Abel cita dificuldades físicas e volta a criticar calendário do futebol brasileiro: “É desumano”

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Bahia, durante partida válida pela vigésima sexta rodada do Brasileirão 2021, na arena Fonte Nova.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva, Abel também comentou sobre sua relação com o grupo e elogiou o atacante Rony

O Palmeiras visitou o Bahia na noite desta terça-feira, em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saiu da partida com o resultado de empate em 0 a 0. Com isso, a equipe chegou aos 40 pontos e, no momento, ocupa a quarta colocação na tabela de classificação.

Depois do jogo, em entrevista coletiva, o técnico Abel Ferreira voltou a criticar o calendário do futebol brasileiro e lamentou mais duas possíveis lesões (Kuscevic saiu sentindo dores na coxa e Gabriel Menino torceu o tornozelo direito).

“Foi um jogo difícil para nós. A primeira parte foi equilibrada e nós tivemos a melhor oportunidade. Claro que não sofrer gols é um ponto positivo e que traz confiança para a equipe. Nós estávamos procurando isso. Quando estamos com o elenco todo completo, somos uma equipe fortíssima e competitiva. Hoje os jogadores se ajudaram muito, mesmo eles não tendo muito entrosamento. É insano a quantidade de jogos, mais duas lesões aconteceram hoje”, disse.

“Não chegamos à final da Libertadores pela segunda vez consecutiva por um acaso. É porque temos qualidade. Infelizmente estamos passando por um período em que não estamos confiantes e temos que assumir. Nem temos todos disponíveis e por isso vamos dar oportunidades para os outros jogarem, entrosarem e darem o melhor”, acrescentou.

Depois de um primeiro tempo em que a equipe finalizou 8 vezes contra o gol do Bahia e obteve 53% de posse da bola, o Palmeiras caiu de rendimento na segunda etapa e foi salvo pelo goleiro Jailson, que fez cinco defesas. Questionado sobre as dificuldades encontradas pelo Verdão no segundo tempo, Abel apontou a parte física como fator desequilibrante.

“Capacidade física [o motivo de o Palmeiras ter caído de produção no segundo tempo]. Muitos ali não vêm com um grande ritmo de jogo. O Jorge, por exemplo, fez seu primeiro jogo inteiro. Não tivemos o melhor entrosamento, mas os rapazes tentaram, se esforçaram. Dois fatores desequilibraram no segundo tempo: é desumano o que fazem com os jogadores aqui [no Brasil], perdemos mais dois por lesão. E também a expulsão do Wesley”, explicou.

Abel fala sobre relação com os atletas e elogia Rony

Devido ao mau momento em que o Palmeiras se encontra na temporada (há cinco jogos não vence no Brasileirão) muito é falado sobre o relacionamento do treinador com os seus jogadores. Diante disso, o comandante fez questão de afirmar que “não há nenhum problema”.

“Nós mantemos a confiança. Os jogadores sabem que eu confio neles e eles em mim. Quando eles cumprem o plano e a gente não ganha, eu venho aqui e sempre assumo a responsabilidade. Quando isso não acontece, todos dão ‘a cara’. Eles sabem como eu sou, não estou aqui há três meses e, portanto, não há problema nenhum”, declarou.

Para finalizar, Abel Ferreira destacou o esforço de Rony, que após o time perder Gabriel Menino por lesão e ficar com um a menos (Wesley foi expulso), atuou como lateral-direito.

Rony em jogo do Palmeiras contra o Bahia, durante partida válida pela vigésima sexta rodada do Brasileirão 2021, na arena Fonte Nova.
Cesar Greco

“É realçar o espírito de luta com as lesões que estamos tendo. Mayke, Marcos Rocha e agora o Menino fora, o Rony acabou sacrificado para ajudar a equipe e ele merece o mérito pelo esforço. Não é a mesma coisa, mas ele deu o melhor e é isso que eu peço. Ele está de parabéns. Qualquer treinador do mundo gostaria de ter um atleta como o Rony porque ele entrega tudo que tem”, elogiou.

A delegação palmeirense retorna na madrugada desta quarta-feira a São Paulo e dorme na Academia de Futebol. Amanhã, às 10h, está marcado o primeiro treino visando o confronto contra o Internacional, que acontecerá no próximo domingo, às 16h, no Allianz Parque.