0
X
2

Palmeiras 0x2 CuiabáCesar Greco

O Palmeiras foi derrotado esta manhã pelo Cuiabá no Allianz Parque, depois de tomar um gol no primeiro minuto do jogo e martelar contra o gol adversário sem sucesso durante toda a partida.

A derrota deixa o time em situação difícil no Brasileirão, podendo ver o Atlético abrir oito pontos de distância ao final da rodada. Mas nossa secada pela televisão ainda vale, já que nossos atacantes não fizeram a parte deles.

Primeiro tempo

1'
Cuiabá

Gol do Cuiabá – A bola foi esticada na direita para Lucas Ramon e passou por Renan; o cruzamento veio por baixo, Zé Rafael errou no corte e Clayson  aparou na meia-lua para bater forte no canto direito de Weverton.

16'
Palmeiras

Wesley foi ao fundo e cruzou por baixo; Danilo chutou forte e a bola explodiu em Marllon.

19'
Palmeiras

Dudu arrancou por dentro e foi derrubado por Pepê na meia-lua. Raphael Veiga bateu por baixo e ela bateu na barreira.

21'
Palmeiras

Raphael Veiga abriu para Wesley, que cruzou  por baixo para Zé Rafael, que escorou para o gol. A bola entrou por centímetros; o lance foi checado pelo VAR que apurou o impedimento de Wesley.

40'
Palmeiras

Após escanteio curto da direita, Raphael Veiga recebeu na meia, puxou para dentro e disparou de canhota; a bola saiu pelo alto, perto da forquilha direita de Walter.


Segundo tempo

O Palmeiras mexeu quatro vezes: entraram Piquerez, Gustavo Scarpa, Gabriel Menino e Deyverson; saíram Renan, Wesley, Marcos Rocha e Rony.

4'
Palmeiras

Na roubada de bola de Dudu, Veiga conduziu, abriu para Gustavo Scarpa que cruzou por baixo; Deyverson se esticou mas por pouco não alcançou a bola – seria gol certo.

8'
Palmeiras

Gabriel Menino cruzou da direita; Deyverson testou entre os dois zagueiros e Walter defendeu no reflexo.

8'
Palmeiras

O Verdão insistiu pela direita; Menino mais uma vez cruzou; a bola passou por Veiga e Deyverson; Dudu ajeitou e Danilo teve a chance de fuzilar, mas tocou colocado, para fora.

10'
Palmeiras

Gustavo Scarpa recebeu de Raphael Veiga e cruzou; Deyverson cabeceou por cima, sozinho – mas errou o alvo. O camisa 19 estava impedido no lance.

16'

Willian entrou no lugar de Zé Rafael.

16'
Palmeiras

Piquerez cruzou no segundo pau; Willian testou para dentro e Deyverson complementou da pequena área, em cima de Walter.

17'
Cuiabá

Camilo foi lançado em velocidade na direita; o cruzamento por baixo achou Rafael Gava, que finalizou da risca da grande área; Weverton espalmou a escanteio.

19'
Palmeiras

Dudu cruzou da esquerda para a infiltração surpresa de Gustavo Gómez, que testou por cima do travessão.

25'
Cuiabá

Rafael Gava recebeu dentro da área e tocou na esquerda para Clayson, que finalizou para boa defesa de Weverton; no rebote, Luan aliviou.

26'
Palmeiras

Scarpa recebeu de Danilo e bateu por baixo; a bola desviou em Paulão e quase sobrou para Veiga na pequena área, mas Walter foi mais rápido e abafou a bola.

32'
Palmeiras

Willian recebeu de Menino e cruzou na pequena área; Deyverson testou em cima de Walter, que deu rebote; Dudu testou de novo em cima de Walter, que mais uma vez não conseguiu agarrar, mas a defesa afastou na sequência.

34'
Cuiabá

Com espaço, Clayson recebeu na esquerda, fez a jogada individual e tentoi

36'
Palmeiras

No ataque pela direita, Menino triangulou com Dudu e Scarpa, recebeu no fundo e cruzou por baixo, para a chegada de Veiga, que bateu forte, mas Paulão barrou o chute.

39'
Cuiabá

Osman saiu livre na frente de Weverton, cara a cara; nosso goleiro fez uma defesa extraordinária; o bandeira deu impedimento mas aparentemente havia condição legal.

41'
Palmeiras

Aberto pela direita, Dudu cruzou no primeiro pau; Deyverson atacou a bola e tentou testar cruzado, mas a bola saiu por pouco.

43'
Palmeiras

Scarpa enfiou para Dudu na área; ele girou rápido e bateu rasteiro; Walter pegou firme.

