1
X
3

Pré-Jogo

Pré-jogo Grêmio x Palmeiras

Na tarde deste domingo, a Sociedade Esportiva Palmeiras visita o Grêmio, em Porto Alegre, e pode assumir a vice-liderança do campeonato, ficando a apenas seis pontos do líder, que joga na segunda-feira. A perspectiva de um bom resultado num dos jogos mais difíceis da tabela vem do fato do time gaúcho, em virtude da partida pela Libertadores, escalar seu time reserva no confronto.

Palmeiras

DESFALQUES
Lesionados: Guerra e Willlian Bigode
“Reciclagem”: Roger Guedes

Pendurados: Fernando Prass, Bruno Henrique, Felipe Melo, Gabriel Furtado, Roger Guedes e Keno

O Verdão fará sua terceira partida sob o comando de Alberto Valentim, que provavelmente escalaria o mesmo time que elegeu desde o jogo em Goiânia, mas como Willian Bigode se lesionou e deve ficar quatro jogos fora, Borja, que desencantou, deve assumir a vaga. As outras novidades ficam no banco, com as voltas de Jailson e Mina, que se lesionaram no dia 9 de agosto, na partida contra o Barcelona, pela Libertadores.

O time que o Verdão deve mandar a campo é Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Bruno Henrique, Tchê Tchê e Moisés; Keno, Borja e Dudu.

Grêmio

O professor Renight, salvo um blefe profissional, vai mandar a campo o time reserva, com os enxertos de Michel e Luan – o primeiro volta de uma artroscopia e estava fora por três semanas. Já Luan voltou de lesão no jogo em Itaquera, quando fez uma partida apagada, sem ritmo.

Os outros nove jogadores são reservas, e terão a seu favor apenas o entrosamento dos coletivos. O time que deve ir a campo é Paulo Víctor; Léo Moura, Rafael Thyere, Bruno Rodrigo e Marcelo Oliveira; Cristian e Michel; Everton, Luan e Arroyo; Jael.

Lei do Ex

Os laterais do expressinho do Grêmio já passaram por aqui: Marcelo TV Palmeiras Oliveira e Léo Moura, que ainda era Leonardo. No Verdão, Fernando Prass e Dudu, além de Zé Roberto, no banco, já vestiram a camisa gremista.

Retrospecto

O Grêmio é um freguês VIP do Verdão, mas o juiz é o Margarida. Todo cuidado é pouco, ele adora estragar jogos.

Aproveite todas as funcionalidades do Almanaque do Verdazzo. Consulte os links abaixo, e faça os cruzamentos com outros dados como preferir:

Grêmio
Grêmio
Arena do Grêmio
Arena do Grêmio
Ricardo Marques Ribeiro
Ricardo Marques Ribeiro
Campeonato Brasileiro
Campeonato Brasileiro

Parpite

Na quinta funcionou, então não vamos estragar o que vem dando certo: sem parpite.
Não temos que pensar nas rodadas que virão depois, é jogo a jogo. Vencendo esta partida, a distância cai para seis. O rival sabe olhar a tabela e sabe com quem jogará em breve, a pressão para seu jogo de segnda-feira será gigante. Mas tudo isso só tem chance de acontecer se vencermos em Porto Alegre. Por isso, não adianta nada pensar no depois. Foco neste jogo, um de cada vez. VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

TV GloboGlobo – para SP, SC e PR

PFCPFC e PFCI

Pós-Jogo

Grêmio 1x3 PalmeirasCesar Greco/Ag.Palmeiras

O Palmeiras venceu o Grêmio em Porto Alegre e chegou a 53 pontos no Brasileirão, assumindo a vice-liderança do campeonato. De quebra, acabou com um tabuzinho de nunca ter vencido no novo estádio gremista. O time soube suportar a pressão inicial, impôs a maior qualidade técnica sobre o time alternativo escalado por Renato Portaluppi, e só precisou de 20 minutos na segunda etapa para construir a vitória. E ainda podemos dizer que o Palmeiras só não goleou porque preferiu poupar energias e não arriscar desnecessariamente uma lesão.

