Titular do meio-campo em 2021, Zé Rafael celebra primeiro gol de falta no Verdão

Zé Rafael em jogo do Palmeiras contra o Ceará, durante partida válida pela décima nona rodada do Brasileirão 2021, no Castelão.
Cesar Greco

Há três temporadas no Palmeiras, Zé Rafael tem em Abel Ferreira um defensor de seu futebol

Quando foi contratado pelo Palmeiras, após bons dois anos no Bahia (2017 e 2018), Zé Rafael era visto como um meia de criação, mais ofensivo, que atuava com a camisa 10 da equipe tricolor.

Mapa de calor do Zé Rafael em 2018, no Bahia – SofaScore
Mapa de calor do Zé Rafael em 2018, no Bahia – SofaScore

Depois de um início sem sequência no Verdão, no qual participou de apenas quatro jogos do Campeonato Paulista de 2019, o camisa 8 começou a ser utilizado por Felipão. Apesar de não ser um jogador tão veloz, Zé atuou com o lendário treinador palmeirense em uma faixa de campo que estava mais acostumado: aberto pela esquerdo, como mostra seu mapa de calor.

Mapa de calor do Zé Rafael em 2019, no Palmeiras – SofaScore
Mapa de calor do Zé Rafael em 2019, no Palmeiras – SofaScore

A partir do ano passado, comandado por Luxemburgo e Abel Ferreira, Zé Rafael foi escalado em uma faixa do campo mais recuada e tornou-se opção como volante. No Campeonato Brasileiro de 2021, virou titular da equipe após um período lesionado e engatou uma sequência de 15 jogos entre os onze iniciais, sempre como meio-campista mais centralizado.

Mapa de calor do Zé Rafael em 2021, no Palmeiras – SofaScore
Mapa de calor do Zé Rafael em 2021, no Palmeiras – SofaScore

Sua nova função lhe deu destaque nos desarmes (são 75 em 2021 – líder da equipe), sem afetar suas características ofensivas, já que é o terceiro em dribles certo entre todos do elenco, com 36.

Contra o Ceará, na última quarta-feira, Zé mostrou um recurso que muitos palmeirenses ainda não conheciam: o de cobrador de falta. Foi da bola parada que, aos 48 minutos do primeiro tempo, o jogador abriu o placar para o Verdão.

“Eu treino bastante. O Scarpa e o Veiga sempre têm preferência, mas hoje eu estava bem, confiante e pedi pro Veiga. Ele deixou, me incentivou e eu fui muito feliz e consegui ajudar a equipe a sair na frente”, disse à TV Palmeiras/FAM.

“É difícil jogar aqui [no Castelão]. O Ceará tem uma equipe intensa e eles são fortes em casa. No começo encontramos algumas dificuldades, sofremos transições. O calor aqui também complica, estava bem abafado. De qualquer forma, isso faz parte e o importante é que nos preparamos bem”, prosseguiu.

O tento contra o Ceará foi o seu 15º com a camisa do Palmeiras em 144 jogos, e o primeiro de falta – quando jogou no Bahia, havia marcado dois gols com a bola parada.

Zé Rafael tem a confiança de Abel Ferreira

Apesar da boa sequência como titular e a presença em jogos decisivos do Palmeiras (titular na final da Copa do Brasil e da Libertadores), Zé Rafael não é unanimidade entre os torcedores.

Não foram poucas as vezes que Abel Ferreira utilizou a entrevista coletiva pós-jogo para defender o meio-campista. “O Zé Rafael é um guerreiro, um campeão. Se nem Deus agradou a todos, não vamos nós, simples seres humanos, agradar”, chegou a dizer o comandante em abril deste ano.

Para a próxima partida, o camisa 8 não poderá estar em campo, já que recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso. Segunda-feira que vem no Allianz Parque, às 21h30, o Palmeiras recebe o Sport, em jogo válido pela 28ª rodada do Brasileiro. Com 46 pontos, a equipe recuperou a terceira colocação após duas rodadas.