44'
Cuiabá

Mais uma vez aproveitando o vazio, o Cuiabá chegou com Uillian Correia

44'
Palmeiras

Scarpa bateu da entrada da área; Anderson Conceição se atirou na bola que ia no canto esquerdo e desviou a escanteio.

45'
Palmeiras

No escanteio da direita, Gustavo Gómez testou cruzado; a bola passou na frente do gol e Dudu não conseguiu escorar.

48'
Cuiabá

Gol do Cuiabá – Uillian Correia desta vez aproveitou o contra-ataque e bateu de dentro da área no canto direito de Weverton.

52'

Após arbitragem correta, Anderson Daronco encerrou o jogo.



Ficha Técnica

Cuiabá

Walter
Lucas Ramon
Marllon
Paulão
Uendel
Auremir
Rafael Gava
Uillian Correia
Yesus Cabrera
Camilo
Pepê
Yuri
Clayson
Jenison
Osman
Jorginho Amorim
TÉCNICO


Fim de jogo

Foi uma partida muito infeliz de quase todo o time. Desde os erros na primeira jogada da partida, em que Renan e Zé Rafael tiveram a chance de cortar o ataque, até as seguidas finalizações deficientes de dentro da pequena área, nosso time cometeu muitos erros que ajudam a explicar o péssimo resultado.

No primeiro tempo, armado para jogar o jogo, o Palmeiras teve problemas com a enorme retranca montada pelo Cuiabá depois de ter feito o gol. Os espaços que fariam Dudu posicionado por dentro render não existiram. Rony também precisa de espaço, mas na função em que foi escalado, nem assim renderia.

Mesmo assim o Palmeiras finalizou 14 vezes no primeiro tempo – metade delas em chutes bloqueados pela defesa, nem chegaram ao gol de Walter. Houve volume de jogo, houve criação, mas não houve boas condições de arremate.

As mexidas do intervalo não foram exatamente as melhores. Tirar Rony, ok; colocar Deyverson, nem tanto. É verdade que o camisa 19 até conseguiu vários arremates, mas todos na direção do goleiro adversário.

Wesley também era uma boa opção para quebrar a primeira linha do Cuiabá e podia ter sido mantido. Scarpa poderia ter entrado no lugar de Danilo. Zé Rafael estava rendendo bem. As escolhas foram equivocadas. Embora o time até tenha aumentado o número de finalizações, continuou não funcionando.

A decisão de partir com tudo pra cima no meio do segundo tempo foi um risco necessário, e por mais de uma vez o visitante armou contra-ataques perigosos. O segundo gol até que demorou a sair. Mas não mais que o nosso primeiro, que não saiu até agora.

Não podemos falar em injustiça, a não ser se constatarmos que o gol anulado de Zé Rafael, checado pelo VAR, foi frisado num quadro antes da bola ser lançada. A sensação de gol legal foi clara com a imagem em andamento.

Mas o Cuiabá colocou duas bolas no gol, de forma incontestável, enquanto nosso time falhou miseravelmente nas 32 vezes que arrematou contra Walter. Não dá pra reclamar.

Mais uma vez o sentimento é de frustração. As escolhas erradas da comissão técnica brigam neste momento com as da diretoria, que abriu mão de jogadores como Artur Cabral e mais recentemente Borja. Os lamentos são válidos e haverá bastante tempo para isso, já que o time só volta a campo no sábado.

Só nos resta digerir este resultado o mais rápido possível. Mas não será fácil. VAMOS PALMEIRAS!





  • Coisas misteriosas que só acontecem no Palmeiras…
    O Arthur Cabral é artilheiro do time dele na Suiça; faz gol de tudo quanto é jeito.
    O Borja apesar de caneludo, também faz gols por onde passa. E parecia estar motivado e feliz em receber uma nova chance.

    Mas a nossa diretoria prefere mandar os dois embora e dar mais uma chance pro atacante que não faz gols. Engraçado também como o próprio Felipão quando esteve por aqui; só queria saber do Deyverson e preteriu o Arthur e o Borja.
    Mas agora que está no Grêmio ligou pessoalmente convidando o Borja pra ir lá jogar com ele. Por que será que não ligou pro Deyverson?

    Isso sem falar no nosso melhor atacante (tecnicamente), Luiz Adriano; que simplesmente parece ter perdido o tesão em jogar por aqui. Deveria ter liberado ele pro Grêmio quando eles pediram na primeira vez então.

    E é mais triste ainda lembrar que Hulk e Diego Costa imploraram pra vestir nossa camisa. Mas nossa diretoria quis economizar; pois já estava encaminhado o retorno do grande Deyverson pra suprir essa carência no elenco!

