1
X
1

Pré-Jogo

Pré-jogo Palmeiras x SCCP

Na noite deste sábado, a Sociedade Esportiva Palmeiras recebe o SCCP no Allianz Parque, em jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

As duas equipes chegam ao confronto após vexatórias eliminações na Copa do Brasil no meio da semana. Quem sair derrotado neste confronto terá sérios problemas para a sequência da temporada.

Palmeiras

PalmeirasLesionados: Danilo, Danilo Barbosa, Patrick de Paula, Gabriel Veron e Luan Silva
Covid 19: Gabriel Veron e Michel
Convocados: Weverton, Gustavo Gómez e Viña

Abel Ferreira tem os retornos de Kuscevic, após tratamento de lesão, e de Gabriel Menino, à disposição após período com a seleção olímpica. Cheio de desfalques no meio-campo, Abel deverá recorrer ao atleta, que serve à seleção como lateral direito.

Resta saber quem deixa o time. Menino pode entrar nas vagas de Felipe Melo, Raphael Veiga, Gustavo Scarpa e até de Rony – tudo depende da escolha tática do treinador.

Um possível time para a partida é Jailson; Marcos Rocha, Luan, Renan e Victor Luis; Felipe Melo, Gabriel Menino, Raphael Veiga e Gustavo Scarpa (Rony); Luiz Adriano e Wesley.

SCCP

sccpO SCCP, cujo técnico ainda está tentando pegar a mão do time, tem um importante reforço: Fagner volta ao time após cumprir suspensão na quarta-feira. Com desfalques pouco importantes, Sylvinho terá força máxima no Derby.

Este é o time que deverá entrar em campo esta noite no Allianz Parque: Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Cantillo, Gabriel e Roni; Gustavo Mosquito, Mateus Vital e Luan.

Números

  • O clássico já foi disputado 380 vezes e há equilíbrio – mas a vantagem geral é nossa: 134 vitórias contra 130, com 116 empates;
  • Apesar do equilíbrio nos resultados, damos um banho nos gols marcados: 541 a 495;
  • Em campeonatos brasileiros, os dois rivais já se enfrentaram 62 vezes: 23 vitórias do Verdão, 22 empates e 17 do SCCP;
  • Nos últimos seis confrontos, vencemos 3 e empatamos 3; quatro aconteceram fora de casa e só dois no Allianz Parque;
  • Faça os cruzamentos de dados históricos como quiser usando nosso Almanaque. Clique aqui!

Odds

Nem a eliminação para o CRB tirou o favoritismo do Verdão. Os principais sites de aposta pagarão, em média, para cada real aplicado:

PalmeirasPalmeiras: R$ 1,83
Empate: R$ 3,50
sccpSCCP: R$ 4,33

No calendário

A data é especialíssima, sabemos. O Palmeiras já disputou 14 jogos no dia 12 de junho e só perdeu uma vez. Veja a lista completa clicando neste link.

Projeção de pontos

De acordo com a projeção de pontos feita no início do campeonato, o Palmeiras está cumprindo à risca, mas precisa vencer hoje para seguir nesta condição.

Lei do Ex

Gabriel Lassie já teve a honra de vestir nossa camisa, mas não deu o devido valor.

Arbitragem

Flavio Rodrigues de SouzaÁrbitro Principal:
Flavio Rodrigues de Souza

Rodrigo Guarizo Ferreira do AmaralVAR:
Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Parpite

Recorrendo ao velho clichê, é nas crises que surgem as oportunidades. O Palmeiras vem da eliminação mais vergonhosa dos últimos anos e tem pela frente logo no primeiro jogo o velho rival.

Além da importância dos pontos no campeonato; além do costumeiro sabor de vencê-los; a vitória hoje significa aquela batida de pé no fundo do poço para subir com força total.

Hoje não dá pra saber quanto vai ser, mas tem que dar Palmeiras. E tem que dar com autoridade, de forma impiedosa. Eles têm que pagar pelo que fizeram, pelo que sempre fazem, e até pelo que não fizeram. A sensação após vencer o jogo desta noite tem que ser a de quem não comia há uma semana e se fartou num banquete. Pra cima deles! VAMOS PALMEIRAS!

Transmissão

PFCPFC

Pós-Jogo

Palmeiras 1x1 SCCPCesar Greco

Palmeiras e SCCP empataram o Derby esta noite no Allianz Parque num clássico de nível técnico bastante questionável. O Verdão saiu na frente logo de cara, mas permitiu o empate do adversário no início do segundo tempo.

