1
X
0

22/04/2018 - 16:00

Pré-Jogo

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras enfrenta o Internacional, pela segunda rodada do Brasileirão. O jogo acontece no Pacaembu, devido à realização de mais um show no Allianz Parque.

Ao Verdão, depois do empate na estreia, só a vitória interessa, para se manter no pelotão de cima nestas primeiras rodadas da competição.

Palmeiras

DESFALQUES
Tapetada:
Gustavo Scarpa
Lesionados: Guerra e Michel Bastos
Trabalho físico:
Artur

Roger Machado já acenou com mudança na zaga: Thiago Martins, que oscilou demais na reta final do Paulista e falhou feio na estréia do Brasileirão, perdeu a vaga para Edu Dracena.

Na meia, Lucas Lima balançou e provavelmente perderia a vaga para Guerra, mas o venezuelano teve um choque no treino de quarta-feira com Michel Bastos e ambos sofreram lesões que os tiraram do jogo – talvez seja o chacoalhão que o camisa 20 precisava para voltar a mostrar a intensidade vista nas primeiras partidas da temporada.

Quem volta ao time depois de fazer tratamento no joelho é Borja. O colombiano treinou normalmente nos últimos dias e vai para o jogo. O time que deve ir a campo é Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Dudu, Lucas Lima e Keno; Borja.

Internacional

O Inter vem de eliminação na Copa do Brasil e contou com um curto tempo de recuperação – a partida contra o Vitória na quinta-feira à noite, em Salvador, foi desgastante, debaixo de chuva intensa e decidida nos pênaltis.

Cansados e com o moral baixo, o time gaúcho vem ao Pacaembu com alguns problemas:  Rodrigo Moledo se machucou em Salvador e está fora. Outro desfalque é Fabiano, que pertence ao Verdão e fica fora por força de contrato. Mas Odair Hellmann também tem boas notícias: Leandro Damião e Danilo Silva estão recuperados de lesões na coluna cervical e no púbis, respectivamente, e foram relacionados – o treinador deve mantê-los, entretanto, no banco. O time que tende a ir a campo é Marcelo Lomba; Edenílson, Klaus, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado e Gabriel Dias; Patrick, D’Alessandro e Nico López; Pottker.

Lei do Ex

Gabriel Dias é cria do Verdão, mas agora defende o time gaúcho. Entre os palmeirenses, Lucas Lima já teve uma passagem rápida pelo Inter.

Retrospecto

Estamos diante de um dos poucos times no mundo com vantagem no retrospecto contra o Palmeiras. A fase, no entanto, é de recuperação; após vencer quatro dos últimos cinco confrontos, o Palmeiras está encurtando a distância.

Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Internacional
Internacional
Pacaembu
Pacaembu
Marcelo de Lima Henrique
Marcelo de Lima Henrique
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

 

Parpite

Willian Pottker e Nico López são nomes que a torcida do Palmeiras não gosta muito de ouvir; se encaixarem um lance daqueles, é a nossa maionese que pode desandar. Mas vindo de uma semana cheia de treinamentos, contra um time com o moral muito baixo e cansado, o Verdão deve se impor. Lucas Lima, Dudu, Keno, Borja, entre tantos outros do nosso ótimo elenco também podem encaixar um lance daqueles em vários momentos do jogo.

Por isso, dá Verdão: 3 a 0, com gols de Marcos Rocha, Keno e Borja, para 21.234 pagantes no Municipal. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo  – para RS (Luciano Périco e Maurício Saraiva)

PFCPFC e PFCI  (Jorge Vinicius e Mauricio Noriega)

Pós-Jogo

Palmeiras 1x0 InternacionalDjalma Vassão/Gazeta Press

Num jogo fraco, com apenas alguns poucos bons momentos isolados, o Palmeiras venceu o Inter no Pacaembu e interrompeu a sequência de três jogos sem vencer. A vitória deixa o time no bloco de cima na classificação geral, sem deixar ninguém escapar na frente, e afasta a nuvem negra que já estava pronta para pairar sobre a Academia de Futebol. O time agora se prepara para viajar para a Argentina: na quarta-feira, tem jogo na Bombonera pela Libertadores.

PRIMEIRO TEMPO

Edu Dracena foi a novidade do Verdão, ganhando a posição de Thiago Martins. O esquema básico de Roger Machado foi mantido; o que se esperava é que a “semana cheia” rendesse frutos e que o time jogasse mais compactado, com mais coordenação ofensiva e aproximações entre os jogadores. Não foi exatamente o que se viu.

