Autor do gol do título, Deyverson fala sobre sua trajetória no Palmeiras

Deyverson comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário, em Montevideo.
Cesar Greco

Deyverson mostrou gratidão também a Abel Ferreira

O Palmeiras venceu o Flamengo por 2 a 1, na prorrogação, e conquistou mais um título de Libertadores para a sua História – a equipe se junta a SPFC, Santos e Grêmio como os clubes com mais troféus levantados na competição.

Herói do título, ao marcar o segundo gol palmeirense aos 4 minutos do primeiro tempo da prorrogação, o atacante Deyverson falou sobre toda sua trajetória no clube até o tento frente ao Flamengo.

“Realmente tive altos e baixos. Eu sei que cometi muitas falhas, mas não culpo ninguém e nunca deixei de trabalhar. Agradeço a todos da minha família e, principalmente, ao meu empresário, que me ajudou muito nesse tempo. Temos que renunciar muitas coisas para chegar nesse patamar”, disse ao final do jogo.

Eleito pela Conmebol o melhor jogador da partida, o centroavante também se mostrou muito agradecido ao técnico Abel Ferreira.

“Foi o meu segundo gol de título, já que eu fiz o do decacampeonato, estou muito feliz. Posso falar do Abel até morrer, ele acreditou em mim. Muita gente não acreditou quando eu voltei, falaram que eu ia trazer dor de cabeça. Assim que cheguei ele conversou comigo e disse que confiava em mim, assim como todo o grupo. Tenho uma gratidão eterna por ele e pelo clube”, declarou.

Deyverson chegou ao seu 29º gol com a camisa do Palmeiras, em 134 partidas disputadas. Contratado em 2017, o jogador ficou emprestado durante um ano e meio (entre janeiro de 2020 até junho de 2021) até retornar ao Verdão.

Deyverson rebate provocações

Além de contar a sua trajetória no clube e agradecer a Abel Ferreira, Deyverson também rebateu algumas análises de parte da mídia tradicional e pediu respeito ao Palmeiras.

“Este gol é de todos, estamos de parabéns pela forma como jogamos contra um adversário muito forte. Era eleito o campeão, todo mundo falava, a imprensa, todos. Aqui é um grupo, uma família. As pessoas que falam muitas coisas [sobre o favoritismo ao Flamengo]. Tem que respeitar o Palmeiras um pouquinho, somos gigantes”, falou.

“Como disseram nos últimos dias, até algumas pessoas no celular falando: “mano, a torcida do Flamengo está maior que a do Palmeiras” [dentro do estádio]. Eu falei: ‘o importante não é quantidade, é a qualidade’”, finalizou.

  • Parabens pela matéria….. #AvantiPalestra.
    Se tiver algum grupo no whatsapp de voces, por favor me adicionem.

    49-98072352

  • Simples assim: pegamos a chave mais difícil que um time brasileiro já pegou na história da Libertadores (nada de Lanús, Olímpia, Chivas Guadalajara…) e não perdemos uma no mata-mata.
    Não tem o que dizer, apenas aplaudir.