Após vitória, Abel Ferreira explica formação e mantém os ‘pés no chão’ ao falar em título Brasileiro

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Grêmio, durante partida válida pela vigésima nona rodada do Brasileirão 2021, na Arena do Grêmio.
Cesar Greco

Na entrevista coletiva, Abel Ferreira aproveitou para elogiar Weverton e defender partida de Rony

De virada, o Palmeiras bateu o Grêmio por 3 a 1 (dois gols de Raphael Veiga e um de Breno Lopes), em Porto Alegre, e chegou à quarta vitória consecutiva.

Para esse duelo, o técnico Abel Ferreira optou por voltar a escalar a equipe com Gustavo Scarpa e Raphael Veiga no meio-campo, ao lado de Dudu. Luiz Adriano, que vinha sendo titular, foi o escolhido para ficar no banco de reservas.

Em entrevista após o triunfo, o treinador foi questionado sobre essa opção e explicou:

“Quando penso na formação do time, penso nas características dos jogadores. Não faço magia. Hoje optamos pelo Scarpa jogando como um ponta, mas fechando por dentro para liberar o corredor. Hoje é fácil falar porque ganhamos, porém há jogos que fazemos as coisas bem e não vencemos”, disse.

E prosseguiu sobre a forma da equipe atacar: “Há quatro formas de fazer o gol: qualidade individual, jogo coletivo com o ataque posicional, bola parada e no contra-ataque. As melhores equipes do mundo fazem isso. Gosto de olhar de forma equilibrada, observando a equipe que enfrentaremos. Fomos consistentes e aproveitamos o jogo interior. Para que isso fosse possível, precisávamos que os jogadores dos corredores corressem para frente”.

Com a vitória, o Palmeiras diminuiu para sete pontos a diferença para o Atlético-MG, líder do Campeonato. Entretanto, o Galo ainda tem um jogo a menos.

Apesar de a vantagem ter caído, Abel Ferreira ainda não pensa no título Brasileiro e mantém o foco no “jogo a jogo”.

“[Vamos] manter a mesma linha. Um jogo de cada vez. Montamos um bom plano de jogos e os jogadores cumpriram muito bem, tiveram coragem para assumir riscos. Aqui é 8 ou 80 [cultura do futebol brasileiro]. Vão começar a dizer que o Palmeiras é favorito. A gente tem que trabalhar com afinco e sermos humildes”, contou.

Abel Ferreira elogia Weverton e Rony

O treinador utilizou a coletiva para elogiar o goleiro Weverton e o atacante Rony que, apesar dos números abaixo, foram importantes para o desempenho coletivo.

“Nós [a comissão técnica] e o Rogério [Godoy, treinador de goleiros] estamos fazendo um trabalho específico com ele, que é o número 1 [o melhor]. É o goleiro que eu sonhava quando treinasse uma grande equipe e ele é extraordinário. Tem o pacote todo, como homem, capitão e, principalmente, como goleiro”, enalteceu.

“Ele [o Rony] foi muito importante para abrir os espaços para o segundo gol do Veiga. O importante não é só olhar para a bola, ele faz movimentos sem ela. E o treinador olha para um todo. Queríamos colocar velocidade em cima dos dois zagueiros adversários, empurrar a linha para trás para que o Veiga e Scarpa conseguissem jogar entre as linhas”, declarou.

O Palmeiras chegou aos 52 pontos no Brasileirão e manteve a vice-liderança. No próximo domingo, o Verdão atuará novamente fora de casa, desta vez contra o Santos, na Vila Belmiro. O duelo começará às 16h.