De forma surpreendente, o Inter manteve a posse de bola durante os primeiros minutos, pressionando nossa saída e não deixando o Palmeiras fazer a tradicional blitz de time da casa. Aos 4, após escanteio batido por Camilo, Rodrigo Dourado cabeceou, a bola desviou em Marcos Rocha e sobrou para Gabriel Dias, que estava impedido e tentou tirar de Jailson, que se recuperou com o pé.

Aos 5, Diogo Barbosa deu um passe ruim, Felipe Melo não teve reflexo para corrigir e o Inter chegou de novo – Pottker aproveitou o vacilo, conduziu pelo meio e bateu da meia-lua, obrigando Jailson a fazer boa defesa.

O Palmeiras conseguiu trocar passes pela primeira vez aos 9 minutos e só criou a primeira chance aos 14: Lucas Lima teve liberdade e conduziu o ataque; ele abriu para Keno na direita e o cruzamento veio por baixo, com força; Danilo Fernandes rebateu para o meio e a bola se ofereceu para Borja, livre, testar para o gol vazio, mas o colombiano conseguiu errar o alvo e mandou por cima.

O lance acordou o Palmeiras, que no lance seguinte armou um bom ataque, mais uma vez com Lucas Lima, que sofreu falta de Victor Cuesta a dois passos da área; o próprio Lucas Lima bateu mas a bola parou na barreira. Na insistência, a bola foi afastada a escanteio pela defesa do Inter; na cobrança da direita, Borja cabeceou bem, mas a bola resvalou em Rodrigo Dourado e saiu.

Aos 20, Keno sofreu falta pela direita; Lucas Lima suspendeu e Cuesta tirou da cabeça de Edu Dracena, que estava pronto para fazer o gol. No escanteio, Danilo Fernandes afastou mais uma, em outro escanteio, que desta vez não deu em nada. Mas a pressão já era bem forte.

O Inter suportou o cerco, conseguiu sair de trás e voltou a equilibrar o jogo, que passou a ficar mais concentrado no meio do campo. Os times não conseguiam passar pelas linhas de marcação e o jogo ficou truncado, chato, até que aos 39, no primeiro apoio de Diogo Barbosa pela esquerda, ele foi lançado por Lucas Lima e cruzou para Dudu, que passou por trás de Klaus e testou firme para o canto esquerdo de Danilo Fernandes, sem chances de defesa.

O gol foi resultado de um lance fortuito, em que o mérito dos jogadores do Palmeiras foi executar bem uma jogada fácil de ser marcada. Os jogadores do Inter deram espaço e foram castigados por isso. Havia muito o que melhorar para o segundo tempo.

SEGUNDO TEMPO

Com Leandro Damião no lugar de Nico López, o Inter voltou bem mais disposto para o segundo tempo, e logo a três minutos, depois de jogada de Camilo pela esquerda, a bola foi invertida para Edenilson do outro lado; o lateral puxou para o meio e soltou um foguete que passou assobiando ao lado da gaveta direita de Jailson.

Aos 11, Patrick fez a jogada pela esquerda e Leandro Damião cabeceou no segundo pau, para boa defesa de Jailson por baixo. O Palmeiras tentou responder aos 13, com Borja interceptando um chute rasteiro de Diogo Barbosa e batendo sem ângulo, por cima. Aos 15, Bruno Henrique recebeu de Dudu pelo meio, avançou e bateu forte, mas a bola passou à direita de Danilo.

Dois minutos depois, Keno pressionou a saída de bola e sofreu falta de Victor Cuesta; Lucas Lima cruzou e Antônio Carlos testou por cima. Aos 18, Marcos Rocha e Dudu fizeram boa jogada e o capitão esticou para Borja, que se esticou para bater rasteiro, à esquerda. Aos 19, Keno puxou contra-ataque e tocou para Borja em velocidade; o colombiano fez um lindo breque e rolou para Lucas Lima, que chegava por trás e bateu de chapa, no pé da trave direita de Danilo Fernandes. O Verdão já tinha recuperado mais uma vez o domínio do jogo e tentava definir o placar, para não correr riscos no final.

Mas novamente o Inter conseguiu se reequilibrar e passou a nos pressionar. Aos 28, Leandro Damião recebeu dentro da área, disputou com Edu Dracena e girou para o gol; o chute saiu fraco mas Jailson aceitou – mas o bandeira já havia marcado impedimento e o juiz já havia apitado. Só que o Inter encaixou mais dois ataques em seguida e o Palmeiras parecia ter entrado em modo juvenil, pedindo para tomar gol. Lucas Lima saiu para entrada de Moisés aos 30.

