2
X
1

Pré-Jogo

Em meio a toda a agitação em torno da Copa do Brasil, o Verdão tenta focar no Brasileirão, abrindo a 27ª rodada recebendo o Coritiba no Allianz Parque. A partida inicia uma série de seis jogos contra equipes da parte de baixo da tabela e a expectativa da torcida é a de nada menos que seis vitórias.

Mesmo sabendo que é difícil emplacar uma sequência dessas, a comissão técnica e o time tentam direcionar o foco apenas no adversário deste sábado, que tenta fugir da zona do rebaixamento e trava suas lutas particulares com uma grave crise administrativa.

DESFALQUES:
Lesionados: Fernando Prass e João Pedro
Poupados: Edu Dracena e Cleiton Xavier
Suspenso: Gabriel
Não relacionados: Vinicius, Roger Carvalho e Rodrigo

RELACIONADOS:
Goleiros: Jailson e Vagner
Laterais: Egídio, Fabiano, Jean e Zé Roberto
Zagueiros: Mina, Thiago Martins e Vitor Hugo
Volantes: Arouca*, Matheus Sales*, Moisés, Thiago Santos e Tchê Tchê
Meias: Allione, Fabrício e Vitinho
Atacantes: Alecsandro, Dudu*, Erik, Gabriel Jesus, Leandro Pereira, Barrios, Roger Guedes e Rafael Marques*
* pendurado

Cleiton Xavier e Edu Dracena, com dores musculares, foram poupados. Gabriel está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Nenhum dos três deveria ser titular, de qualquer forma; Cuca terá a disposição o time que tende a considerar titular para jogos com esse perfil – a dúvida é se Zé Roberto, que voltou a entrar em oscilação, segue como titular depois do jogo na Paraíba ou se Egídio assume a vaga, como já aconteceu no Derby. O time: Jailson; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Tchê Tchê e Moisés; Roger Guedes, Dudu e Erik; Gabriel Jesus.

O Coritiba deu vexame no meio da semana, ao perder para o Belgrano, em casa, pela Sul-Americana; o elenco tem mais este problema para superar, além dos importantes desfalques: Paulo César Carpegiani não poderá contar com Leandro Calopsita, suspenso, e com o pessoal que está no DM – Luccas Claro, Raphael Veiga, Amaral, Judas e Neto Berola. Só nessa brincadeira, os três Lei do EX que poderiam nos castigar já foram pro espaço.

Com tantos problemas, Carpegiani está cheio de dúvidas. O time que deve ir a campo é Wilson; Dodô (Walisson Maia), Nery, Juninho e Carlinhos (Juan); João Paulo, Alan Santos, González (Ícaro) e Yan; Kazim e Evandro (Iago).

RETROSPECTO

São 56 jogos entre Palmeiras e Coxa na História. A vantagem do Verdão é de 21 vitórias contra 18; houve também 17 empates; marcamos 81 gols e sofremos 71.

Em jogos pelo campeonato brasileiro, há equilíbrio: foram 40 jogos, com 14 vitórias do Palmeiras, 12 empates e 14 vitórias do Coritiba; 45 gols do Palmeiras e 40 dos paranaenses;
Como mandante, foram 27 jogos, e o Verdão venceu 15, empatou 6 e perdeu outras 6; marcamos o dobro de gols: 52 a 26;
Em nosso estádio, foram 13 jogos: ganhamos 7, empatamos 4 e fomos derrotados apenas duas vezes; marcamos 24 gols e sofremos 11;
Apita o jogo Caio Max Augusto Vieira – pela primeira vez em sua carreira, terá a responsabilidade de conduzir um jogo do Palmeiras.
PARPITE

– AAAAIN, O PALMEIRAS ADORA PERDER PONTOS PARA ESSES TIMES!!!

Pare de falar bobagem. Todo mundo perde pontos, para times da ponta de cima e da ponta de baixo da tabela. Essa impressão se deve, claro, ao fato de que sempre damos muito mais importância aos nossos problemas do que aos dos outros.

