0
X
3

O esquema com a defesa “móvel”, com uma linha de 4 sem a bola, liberando o lateral esquerdo para o apoio na transição ofensiva e liberando o ponta-esquerda para flutuar foi usado mais uma vez, e funcionou.

Desta vez, Viña subiu pelo corredor, permitindo a Wesley, no primeiro tempo; e Giovani, no segundo, a se movimentarem com alguma liberdade, confundindo a defesa da Ponte Preta.

O time ainda contou com uma tarde inspirada de Gustavo Scarpa, que abriu o caminho e depois deu mais dois gols aos companheiros com jogadas de incrível precisão.

No início do jogo, fazendo a pressão alta e não deixando a Ponte respirar, o Palmeiras foi melhor. Quando precisou dar um refresco para administrar o esforço físico, teve problemas, com a Ponte mais uma vez ganhando o meio do campo. Zé Rafael permaneceu muito adiantado, deixando Danilo sobrecarregado. Isso já havia acontecido de forma similar no jogo contra o Santos.

Curiosamente, foi nesta fase do jogo que o Palmeiras abriu 2 a 0, contando com a inspiração de Scarpa. E qualquer plano de reação do time da casa desmoronou com o gol a 48 segundos do segundo tempo.

A partir daí, o jogo perdeu o interesse e os dois times apenas cumpriram o tempo de jogo regulamentar.

O Novorizontino, mostrou por que é apenas Novorizontino e pipocou. O Palmeiras passou os doze jogos da fase de classificação administrando o elenco, que chega na fase decisiva com minutagem bem menor que a de todos os adversários, que também estão em ritmo de maratona. Parece que o jogo virou.

Seguimos, um jogo por vez. Um empate no Equador já nos garantirá a vaga. Na madrugada de quarta-feira, voltaremos a pensar no Estadual e pensaremos com que time jogaremos – a tendência clara é repetir a base dos times que jogaram contra o Santos e contra a Ponte.

Mas quem está preocupado com isso agora? Cabeça no Del Valle e VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Escalação

Ponte Preta

Ygor Vinhas
Apodi
Jean Carlos
Rayan
Ruan Renato
Felipe Albuquerque
Marcos Junior
Dawhan
Vini Locatelli
Barreto
Niltinho
Camilo
Renatinho
Moisés
Bruno Michel
Paulo Sérgio
Fábio Moreno
TÉCNICO


Primeiro tempo

5'
Palmeiras

Willian foi lançado no comando, percebeu a passagem de Wesley e tocou; o camisa 11 tentou bater mas foi travado por Felipe Albuquerque.

18'
Ponte Preta

Depois de troca de passes, Paulo Sérgio bateu no meio do gol de médi distância, mas Jailson pegou firme.

22'
Palmeiras

Zé Rafael recebeu de costas, girou e arriscou, mas pegou muito embaixo da bola.

25'
Ponte Preta

Niltinho cruzou da direita, no primeiro pau; Apodi tirou a casquinha e Paulo Sérgio chegou livre no segundo pau, dentro da pequena área, e escorou para defesa gigantesca de Jailson. Não valeria, porque Paulo Sérgio estava impedido no toque de Apodi, mas a defesa foi miraculosa.

28'
Ponte Preta

Camilo bateu falta da esquerda, com muito efeito, e achou Ruan Renato no segundo pau – a cabeçada veio por baixo e obrigou Jailson a fazer mais uma boa defesa, sem rebote.

35'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Vanderlan ganhou por cima após estouro do goleiro da Ponte; Zé Rafael disputou e ganhou de Camilo e a bola sobrou para Gustavo Scarpa, que ficou limpo com ela e arriscou de fora, sendo muito feliz e mandando no canto esquerdo alto de Ygor Vinhas, que ainda tocou na bola mas não conseguiu a defesa.

39'
Ponte Preta

Moisés passou por três e bateu forte; Jailson espalmou a escanteio, com dificuldade.

40'
Ponte Preta

Na segunda cobrança, Dawhan escorou e Mayke salvou em cima da risca.

43'
Ponte Preta

Paulo Sérgio fez um excelente toque para Niltinho, por cima de Vanderlan; o ponteiro já se preparava para fuzilar Jailson quando Vanderlan, em excelente recuperação, fez um toque por baixo e salvou o Verdão.

