1
X
0

01/07/2017 - 16:00

Pré-Jogo

Pré-jogo Palmeiras x Grêmio

Na tarde de sábado, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe o Grêmio, no Pacaembu, em jogo válido pela décima-primeira rodada do Brasileirão. Depois do jogo alucinante da última quarta-feira, o time tenta focar nos pontos corridos antes de mais uma vez mudar o foco para a próxima quarta-feira, quando jogará no Equador pela Libertadores. Não é fácil ser protagonista.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionado:
Jean
Recuperação física:
Thiago Martins, Felipe Melo, Moisés e Arouca
Suspensos: Mina, Tchê Tchê e Guerra

Pendurados: Juninho, Felipe Melo, Thiago Santos, Michel Bastos e Roger Guedes

Teremos o mínimo possível de titulares no jogo de quarta-feira em campo, diante da proximidade dos dois jogos. Contra um Grêmio que também virá com um time alternativo, Cuca deve aproveitar para rodar o elenco. Diante de tantos desfalques, não sobraram muitas opções para o time que sai jogando. O destaque fica por conta da estreia de Bruno Henrique. Um possível time é Fernando Prass; Mayke, Antônio Carlos, Luan e Juninho; Thiago Santos e Bruno Henrique; Erik, Dudu e Keno (Raphael Veiga); Borja.

Grêmio

O professor Renight também deve poupar seu time titular para a partida, já que joga na Argentina na terça-feira. Além dos titulares, Léo Moura e Maicon desfalcam o time – o primeiro ainda se recupera de lesão muscular e o segundo está com tendinite no pé esquerdo. O time alternativo que deve enfrentar o Verdão é Bruno Grassi; Leonardo, Thyere, Bruno Rodrigo e Marcelo Oliveira; Jailson e Machado; Fernandinho, Lincoln e Everton; Miller Bolaños.

Lei do Ex

Já pensaram se o Fernando Prass deixa o dele? Se não for possível, Dudu pode fazer as honras. Do lado de lá, Marcelo “TV Palmeiras” Oliveira se apresenta.

Retrospecto

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Grêmio
Grêmio
Pacaembu
Pacaembu
Wagner Nascimento Magalhães
Wagner Nascimento Magalhães
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

 

Parpite

Interessante a coincidência de eventos que tira o Grêmio do Allianz Parque em jogos do Brasileirão desde a inauguração. Acostumado a vencer o time gaúcho no Pacaembu, o Verdão ganha: 4 a 2, com gols de Erik, Borja (2) e Luan, para 26.890 pagantes. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

PFCPFC

Pós-Jogo

Palmeiras 1x0 GrêmioCésar Greco / Ag.Palmeiras

Mesmo com um time alternativo, o Verdão venceu o Grêmio no Pacaembu e agora seca o rival no jogo de domingo, para que a diferença de pontos, que já chegou a ser de 12, fique na casa dos sete pontos – com chance de cair mais ainda no Derby que se aproxima.

O Verdão mostrou muita qualidade no elenco e agora viaja fortalecido para o Equador, onde enfrentará o Barcelona pela Libertadores. Hora de fazer as malas e virar a chavinha!

PRIMEIRO TEMPO

Cuca escalou Zé Roberto como volante ao lado do estreante Bruno Henrique; a coordenação da armação ofensiva ficou a cargo de Michel Bastos, que tinha Erik e Keno à disposição, abertos, enquanto Borja jogava como NOVE-NOVE.

O Verdão mandou em todo o primeiro tempo. Nem parecia um time alternativo, tamanha a consciência tática e a autoridade como controlou as ações, levando muito perigo ao gol de Léo Jardim o tempo todo, sobretudo através das arrancadas de Keno. A pressão começou logo a dois minutos, num chute de fora de Michel Bastos, que saiu por cima. Um minuto depois, Erik foi lançado por trás de Marcelo Oliveira e cruzou por baixo, mas ninguém fechou na pequena área para aproveitar.

