiu como os adversários e paga o preço por isso. Cada vez fica mais claro que ganhar algum título dessa temporada tende a ser muito mais sorte/superação do que por bola, uma pena.
    Agora é virar a página e ver se consegue fazer uma boa partida contra.

  • Palmeiras não se reforçou pra essa temporada, alguns jogadores simplesmente não dá mais como Luiz Adriano, Luan ,Marcos Rocha, precisamos de um camisa 9 e um lateral direito urgente, precisamos acima de tudo de uma reformulação já ! Esse campeonato brasileiro ficou muito difícil e a Libertadores eu acho bem complicada , se o Palmeiras for campeão da Libertadores eliminando Atlético e ganhando do Fla na final seria uma Libertadores heróica

    • é essa sensação que tenho também. Parece o final da parceria com a parmalat que ficaram alguns bons jogadores e que o palmeiras passou a contratar Boiadeiro, Enilton, Cristian mendigo…Com o “maior patrocínio do Brasil” não dá para perder Hulck e Diego Costa e reintegrar Deyverson para “reforçar” o ataque. Se é para ficar usando so joias da base não precisa de patrocinadora.

  • Os últimos títulos foram maravilhosos. Mas o que passou de pereba por esse elenco de 2016 para cá é uma enormidade. Jogador de vulto mesmo que exigiu bala na agulha foi o tal de Ricardo Goulart. Todo grande jogador que mostraria que a diretoria poderia trazer para fazer diferença acabaram indo reforçar os mais fortes rivais. na realidade continuamos num bom e quase caro que deu certo. O time precisa deais talento para decidir jogos, não só Weverton….. De preferência no ataque. Abel não foi contratado para fazer o time jogar bonito novamente, resgatar o futebol acadêmico? Vemos apenas um futebol pragmático.

  • Juro pra vocês…só espero que depois desse jogo o Abel enxergue que o Marcos Rocha não pode ser o lateral do Palmeiras…só isso.

    • Qual a razão para o Abel insistir com o M Rocha e deixar o G Menino no banco? Qual a razão para ele insistir com o Zé Rafael e deixar o PO no banco?

  • É inacreditável como esse time ainda apesar de tudo ocupa a segunda posição na tabela, Palmeiras hoje joga um futebol pra ocupar quinto ou sexto lugar, essa segunda colocação é mentirosa e mascara muita coisa.

  • Flamerda foi superior, hoje Palmeiras é a terceira força no Brasil, se não acabar perdendo para nossos rivais endividados
    Esse ano o objetivo é classificar para libertadores

  • Primeiro o ÓBVIO.

    Não sou a favor da demissão do técnico, pra mim tem q continuar.

    MAS, tomar no cu a saída do Wesley!!!! Porra, melhor em campo, BL vai entrar o resto da vida porque fez o gol na Libertadores????

    Ahhh, fico puto!!!!!

  • Time do Palmeiras irreconhecível, as expressões dos jogadores antes de iniciar a partida parece que já sabem que vão perder desse time da gávea, diretoria pensando em finanças, controlar os gastos, está aí o resultado, 2 semanas para treinar, organizar e surpreender o rival remendado, sem vários titulares, que conseguiu se impor dentro da nossa casa, controlar o jogo e as principais jogadas, perder gols e ver um Palmeiras, manjado e sem um 9 referência, triste esperar tanto tempo para ver o time jogar e mostrar alguma variação e ver ser engolido pelo adversário que só não goleou por vacilos próprios…
    Triste fim de tarde…