Mesmo com a saída da Parmalat e um time não tão qualificado como em 1999 e 2000, o Palmeiras chegou à terceira semifinal seguida da Libertadores e teve pela frente o algoz do ano anterior: o Boca Juniors.

Na partida de ida, na Bombonera, o Palmeiras saiu com um empate em 2 a 2, mas o gosto foi de derrota, já que o juiz Ubaldo Aquino promoveu um dos maiores assaltos da História do futebol mundial. O paraguaio ignorou um pênalti claro para o Palmeiras, expulsou Fernando injustamente e inventou um pênalti bizarro para os argentinos.

Apesar de estar sendo empurrado por mais de 50 mil torcedores, o Boca viu o Palmeiras ter as melhores oportunidades no começo do jogo. Primeiro, Magrão fez boa jogada, mas chutou fraco. Aos 19 minutos, Felipe cruzou, Fábio Junior ajeitou e Alex, com um lindo tapa na bola, acertou o ângulo de Córdoba e abriu o placar.

Aos 42 aconteceu o primeiro erro de Aquino: Barijho se jogou na área e o paraguaio assinalou pênalti, que Schelloto bateu para empatar o jogo.

Na segunda etapa, o Verdão voltou a ficar à frente do placar com Fabio Junior: o atacante recebeu de Magrão e, na saída do arqueiro adversário, tocou por cima. Contudo, um minuto mais tarde, aos 10, Barijho (que deveria ter sido expulso na primeira etapa por pisar na mão de Marcos), aproveitou boa jogada de Riquelme e empatou.

O Palmeiras continuava firme no jogo apesar de sofrer dois empates e teve a chance de ficar novamente na vantagem: Fernando recebeu de Magrão na área, driblou Córdoba e foi claramente derrubado pelo colombiano: pênalti. Mas o árbitro apontou “simulação” de Fernando e ainda aplicou-lhe o cartão amarelo.

Por fim, Ubaldo Aquino expulsou Fernando e Barijho após desentendimento entre os dois. O jogo acabou em 2 a 2 e o Palmeiras precisava de uma vitória simples no Palestra Italia para conseguir chegar à terceira final em três anos.

Contudo, após outro empate em 2 a 2 e nova vitória argentina nos pênaltis (com Córdoba tendo passe livre para se adiantar em todas as cobranças, como em 2000), foi o Boca quem avançou para decidir a Copa com o Cruz Azul, do México.




Ficha Técnica

57.000

Ubaldo Aquino

Boca Juniors

Córdoba
Ibarra
Bermudez
Burdisso
Matellán
Villarreal
Gaitán
Serna
Traverso
Riquelme
Guillermo Schelotto
Gimenez
Barijho
Carlos Bianchi
TÉCNICO