Era impressionante a aplicação do Palmeiras sem a bola, não dando chances para que o Grêmio articulasse três passes. Com isso, foram raras as vezes que o time gaúcho teve a bola no campo de ataque. E o Verdão continuava pressionando. Aos 12, Keno lançou Egídio por trás de Leonardo; o camisa 6 invadiu a área e foi derrubado. Pênalti claro, simples, fácil de marcar, mas o juiz resolveu que a falta começou fora da área e prejudicou o Palmeiras.

Numa rara chegada ao ataque, o Grêmio conseguiu sua primeira finalização aos 17 minutos num chute de fora de Lincoln – a bola desviou e sairia a escanteio, mas Prass se esforçou e evitou que a bola saísse. O Palmeiras respondeu um minuto depois: Keno começou seu show pela esquerda, passou por Leonardo e esticou para Borja, que foi ao fundo e cruzou por baixo – Erik chegou um pouquinho atrasado e não conseguiu alcançar.

Aos 24, Keno enfileirou uns 18 gremistas pela esquerda, invadiu a área mas se atrapalhou no final; a bola ia sobrar para Borja, mas a defesa chegou prensando. Aos 28, Michel Bastos tentou a finalização de fora, mas a bola desviou na zaga e sobrou para Borja, que bateu de primeira, na rede pelo lado de fora.

Aos 31, mais uma vez Keno: ele arrancou pelo meio, cercado por três gremistas, e finalizou desequilibrado, à direita de Léo Jardim. Aos 34, ótima jogada pela esquerda entre Keno, Michel Bastos e Egídio, que cruzou na pequena área – Léo Jardim se antecipou a Borja e salvou o gol.

O Grêmio conseguiu mais uma finalização aos 40, novamente num chute de fora – Fernandinho conseguiu espaço na frente da área e bateu forte, com perigo, à esquerda de Prass. O Verdão respondeu rápido em boa trama: após lateral, Keno foi ao fundo e cruzou por baixo, Zé Roberto fechou e ajeitou para Erik, que abriu para Michel Bastos, que bateu sem força, facilitando para Léo Jardim.

Logo na sequência, mais um ataque: Keno recebeu de Zé Roberto, fintou pelo meio e bateu pelo alto, buscando o ângulo direito de Léo Jardim, que apenas observou a bola sair por cima do travessão. Pouco depois, o juiz apitou o fim de um bom primeiro tempo, em que o Verdão aparentemente não sentiu as alterações na escalação e jogou com muita autoridade diante do vice-líder do campeonato.

SEGUNDO TEMPO

O Grêmio aparentemente voltou mais a fim de jogo, mas logo parou na ótima postura defensiva do Palmeiras, que não permitia ao time gaúcho colocar a bola no chão. Aos seis, após falta na intermediária, Michel Bastos cruzou, Borja tentou cabecear duas vezes, mas falhou bisonhamente dentro da pequena área.

Aos 9, o Grêmio conseguiu encaixar um contra-ataque com Everton; a bola foi rolada para o meio mas Zé Roberto chegou para tentar cortar e tocou para trás, em direção ao gol; com Fernando Prass batido, Egídio salvou em cima da risca.

Aos 13, Zé Roberto aproveitou a roubada de bola e deu uma linda enfiada para Erik, que engatou a quinta marcha, invadiu a área e bateu forte, pelo alto, mas a bola saiu sobre o travessão. Borja fechava pelo meio, mas Erik fez certo em tentar o gol.

Aos 17, Bruno Henrique roubou a bola na saída do Grêmio e tentou bater para o gol da entrada da área, mas a bola saiu por cima. Cuca então decidiu colocar Willian Bigode para jogar pela direita, sacando Erik. E a pressão do Verdão ficou mais forte ainda, mas as finalizações não saíam.

Aos 26, depois de escanteio, Everton tentou a jogada e finalizou, prensado, para fácil defesa de Prass. Cuca então decidiu trocar Michel Bastos, muito afobado, por Raphael Veiga, e logo depois trocou Keno, que não voltou tão bem do intervalo, por Roger Guedes.

Foi tanta pressão, mas tanta, que a bola tinha que entrar de algum jeito. Roger Guedes abriu na direita para Raphael Veiga, aos 33; mesmo marcado ele conseguiu um cruzamento por baixo buscando Roger Guedes ou Willian na área; Machado tentou cortar, a bola ainda desviou em Bressan e morreu no fundo do gol do Grêmio. Foi esquisito, mas muito merecido.