O resultado desvia o Palmeiras da rota do título; a vitória era obrigatória. É claro que há muitas rodadas ainda pela frente; mas estamos num ponto do campeonato em que não se pode perder pontos para adversários deste nível. O Palmeiras emperrou e precisa reverter essa situação urgentemente para que uma recuperação não se torne cada vez mais impossível.

Primeiro tempo

3'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Rony puxou o contra-ataque pela direita no corredor e cruzou por baixo; João Victor falhou e Wesley pegou a sobra do lado esquerdo; cercado por Fagner, ele girou o corpo e rolou para a chegada de Raphael Veiga, que soltou um foguete no ângulo esquerdo de Cássio.

9'
SCCP

Gustavo Mosquito construiu a jogada pela direita e rolou para Luan na meia; o atacante saiu de Victor Luis e bateu por cima do gol, com algum perigo.

Com a vantagem, o Palmeiras se retraiu, atraindo o adversário para seu campo para armar os contra-ataques. Mas o time não se posicionou corretamente e o adversário tomou conta do jogo, ocupando a intermediária ofensiva e fechando todas as nossas saídas.

30'

Mateus Vital enfiou para Gustavo Mosquito na área; ele dominou, foi fintando para trás mas achou o espaço e bateu – a bola saiu pelo alto, sem perigo.

31'
SCCP

Mateus Vital recebeu na meia esquerda com algum espaço e girou rápido para o gol, colocado, no canto esquerdo de Jailson que fez a ponte e espalmou de forma espetacular.

39'
SCCP

Cantillo enfiou para Gabriel infiltrando na área; cercado por Mayke e Renan, o volante driblou para o lado de fora e bateu de biquinho; Jailson pegou, bem colocado.

42'
Palmeiras

Gustavo Scarpa arrancou em velocidade por dentro, enfiou para Luiz Adriano, que fez a jogada de pivô clássica e devolveu para Scarpa, que bateu de primeira, de curva; Cassio pulou mas a bola passou e beijou o rodapé da trave.

47'

O árbitro, descaradamente parcial, que marcou TODOS os lances a favor do adversário, terminou o primeiro tempo.


Segundo tempo

Os dois times voltaram sem alterações dos vestiários.

2'
Palmeiras

Gustavo Scarpa enfiou para Rony, que entrou em diagonal e tocou para o apoio de Wesley; o camisa 11 enfiou para Luiz Adriano no comando; usando o corpo, o centroavante abriu o espaço e ficou de frente – a finalização veio buscando o canto alto direito, mas saiu por pouco.

7'
SCCP

Fábio Santos bateu falta da meia direita, de média distância; tirou da barreira e mandou na gaveta; Jailson voou e espalmou a escanteio. Defesa sensacional.

9'
SCCP

Gol do SCCP – Na triangulação pela direita, Roni enfiou para Mosquito, que foi ao fundo e tocou para a chegada de Gabriel, que escorou do bico da pequena área para o gol.

11'

Willian entrou no lugar de Luiz Adriano; Breno Lopes entrou na vaga de Wesley.

23'
Palmeiras

Victor Luis recebeu aberto pela esquerda e cruzou; Breno Lopes testou da risca da pequena área, mas João Victor conseguiu desviar e salvou gol certo.

24'
Palmeiras

Depois da cobrança, a bola ficou viva na área e Renan tentou espetar para o gol; a bola resvalou na zaga e sobrou para Willian que tocou por baixo; Cássio explodiu e fez a defesa. Willian estava impedido e a jogada não valia mais, mas Cássio fez nova defesa na sobra, após chute de Veiga.

30'
Palmeiras

Willian enfiou para Rony, que tocou para dentro na saída de Cássio; Breno Lopes chegou disputando com João Victor e a bola sobrou para Willian, que tocou para o gol, mas a jogada foi anulada pelo VAR, porque Rony estava impedido.

40'

Deyverson e Marcos Rocha entraram nos lugares de Rony e Mayke.

 

44'
Palmeiras

Victor Luis recebeu na meia esquerda e arriscou, mas pegou muito mal na bola e mandou por cima.

51'

Flávio Rodrigues de Souza encerrou o clássico.





Fim de jogo

A partida começou de forma perfeita para o Palmeiras. Rony fez a jogada em velocidade pelo corredor e cruzou; depois de Wesley disputar o lance com a zaga e fazer a assistência, Veiga fuzilou e abriu o placar fazendo um golaço. O SCCP precisaria se abrir e nos daria o tão sonhado espaço para os mortais contra-ataques.