PRIMEIRO TEMPO

O Verdão entrou em campo com apenas uma mudança em relação ao time das duas partidas anteriores, forçada por lesão – Borja saiu jogando no lugar de Willian Bigode. Os reservas do time da casa começaram a partida dispostos a mostrar serviço para o professor Renight e o Palmeiras tinha dificuldades em passar pelas linhas de marcação do Grêmio, que, por sua vez, apostava na velocidade de Arroyo e Everton para furar nossa linha defensiva (que voltou a mostrar alguns defeitos de posicionamento). Aos 7, Arroyo recebeu um lindo passe de Everton e saiu na cara de Fernando Prass, mas demorou para definir e Mayke deu o bote limpo, saindo com a bola numa linda recuperação.

O Verdão chegou pela primeira vez na insistência de Borja, aos 15 minutos: ele recebeu na direita; mesmo cercado, conseguiu proteger a bola e tocou para Bruno Henrique – daí a bola foi a Moisés, que ajeitou para Keno, que bateu colocado, mas a bola desviou em Michel e saiu a escanteio.

Aos poucos nosso meio-campo foi achando o melhor posicionamento e a partir dos 20 minutos o domínio do jogo já era do Verdão. Aos 24, mais uma bela jogada coletiva, Mayke, Tchê Tchê e Keno triangularam e o camisa 27 deu um tapa na bola achando Borja na área; o colombiano brigou, colocou na frente mas ficou sem ângulo, aí jogou pro meio da pequena área, sem que alguém aproveitasse.

O Grêmio chegou a tentar ameaçar em jogadas com Luan e Everton – esta, em erro grosseiro de Egídio – mas nenhuma chegou a levar real perigo ao gol de Fernando Prass.

No final do primeiro tempo, o Palmeiras chegou duas vezes com perigo: na primeira, Keno recebeu limpo dentro da área, ajeitou o corpo e bateu para o gol, mas o chute não saiu com muita força e facilitou para Paulo Victor. Na segunda, Borja recebeu na meia lua, girou o corpo e bateu colocado, visando o ângulo esquerdo de Paulo Victor, mas a bola fez a curva e saiu por pouco – e com o placar em branco terminou o primeiro tempo, mas essas duas jogadas no final deram a letra para o que estava por vir assim que a bola voltasse a rolar.

SEGUNDO TEMPO

Os dois times voltaram sem alterações e ainda buscavam achar o melhor posicionamento, quando Michel errou uma jogada no meio campo; Moisés aproveitou e puxou o contra-ataque, rolando para Dudu; o camisa 7 conduziu e soltou a bomba – a bola bateu em Marcelo Oliveira e tirou Paulo Victor da jogada, morrendo no canto direito. Abrir o placar logo de cara era tudo o que o Verdão poderia querer.

Aos sete, linda tabela entre Keno e Tchê Tchê pela direita; Keno entrou na área e foi derrubado claramente por Kaio, mas o Margarida preferiu não marcar o pênalti. Mas não deu tempo para o time sentir o prejuízo: um minuto depois, contra-ataque rápido pela esquerda, Borja bateu forte, cruzado, do bico da grande área; Paulo Victor deu rebote e Moisés emendou um canudaço, que bateu no travessão e pingou dentro do gol, rente à linha – Keno teve que se esconder atrás da trave para não atrapalhar o chute.

Os dois gols acabaram com o ânimo do Grêmio, e o Verdão deitou, partindo logo para o nocaute. Aos 18, depois de lateral, saiu mais uma triangulação entre Mayke, Tchê Tchê e Keno; Mayke saiu limpo dentro da área e cruzou por baixo para Dudu escorar para dentro e fazer o terceiro e matando a partida.

Valentim mandou Raphael Veiga e Thiago Santos nos lugares de Moisés e Bruno Henrique. O Grêmio já estava mais preocupado com as vaias da torcida do que em tentar reagir. O Verdão compreendeu a situação e apenas se posicionou em campo. O jogo ficou morno e desinteressante.