47'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Gustavo Scarpa fez uma jogada espetacular na ponta direita, achou o espaço e cruzou na medida, na risca da pequena área, para Willian testar para o fundo das redes de Ygor Vinhas.

48'

Flávio Rodrigues de Souza encerrou o primeiro tempo.


Segundo tempo

1'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Danilo roubou no meio-campo e tocou para Willian, que abriu rápido para Gustavo Scarpa; o cruzamento no segundo pau achou Wesley, que escorou para o gol – Ygor Vinhas ainda tentou defender com as pernas mas não conseguiu.

9'
Palmeiras

Felipe Albuquerque teve uma pane mental e deu a bola de presente para Wesley, livre na frente de Ygor Vinhas – a opção foi por tentar encobrir o goleiro, mas pegou muito mal na bola e mandou na lua.

11'
Palmeiras

Giovani recebeu de Zé Rafael dentro da área, girou e chutou no canto direito; Ygor Vinhas pegou firme.

17'

Lucas Lima e Pedro Bicalho entraram nos lugares de Wesley e Gustavo Scarpa.

22'
Ponte Preta

Barreto abriu na direita para Niltinho, que bateu do bico da área, cruzado – a bola saiu com curva, ao lado da trave direita de Jailson.

29'

Fabinho e Esteves entraram nos lugares de Zé Rafael e Giovani.

32'

Garcia entrou no lugar de Mayke.

39'
Ponte Preta

Niltinho abriu para Jean Carlos na esquerda; o cruzamento veio por baixo e a bola chegou em Paulo Sérgio, que teve todo o canto direito à disposição, da marca do pênalti, mas errou o alvo.

48'

Com poucos acréscimos, o árbitro encerrou o jogo.



Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
Fez boas defesas e ainda operou um milagre num lance em que a jogada já estava parada.
8
Mayke
Depois de uma sequência negativa, respondeu na bola, fazendo sua melhor partida no ano. Muito seguro no posicionamento, nos duelos, na saída e até arriscando o apoio.
8.5
Gustavo Garcia
Entrou na fase desinteressante do jogo.
6
Michel
Estreia tranquila, sem sustos, ótimo impulso inicial.
6.5
Vanderlan
Impediu o empate por 1 a 1 no fim do primeiro tempo - minutos depois, o Palmeiras faria o segundo gol. Jogada de recuperação essencial para o resultado.
7.5
Viña
Segue retomando o ritmo natural, fazendo mais uma boa partida. A liberdade para apoiar lhe é essencial.
7.5
Danilo
Como sempre, jogando muito bem, mas segue com a tendência crônica a dar passes arriscados e a permitir ao adversário criar contra-ataques mortais.
8
Zé Rafael
Jogando na experiência, poderia ajudar mais a proteger a zaga quando o time abre mão da pressão alta.
6.5
Fabinho
Fez por 20 minutos o que Zé Rafael poderia ter feito nos 20 minutos finais do primeiro tempo.
6.5
Gustavo Scarpa
Mais um jogador que cresce com liberdade de movimentação. A perna esquerda segue muito calibrada, com cruzamentos e gols. Desequilibrou.
9
Pedro Bicalho
Ganhou rodagem.
6
Giovani
Teve problemas pela direita, engessado. Quando trocou com Wesley, indo pra esquerda, a dinâmica de entrar em diagonal funcionou bem e ele se destacou.
7
Esteves
Pouco tempo em campo.
6
Willian
Na experiência, voltando a resolver jogos, segue sendo muito útil ao elenco.
7
Wesley
Voltou a marcar, mas saltou aos olhos a chance perdida no presente recebido de Felipe Albuquerque. Não se perde um gol daquele jeito. Apesar disso, não jogou mal.
7
Lucas Lima
Voltando de lesão, deu aquela desenferrujada. Tem o álibi da falta de ritmo.
6.5
Abel Ferreira
Abel Ferreira
No limite, conseguiu classificar o time e curiosamente chega à fase final com os jogadores mais inteiros que os dos adversários. Só precisa verificar essa fase em que o time deixa de pressionar alto, quando acaba exposto e perdendo o meio do campo.
7.5




  • A coisa mais interessante nesse campeonato é a possibilidade de rebaixamento do timeco da baixada.

    Queria ver onde a torcida deles vai enfiar a faixa “em segundo algumas vezes, na segunda jamais”.

    Internacional e Cruzeiro já pagaram caro pela soberba, que esta seja a vez do gambá que fede a peixe.