    • Tava indo bem, mas no final derrapou um pouco meu caro.
      Você só pode dizer que “Luiz Adriano perdeu o tesão” se tiver a maquininha de ler mentes do Galvão.
      Quanto a Hulk e Diego Costa, nossa torcida precisa aprender a parar de cair em armadilhas da imprensa e dos empresários. Ninguém implora pra jogar num time por causa da cor da camisa. É sempre a grana que fala mais alto.

  • Problema nosso é a falta de um matador, essa posição estamos totalmente carentes. Se tivesse um bom CA hj teríamos ganho com certeza. O duro é que isso não deve ser resolvido de imediato e essa carência deve fazer muita falta no confronto da Liberta e pro restante do BR. O mais racional seria recuperar o Luiz Adriano que já está lá, pois contratar é muito improvável.

  • A gente não é o city nem o Bayern. O que aconteceu não deveria surpreender tanto e o melhor que se pode fazer é sacar lições, porque foi parecido com o CRB, mas não é em dois jogos que se resolve esse tipo de problema, vai acontecer mais algumas vezes.
    Enquanto isso, secar o Atlético e seguir no páreo.
    Avanti palestra!

  • Eu simplesmente não entendo a lógica de liberar Borja e efetivar Deyverson. Novo “olhos de margarida”? Agora, para aplacar a raiva desta derrota, pensei o seguinte: se tivéssemos perdido contra o SP e vencido hoje, aí sim eu estaria triste. O principal que era “matar os bambis” em casa fizemos. Vem coisa maior para nós. tenho fé no time e nop Abel.

  • Típica derrota difícil de engolir. Estes pontos perdidos no Allianz farão falta. Alguém, como eu, acha que o Borja deveria ter tido mais uma chance?

  • A temporada 2020 foi verde e branca, mas 2021 está prenunciando um enorme branco … tem algo errado no foco do trabalho, e até agora eu não entendi porque o Borja não ficou, e o Lucas Lima, Luis Adriano e Deiverson ainda estão por aí – se fosse equilíbrio de receitas e despesas, os três mencionados equilibrariam em muito o custo de mantermos o Borja no elenco, jogando, ou se imagina ser possível trazer um 9 superior a ele? Estão trabalhando para perder em 2021

  • Esse Cuiabá tbm nunca mais joga assim na vida, é muito comum esses times pequenos jogarem a vida contra o Palmeiras, times de meio da tabela ou lá embaixo chegar na nossa casa e jogar muita bola, se jogassem assim todos os jogos não estariam nessa situação, pode pá que o próximo jogo o Cuiabá vai perder.

  • Não dá pra culpar a comissão técnica quando o time perde por falhas individuais ( Deyverssan). A intenção era por um avante alto pra forçar a bola aérea, que de fato aconteceu mas de nada valeu por falta de capacidade técnica.
    Essa nota 5 não é do Castanheira e sim do Galiote.

  • O time entrou com pouco atenção, claro, contra o Cuiabá…..síndrome do a gente ganha qdo quer. Toma um a zero cedo, exige um grau de atenção que o conjunto não consegue buscar….o resto e feijão com arroz….time pequeno com 200 fechando quinze metros de campo……referência na área deveria ter entrado com cinco minutos…..não mandou para a rede mas funcionou. Castigo para a equipe, que levem qquer jogo com seriedade, sem escolher dia para isso.

  • na minha visão, o Danilo errou no primeiro gol: não acompanhou o ORCIM-do-Cuiabá e ainda ficou assistindo à finalização.

    sobre o Deyverson: chover no molhado. Ele é esforçado, parace ser ótima pessoa, se dedica intensamente.

    Mas, um centro avante que, num mesmo jogo, recebe 5 a 6 assistências na risca da pequena área e consegue desperdiçar todas, ora por acertar as mãos do goleiro, ora por atrasar fração do segundo, ora por errar grosseiramente o alvo, demonstra sua inconfiabilidade.

    ir pra semifinal da Libertadores contanto com ele como uma das opções reais de finalizador é assumir um risco altíssimo de eliminação.

    Ainda dá tempo de corrigir isso.
    que nosso comando se mexa.

  • Impressionante como consegue analisar tão bem o jogo após uma derrota deprimente. Só não concordo com a questão do Wesley, pra mim errou tudo.

  • Existe um padrão miserável nestas derrotas. É um roteiro manjado. A gente espera 90 minutos de um bom jogo para nós e, de repente, o jogo não dura nem cinco minutos. Hoje, nem isso. Foi um jogo com um minuto de duração.

    Começa com o adversário inferior fazendo gol sem nenhum esforço e nada mais acontece. Fim de jogo.

    É preciso entender como funciona esse abatimento fatal no emocional dos jogadores e bolar uma reação assertiva. Não se pode confundir objetividade com afobação.

    Mas ainda pode vir algo de positivo desse jogo: talvez alguém convença o Danilo a tirar o aplique.