Deyverson ganhou mais uma chance de jogo aos 30, substituindo Borja. Mas numa bola parada, logo depois, o Grêmio diminuiu o placar, com Michel, após vacilo de Raphael Veiga. O que poderia virar uma reação gremista foi rapidamente esfriado após uma confusão na substituição de Luan, em polêmica boba causada pelo professor Renight. O Verdão agradeceu e tocou a bola até o apito final, trazendo mais três pontos para casa.

FIM DE JOGO

O Palmeiras segue fazendo sua parte e cortou a vantagem para seis pontos, pelo menos até a segunda-feira. Mesmo que o rival vença o difícil jogo que tem fora de casa contra o Botafogo, o Verdão mostrou que está de volta no jogo. Jogando simples, sem nenhuma grande aposta tática, apenas impondo sua superioridade técnica, vai vencendo os adversários e acumulando pontos, enquanto o rival vai perdendo força.

No final da noite da segunda-feira da próxima semana, já invadindo a semana do Derby, se o Palmeiras tiver vencido o Cruzeiro no Allianz Parque, a diferença pode estar na casa de 3 pontos – ou 9, dependendo do que fizer o rival. A pressão está toda em cima deles. Sigamos jogando simples, leves, e impondo a qualidade do elenco – que tanta gente, até entre nossa torcida, critica. O final do ano ainda pode estar nos reservando uma enorme alegria, mas vamos jogo a jogo. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Grêmio

GOL
Paulo Victor
LAD
Léo Moura
ZAG
Rafael Thyere
ZAE
Bruno Rodrigo
VOL
Jailson
LAE
Marcelo Oliveira
VOL
Michel
VOL
Kaio
MEI
Arroyo
MEI
Beto da Silva
MEI
Luan
MEI
Dionathã
MEI
Everton
ATA
Jael
TÉCNICO
Renato Portaluppi

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Fernando Prass
Não foi exigido durante todo o jogo.
7
Mayke
O melhor em campo, marcando muito bem e subindo com competência, dando a assistência que matou o jogo.
8.5
Edu Dracena
É o líder do time em campo, coordenando todo o setor defensivo e cobrando desempenho e atenção o tempo todo. Vive uma fase exuberante.
7.5
Juninho
Partida tranquila, recuperando-se da má sequência que vinha atravessando.
7
Egídio
Errou mais que acertou, e quase comprometeu. Queria ver o time dando chilique a cada erro dele como ele fez com o Veiga no gol do Grêmio.
5.5
Bruno Henrique
Bem posicionado, teve a chance de subir bem ao ataque com botes precisos.
6.5
Thiago Santos
Entrou numa fase do jogo em que as duas equipes já tinham se desinteressado.
s/n
Tchê Tchê
Subiu mais um degrau no processo de entrosamento com Bruno Henrique.
7
Moisés
Jogou solto e com inteligência, foi premiado com uma bola pedindo "me chuta" e ENCHEEEU O PÉ, fazendo um golaço.
7.5
Raphael Veiga
Jogou pouco, o vacilo no gol do Grêmio foi mais uma infelicidade que um erro.
s/n
Keno
Não foi uma partida no mesmo nível das duas anteriores, mas mesmo assim jogou em alto nível, arrendondando jogadas e bagunçando a defesa do Grêmio.
7.5
Borja
Se esforçou, marcou, saiu da área, teve uma boa participação no segundo gol, mas ficou abaixo do esperado - e desta vez teve cerca de 80 minutos para mostrar jogo.
6
Deyverson
Mal tocou na bola.
s/n
Dudu
Teve sorte no primeiro gol e oportunismo no terceiro; segue jogando simples e eficiente.
8.5
Alberto Valentim
Alberto Valentim
Vai fazendo o simples, armando a defesa com deslocamentos lógicos e armando penetrações ofensivas por baixo, abusando das triangulações. Simples e efetivo.
8