– AAAAIN, MAS O PALMEIRAS PERDE MAIS QUE OS OUTROS!!!

Procure estatísticas que comprovem isso antes de falar groselha na internet.

Com o Allianz Parque mais uma vez parcialmente interditado, o segundo de cinco jogos da punição, o público deve novamente orbitar em torno de 32 mil pagantes – um pouco menos, porque desta vez haverá a separação para a torcida visitante: 31.654 pessoas verão o Palmeiras vencer o Coxa por 2 a 0, com dois gols de Gabriel Jesus, e dá-lhe secação no domingo. VAMOS PALMEIRAS!

Pós-Jogo

Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação

O Verdão venceu o Coritiba em casa na abertura da 27ª rodada do Brasileirão e mais uma vez jogou toda a responsabilidade para os principais perseguidores. Diante de mais de 30 mil pessoas no Allianz Parque, o time soube superar um primeiro tempo ruim e chegou aos gols no segundo tempo, com grande partida de Dudu. O time agora se prepara para enfrentar o Grêmio pela Copa do Brasil, quarta-feira, em Porto Alegre, antes de voltar o foco no Brasileirão – o time pega o Santa Cruz, na segunda-feira, no Arruda.

PRIMEIRO TEMPO

Cuca veio com a formação tradicional no ataque, com Gabriel Jesus enfiado, Dudu armando e Roger Guedes e Erik abertos. O Coritiba congestionou bastante a intermediária e não permitiu que o Palmeiras trocasse os passes necessários para furar sua defesa. Isso se deu, em parte, pelo mau desempenho técnico de Roger Guedes e sobretudo de Erik. Mas mesmo assim o Palmeiras chegava perto, a defesa do Coxa nos parava com faltas ou mandando a bola para fora, o que sempre gerava uma jogada pelo alto.

E foi assim que o Palmeiras criou suas chances no primeiro tempo. Jean e Egídio bateram de fora, mal, bolas rebatidas após cruzamentos. Moisés também conseguiu uma finalização de longe após bom passe de Dudu.

Gabriel Jesus tinha dificuldades em achar seu espaço e a defesa paranaense levava vantagem, conseguindo deixa-lo em impedimento em várias jogadas. Enquanto isso, o péssimo juiz Caio Max Augusto Vieira amarrava o jogo de forma irritante, marcando todas as possíveis faltas para o Coritiba, e deixando seguir os lances duros em cima dos jogadores do Verdão.

Somente aos 46 nosso ataque funcionou: depois de lindo passe de Moisés, Gabriel Jesus saiu na cara de Wilson, mas com pouco ângulo; a finalização veio por baixo, e facilitou para o goleiro do Coxa. É o tipo de bola que tem que enfiar uma bica por baixo da bola e estufar a rede de cima do gol. Fim de um mau primeiro tempo do Verdão.

SEGUNDO TEMPO

Para o segundo tempo, Cuca mandou a campo Leandro Pereira no lugar de Erik, e o time ficou melhor posicionado com Gabriel Jesus jogando de frente para o gol e Leandro segurando os zagueiros. Logo a dois minutos, Moisés bateu lateral da direita; Mina desviou; Dudu resvalou de cabeça no meio e a bola sobrou pelo alto para Gabriel Jesus, que testou firme, tirando de Wilson, mas a bola explodiu no travessão.

Aos cinco, a pressão deu resultado: Dudu bateu falta na entrada da área; a zaga espanou de cabeça e a bola foi em direção ao goleiro; Leandro Pereira disputou por cima, de forma absolutamente legal, e ganhou o lance do preguiçoso goleiro Wilson, e assim testou para o gol. O goleiro apostou demais que o juiz marcaria a falta só dele tocar em Leandro e cair no chão. Merecido gol do camisa 30, que comemorou muito e calou a todos os seus críticos.