Aos 40, Egídio fez boa jogada e cruzou, mas estava impedido quando recebeu a bola.  Willian bateu e Léo Jardim fez excelente defesa, o juiz atendeu ao bandeira e apitou; Borja mesmo assim pegou o rebote e chutou para fora levando o cartão amarelo mais estúpido da tarde/noite no Pacaembu.

Nos minutos finais o Palmeiras conseguiu segurar bem a pequena pressão que o Grêmio tentou impor – Prass não precisou defender nenhuma finalização. O juiz encerrou o jogo e o Verdão ganhou mais uma – a quarta seguida no Brasileirão.

FIM DE JOGO

Foi um ótimo jogo, dadas as circunstâncias. Mais de 30 mil pessoas no Pacaembu viram dois times alternativos, mas com bons valores, fazerem um jogo bem movimentado – o Palmeiras foi muito melhor e mereceu plenamente o placar, que poderia até ter sido mais dilatado. Destaque para o excelente primeiro tempo de Keno, para a estreia segura de Bruno Henrique e para a grande atuação coletiva de nosso sistema defensivo, que não deu nenhuma chance para os gaúchos sonharem com pelo menos um golzinho.

Virar a chavinha já está virando rotina, e é bom mesmo que o time se acostume. Agora é Libertadores, o jogo em Guayaquil promete ser duro. Mas diante da enorme consciência tática que todos os jogadores do elenco estão demonstrando, só podemos chegar ao confronto com toda a confiança que conseguiremos um bom resultado. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Palmeiras

GOL
Fernando Prass
LAD
Mayke
ZAG
Luan
ZAE
Juninho
LAE
Egídio
VOL
Bruno Henrique
VOL
Zé Roberto
MEI
Erik
MEI
Willian
MEI
Michel Bastos
MEI
Raphael Veiga
MEI
Keno
MEI
Roger Guedes
ATA
Borja
TÉCNICO
Cuca

Grêmio

GOL
Léo Jardim
LAD
Leonardo
ZAG
Thyere
ZAE
Bressan
LAE
Marcelo Oliveira
VOL
Jailson
MEI
Lima
VOL
Kaio
MEI
Fernandinho
MEI
Lincoln
VOL
Machado
MEI
Everton
ATA
Miller Bolaños
ATA
Nicolas Careca
TÉCNICO
Renato Gaúcho

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Não foi exigido.
6
Mayke
Pela primeira vez fez um jogo consistente na defesa. Ótimo sinal.
7.5
Luan
Seguro e consciente o tempo todo. Na hora que precisa dar bico, é sem dó.
8
Juninho
Bem posicionado e atento, mas cometeu um erro numa proteção de bola na linha de fundo que poderia dar problema.
6
Egídio
Vive talvez sua melhor fase no Palmeiras, calando muitas bocas. Inclusive esta.
8
Bruno Henrique
Estreou com personalidade, aparentando muita facilidade na adaptação.
7.5
Zé Roberto
É isso que esperamos do veterano. Bem posicionado, pode render muito, como hoje.
7.5
Erik
Não vinha sendo muito acionado, até que teve a chance de ouro para sair como heroi - não foi feliz na finalização.
6
Willian
Compactou o ataque e foi sempre perigoso.
6.5
Michel Bastos
A afobação para definir os lances prejudicaram sua atuação. Estava nitidamente com muita vontade.
6
Raphael Veiga
Depende demais da perna esquerda. Quando resolveu usar a direita, a sorte lhe sorriu.
7
Keno
Mesmo sumido no segundo tempo, jogou um partidaço na primeira metade do jogo e merecia sorte melhor.
8.5
Roger Guedes
Não ficou preso no flanco direito e aproveitou bem os espaços - a bola do gol chegaria a ele se a defesa adversária não fizesse o serviço.
7
Borja
Fraco, errou até gol fácil em que a jogada já estava parada. Decepcionante.
5
Cuca
Cuca
Perfeito na escalação e nas mexidas, buscou três pontos fundamentais nas pretensões do time no campeonato.
8