Abel diz que Palmeiras foi intenso, se apoia nos números e lamenta empate com Fluminense

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Fluminense, durante partida válida pela quinta rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Ao falar sobre a arbitragem, Abel reclamou da conivência com a cera do Fluminense

Na tarde deste domingo, o Palmeiras recebeu o Fluminense pelo Campeonato Brasileiro e apenas empatou o duelo em 1 a 1. Ao final da partida, o técnico Abel Ferreira citou a intensidade do time durante a partida, pontuou a quantidade de chances criadas e viu o resultado final como injusto.

“Fizemos um bom jogo, com muita intensidade. Entramos fortes. Não queríamos que o jogo fosse parado tantas vezes, mas o árbitro foi conivente. Fizemos o que tínhamos de fazer contra uma equipe que jogou em bloco baixo. Tivemos 21 arremates, criamos oportunidades claras para fazer os gols: uma com o Wesley, com o Dudu… tivemos um grande volume. No segundo tempo o adversário continuou jogando no nosso erro. Por méritos, após tentarmos muito, conseguimos o gol”, disse Abel, que prosseguiu.

“Hoje deveríamos ganhar, mas o futebol nem sempre tem justiça. Criamos o suficiente para sairmos com outro resultado. Mas isso é o futebol, temos que aceitar”.

O gol do Verdão foi marcado por Dudu, aos 26 minutos do segundo tempo, enquanto Germán Cano empatou para o Fluminense. Sobre o gol do adversário, o treinador enfatizou que o Palmeiras não poderia ter sofrido uma transição com o placar favorável.

“O lance do gol deles acontece de um contra-ataque. Tivemos alguns problemas na jogada, mas é uma questão de falar com os jogadores. Não podemos sofrer gols em transição quando estamos à frente do placar. Os atletas que estiveram presentes na jogada sabem que poderiam ter feito melhor, eles são inteligentes. Vamos seguir em frente e aceitar. Não vou gastar muita energia com esse jogo. O adversário veio para não perder o jogo e conseguiu”, declarou.

Abel fala da arbitragem

A arbitragem de Sávio Pereira Sampaio também foi assunto da coletiva. O comandante palmeirense afirmou que, no geral, o juiz se apresentou bem, mas queixou-se da conivência com o antijogo do Fluminense e da falta de profissionalização da arbitragem.

Abel Ferreira e Vitor Castanheira em jogo do Palmeiras contra o Fluminense, durante partida válida pela quinta rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

“Não sei se eles apitam tanto quanto a gente joga, podem estar cansados. Não sei. Não vou falar mais daquilo que está à vista de todo mundo, não podemos ser todos profissionais e eles serem amadores. Quando a CBF profissionalizar os árbitros, tenham a certeza que eles serão muito melhores”, disse.

“No geral achei uma boa arbitragem, acredito que faltou critérios nas faltas e ele deixou que o adversário fizesse o antijogo. Ele deu seis minutos de acréscimos, tinha que ser no mínimo o dobro”, concluiu.

O Palmeiras volta a campo na quarta-feira para enfrentar a Juazeirense, em Londrina-PR, no jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil – o Verdão venceu a ida por 2 a 1, na Arena Barueri.