Quatro minutos depois, Dudu e Borja deram lugar a Willian Bigode e Deyverson – Roger queimou duas substituições ao mesmo tempo e perdeu a chance de fazer o relógio andar mais. Aos 38, Edenílson teve liberdade pela direita e cruzou; Leandro Damião se movimentou bem entre a dupla de zaga e conseguiu desviar de cabeça, mandando a bola rente ao poste direito de Jailson, que estava batido.

Os últimos minutos foram de intensa agonia. O Palmeiras devolvia a bola para o Inter com muita facilidade e a bola foi alçada em nossa área várias vezes buscando a cabeça de Damião, mas Antônio Carlos estava firme e tirou todas. Desta vez, mesmo dando toda a sopa possível para a má sorte, o Palmeiras saiu com a vitória.

FIM DE JOGO

O que mais importou foram os três pontos. O time até que teve bons momentos isolados durante o jogo, mas sem consistência alguma. Os laterais, inseguros com a cobertura, continuam subindo pouco; os atacantes de lado com isso só conseguem encostar em alguém quando se aproximam de Lucas Lima. Houve apenas um triangulação em todo o jogo. Depois de uma semana cheia para treinamentos, é pouco.

Além dos erros táticos, a infantilidade em devolver a bola para o adversário nos minutos finais foi inacreditável – em caso de tomar mais um empate no fim, era caso de fazer como os técnicos das antigas e dar uma surra de cinta nos jogadores no vestiário. Felizmente, desta vez, a sorte esteve a nosso lado.

É hora de aproveitar a onda positiva, virar a chavinha e pensar no jogo da Bombonera, na quarta-feira. Um empate já nos deixará a um passo da classificação e o time tem todas as condições de conseguir o resultado – desde que não seja mais uma vez juvenil, como tem acontecido. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Palmeiras

GOL
Jailson
LAD
Marcos Rocha
ZAG
Antônio Carlos
ZAE
Edu Dracena
LAE
Diogo Barbosa
VOL
Felipe Melo
VOL
Bruno Henrique
MEI
Dudu
MEI
Willian Bigode
MEI
Lucas Lima
MEI
Moisés
MEI
Keno
ATA
Borja
ATA
Deyverson
TÉCNICO
Roger Machado

Internacional

GOL
Danilo Fernandes
LAD
Edenílson
ZAG
Klaus
ZAE
Victor Cuesta
LAE
Iago
VOL
Gabriel Dias
VOL
Fabinho
VOL
Rodrigo Dourado
MEI
Patrick
MEI
Camilo
MEI
D'Alessandro
MEI
Nico López
ATA
Leandro Damião
ATA
Pottker
TÉCNICO
Odair Hellmann

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
Duas boas defesas que garantiram a vitória. Cometeu um vacilo numa disputa com Pottker, sem maiores consequências. o suposto frango no suposto gol anulado jamais existiu, uma vez que o juiz tinha apitado e o reflexo de ir para a bola já não é o mesmo.
6
Marcos Rocha
Continua subindo pouco e errando muitos passes. Caiu de rendimento.
5.5
Antônio Carlos
Parece totalmente recuperado da sequência ruim. Vem fazendo um Brasileirão impecável.
8.5
Edu Dracena
Segurança e experiência estão de volta ao lado esquerdo.
7
Diogo Barbosa
Partida discreta que teve como único ponto alto a jogada do gol - o que não é pouco.
7
Felipe Melo
Mais uma vez o pior do time, errando passes bobos, sendo envolvido com facilidade e se garantindo só na liderança. Assim, não serve.
4
Bruno Henrique
Compensou um pouco a lentidão de Felipe Melo, mas também cumpriu sua cota de passes errados.
7
Dudu
Depois de um início muito fraco, conseguiu dar a resposta fazendo um gol de cabeça. Seu moral subiu um pouco e o segundo tempo foi mais participativo, mas ainda aquém do potencial.
7.5
Willian Bigode
Mal foi visto em campo.
s/n
Lucas Lima
Mais participativo que nos últimos jogos, mostrou uma leve evolução. Participação fundamental n lance do gol.
7.5
Moisés
Em vez de segurar a bola e cadenciar o jogo, acelerou e devolveu a bola para o adversário. Um dos mais ingênuos do time.
5.5
Keno
O mais perigoso do time, sempre preocupando os laterais dos dois lados.
7
Borja
Algumas boas roubadas de bola, muita luta, muita trombada, mas pouco perigo ao gol adversário. E um gol feito desperdiçado.
6
Deyverson
Nulo. Salvo pelo pouco tempo em campo.
s/n
Roger Machado
Roger Machado
Satisfeito com a presença tática do time, não mexeu até os 30 do segundo tempo. Aí trocou seis por meia dúzia três vezes - sendo duas ao mesmo tempo, dando mais chances para o Inter reagir.
5.5