O estádio se incendiou e a pressão do Verdão aumentou. O Coritiba só conseguia parar nossas jogadas na base das faltas, e aos 11 o Palmeiras fez o segundo numa belíssima jogada ensaiada: quando todos esperavam mais uma bola aérea, Dudu rolou para Egídio, que tocou por baixo para Moisés na entrada da área, e o camisa 28 deu um belo toque de primeira para a infiltração de Roger Guedes na linha de fundo; ele deu um tapa rasteiro para o meio onde havia quatro jogadores do Palmeiras para concluir; Mina estava no lugar certo e fez mais um gol com a camisa do Verdão, DE PERNA ESQUERDA.

O Palmeiras continuou em cima do Coritiba e parecia estar mais próximo do terceiro do que o Coxa de diminuir. Mas aos 22, Juan tabelou com Felipe Amorim, se infiltrou na área mas Vitor Hugo chegou chutando tudo; a bola subiu e caiu na rede, por trás do travessão.

Cuca então tirou Roger Guedes para colocar Thiago Santos e abafar as investidas do Coxa. E o Palmeiras continuava em cima: aos 25, Tchê Tchê percebeu Gabriel Jesus livre no lado esquerdo e meteu um balão na área; o camisa 33 conseguiu um lindo desvio de cabeça e a bola entraria no cantinho se Wilson, finalmente, não tivesse feito uma grande defesa.

Aos 30, Felipe Amorim, com surpreendente liberdade, lançou para a corrida de Evandro; Vitor Hugo chegou na cobertura enquanto Jailson já saía para abafar; a bola sobrou para Yago, fora da área, e ele conseguiu um bom toque pelo alto para tirar de Jailson e diminuir o placar.

O Palmeiras não se abalou com o gol e continuou mandando no jogo, sem correr riscos. Aos 35, a jogada mais bela da partida: Dudu driblou nada menos que CINCO jogadores do Coritiba e abriu na esquerda para Gabriel Jesus, que cortou o zagueiro para o meio e bateu cruzado, mas a bola saiu a um palmo da trave esquerda de Wilson. Seria um gol de placa. Um minuto depois, Moisés entrou driblando e tocou para Tchê Tchê, que emendou de canhota, mas errou o alvo. Foi o último lance de perigo do jogo. O Coritiba tentou se aproximar da área do Palmeiras nos últimos dez minutos, mas não tinha capacidade para criar qualquer chance de gol.

Apesar do mau primeiro tempo, foi uma partida de ampla superioridade do Palmeiras. O time não correu risco algum, apesar do placar apertado, e assim venceu mais uma etapa do campeonato. A vitória deixa o Verdão a quatro pontos do vice-líder, que entrará em campo mais uma vez pressionado – qualquer resultado que não seja a vitória dará ao Palmeiras uma rodada de margem para tropeço.

O que dá muita satisfação é ver o time focado, jogando sério, ganhando dos grandes e dos pequenos, em casa e fora, disputando cada jogo como se deve para marcar três pontos. Fazendo assim, não tem juiz, tribunal ou imprensa que nos derrube. Faltam onze jogos. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

30.962

R$ 2.202.282,76

Caio Max Augusto Vieira

Coritiba

GOL
Wilson
LAD
Wallison Maia
ZAG
Nery Bareiro
ZAG
Juninho
LAE
Juan
VOL
Edinho
VOL
Alan Santos
VOL
João Paulo
MEI
Yan
MEI
Felipe Amorim
MEI
González
ATA
Evandro
ATA
Kazim
ATA
Yago
TÉCNICO
Paulo César Carpegiani

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
0
Jean
0
Vitor Hugo
0
Mina
0
Egídio
0
Moisés
0
Tchê Tchê
0
Dudu
0
Rafael Marques
0
Erik
0
Leandro Pereira
0
Roger Guedes
0
Thiago Santos
0
Gabriel Jesus
0
Cuca
Cuca
s/n