Dudu evolui fisicamente e seu protagonismo fica mais evidente

Matheus Fernandes e Dudu em disputa durante treino na Academia de Futebol
Cesar Greco

Antes, atuando mais pelas beiradas, Dudu é visto como “assistente” por Abel e vem sendo um dos criadores de jogadas

Mesmo ainda não tendo atingido a melhor condição física, nos últimos jogos, Dudu tem apresentado o futebol que o torcedor palmeirense se acostumou a ver desde sua chegada, em 2015. Melhor jogador do Palmeiras na ‘Era Allianz Parque’, o camisa 4+3 foi um dos grandes destaques na classificação sobre o SPFC na Copa Libertadores.

O jogo de ida contra o rival, que ocorreu 41 dias depois de sua representação na Academia de Futebol, foi o primeiro que o ‘Baixola’ participou durante os 90 minutos desde a sua saída para o Al Duhail, do Catar.

Seu desempenho impressionou até mesmo o treinador Abel Ferreira, que após o jogo afirmou em entrevista coletiva: “O Dudu está cada vez mais adaptado às nossas exigências coletivas. A capacidade física dele foi a que mais me impressionou. Mostrou o quanto ele pode nos ajudar, com ou sem a bola”.

Se no primeiro duelo frente ao SPFC Dudu ‘impressionou’, o segundo jogo – uma semana depois – confirmou sua ascendência como um dos protagonistas do Verdão. Ele foi o responsável por anotar o segundo gol da noite, que trouxe tranquilidade ao time; além disso, obteve bons índices de ataque – 91% na precisão dos passes e ganhou 10 disputas. Após essas duas partidas, tornou-se titular da equipe e repetiu a boa atuação contra Cuiabá e Athlético-PR.

Em 2021, Dudu participou de dez jogos pelo Palmeiras, sendo metade como titular, e foi às redes adversárias uma vez. No histórico geral, o meia-atacante contabiliza 315 partidas pelo Verdão, com 71 gols marcados e 78 assistências.

Abel enxerga Dudu como um “assistente”

Com 1,66m e muita velocidade, desde o início da sua carreira, Dudu foi visto como o típico jogador de beirada. Seu primeiro técnico no clube foi Oswaldo de Oliveira, que sempre o escalou desta forma.

Sua movimentação em campo começou a mudar com o técnico seguinte, Marcelo Oliveira. O treinador, campeão da Copa do Brasil de 2015 com o Verdão, tinha como uma de suas ‘marcas registradas’ a troca de posição de Dudu com Robinho – eles se alternavam entre a faixa lateral e a central.

Deste campeonato em diante, Dudu foi ano após ano se transformando em um jogador que, apesar de uma predominância por atuar pelos lados, ocupa também toda a faixa do campo de ataque, como é possível observar nos mapas de calor abaixo:

Mapa de calor do Dudu em 2017
Mapa de calor do Dudu em 2017 – SofaScore
Mapa de calor do Dudu em 2018
Mapa de calor do Dudu em 2018 – SofaScore

Sendo agora comandado por Abel Ferreira, Dudu é visto pelo treinador com um jogador “assistente” e seu ‘oponente’ na briga pela posição é Gustavo Scarpa, que vinha atuando mais centralizado.

Na derrota do Verdão para o Fortaleza, no último dia 7, Abel foi questionado sobre os dois e declarou que, apesar de terem algumas características diferentes, “os dois possuem uma similaridade em campo, são dois assistentes, que resolvem jogos através de seus passes”.

Nas dez partidas que fez até aqui nesta segunda passagem, o ídolo palmeirense criou quatro grandes chances para os companheiros e deu outros 15 passes para finalizações.

Mapa de calor do Dudu em 2021
Mapa de calor do Dudu em 2021 – SofaScore