Aos 33 anos, Marcos Rocha almeja mais títulos e recordes pelo Palmeiras

Marcos Rocha em jogo do Palmeiras contra o Santo André, durante partida válida pela oitava rodada do Paulistão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Recopa Sul-Americana será a décima final de Marcos Rocha com a camisa do Palmeiras

Um dos jogadores mais vitoriosos da História do Palmeiras e do futebol brasileiro, o lateral-direito Marcos Rocha disputará sua décima final com o Verdão a partir desta quarta-feira, quando a equipe enfrentará o Athletico-PR, no jogo de ida da Recopa Sul-Americana.

“Fico bastante feliz em ter mais uma oportunidade de disputar um troféu com o Palmeiras, isso engrandece ainda mais o trabalho que é feito por todos aqui e faz com que o nosso nome fique marcado na História do clube. Temos a oportunidade de vencer uma Recopa pelo Palmeiras, um título que o clube ainda não tem. Será um confronto difícil, nosso adversário tem uma estrutura muito boa também, mas estamos nos preparando bem e queremos presentear nosso torcedor”, disse o jogador à TV Palmeiras/FAM.

Iniciando sua quinta temporada como atleta palmeirense, o jogador de 33 anos acumula números expressivos no clube e quer seguir fazendo história. Entre os atletas do atual elenco, ele é o terceiro com mais jogos, 186 – esse número o deixa prestes a entrar no top 10 entre os laterais que mais vezes atuaram pelo Palmeiras. Marcos Rocha está a uma partida de se igualar a Roberto carlos, o décimo da lista.

Já em relação a títulos, o camisa 2 está a uma conquista de se igualar a ninguém menos que Djalma Santos (com 6), lateral que mais levantou troféus pelo Verdão. Até o momento, Rocha ganhou cinco e está empatado com os lendários Eurico, Zeca, Junior, Roberto Carlos e Ferrari, além de Mayke e Cláudio.

“Isso é sinal que meu trabalho é sempre bem feito. Nem tudo é o que falam; às vezes eu não apareço pra mídia, pra torcida, mas faço o meu trabalho que é importante para o clube, para o time. Procuro fazer o que o treinador me pede”, declarou.

“Vim para o Palmeiras em 2018 e quando cheguei aqui o meu pensamento foi em jogar o maior número de partidas possível. No primeiro momento, queria chegar a 100 jogos, agora quero chegar aos 200; falta pouco e o objetivo é continuar nesse ritmo. É importante para a carreira do jogador ter uma identidade. Tive isso no Atlético-MG e hoje tenho 186 partidas pelo Palmeiras. Sei que posso alcançar algo mais. Continuo buscando essas metas individuais para, quando parar, falar que fiz o meu melhor e que valeu a pena”, complementou.

Líder do Palmeiras em desarmes certos nos últimos dois anos, o defensor tem uma média de 45 partidas por ano desde sua chegada ao clube.

Experiente, Marcos Rocha aconselha os mais novos

A trajetória de Marcos Rocha dentro do Palmeiras e no Brasil faz com que hoje em dia ele seja um dos jogadores mais ouvidos pelos jovens. Desde o início de 2020, o clube alterou sua filosofia de contratação e passou a apostar nas Crias da Academia. Somando as duas temporadas anteriores, um total de 29 atletas pratas-da-casa foram a campo.

“Quando comecei minha carreira eu tive pessoas importantes que me ensinaram e me aconselharam. Eu fui guardando tudo com o tempo e acho importante fazer esse papel com os jovens hoje em dia. Nós perdemos muito tempo discutindo com os juízes, perdendo o foco e isso pode prejudicar a equipe. Sempre quando estou dentro de campo eu procuro aconselhar eles sobre isso – manter a calma, passar esse meu lado mais consciente”, concluiu.

O contrato de Marcos Rocha com o Palmeiras vai até o final de 2022.

  • Tem seus problemas com o posicionamento na bola aérea, porém é muito regular, além do que é um “chama-título”. No Brasil é um dos melhores na posicao.