Mas o Palmeiras não passou nem perto de ser aquele time costumeiramente letal na transição ofensiva. Travado, sem velocidade, letárgico, o Verdão apenas assistiu ao rival avançar sobre nosso campo de defesa, trocar passes e rondar nossa área, obrigando Jailson a ser nosso melhor jogador em campo – embora a pressão fosse suportável.

O problema é que tomamos pressão de um time extremamente limitado, que se superou em campo apenas motivado pela rivalidade envolvida no confronto. O Palmeiras, que ainda tem ao que aspirar na temporada, parecia sem nenhuma inspiração e abalado pelo fracasso do meio da semana; o adversário, cuja motivação única em 2021 é não ser rebaixado, jogava como se não tivesse sido, como nós,  humilhantemente eliminado da Copa do Brasil no meio da semana.

É verdade que nosso time jogou abalado também pelo trágico falecimento de dois membros do staff muito presentes no dia-a-dia dos jogadores, o podólogo Edson e o segurança Cristiano, que foram vítimas da Covid-19. Talvez isto tenha alguma relação com a apatia generalizada.

O fato é que após abrir vantagem, o time se acomodou em campo. Rony e Wesley se mantiveram muito abertos, buscando uma largura no campo que já não era necessária diante de uma defesa já aberta pela necessidade de buscar o empate. Veiga, Scarpa e até Luiz Adriano não conseguiram ser os arcos para lançar as flechas em velocidade. Nosso time foi extremamente inofensivo, criando apenas mais uma chance de gol no primeiro tempo – a bola de Scarpa na trave, numa jogada de velocidade construída por ele mesmo.

Pouco inspirado, Abel não conseguiu mudar o panorama do jogo no segundo tempo. Luiz Adriano teve a chance de ampliar o placar logo a dois minutos, mas ficou nisso. O empate saiu da única forma possível – em jogada de Gustavo Mosquito sobre Victor Luis – e assim que o placar mostrou 1 a 1 todo mundo já desconfiava que esse seria o placar final, tamanha a limitação dos dois times.

O Palmeiras até chegou ao segundo gol com Willian, mas a jogada foi corretamente anulada por impedimento. Breno Lopes ainda teve uma oportunidade clara no jogo aéreo, mas não aproveitou. Foram apenas cinco jogadas de gol, fato de que Abel se orgulhou na coletiva após o jogo. Parece bem pouco diante de um adversário tão frágil.

Deem-se os devidos descontos. O Palmeiras jogou abarrotado de desfalques importantes; Gustavo Gómez, Viña, Danilo e Patrick fizeram muita falta. O ponto é: continuarão fazendo, já que não há perspectiva de volta tão cedo e o time precisa aprender a se virar sem eles, assim como se virou bem no gol, com uma atuação sensacional de Jailson, extremamente ágil quando foi preciso.

Abel precisa tirar o time deste atoleiro. A parte mais acessível da tabela se oferece ao time agora e não dá mais para perder pontos estúpidos neste início de trajetória, sob pena de repetir a frustrante campanha do campeonato passado. A hora de reagir é agora, sem mais tropeços. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

SCCP

Cássio
Fagner
João Victor
Gil
Fábio Santos
Gabriel
Cantillo
Xavier
Roni
Ramiro
Gustavo Mosquito
Léo Natel
Mateus Vital
Araos
Luan
Sylvinho
TÉCNICO

Notas


Jogador
Descrição
Nota
Jailson
Duas pontes sensacionais que evitaram o pior.
8
Mayke
Partida correta, sem sobressaltos.
6.5
Marcos Rocha
Pouco tempo em campo.
s/n
Luan
Quase não teve trabalho; manteve-se firme.
6
Renan
Um dos mais ativos no primeiro tempo, cobriu bem as passagens de Mosquito sobre Victor Luis. Só não conseguiu bloquear o cruzamento para o gol.
7
Victor Luis
Facilmente envolvido em quase todos os lances.
4.5
Felipe Melo
Segue em fase descendente, muito lento. Mas ao menos foi um dos que mostrou a agressividade e a postura de um Derby.
6.5
Gustavo Scarpa
Um ou outro brilhareco, longe do jogador participativo de costume.
6
Raphael Veiga
Um dos mais sumidos em campo; lento, disperso, parece que sentou em cima do golaço marcado logo no início.
6.5
Rony
Como jogador de transição, ficou aberto demais; como centroavante, não quebrou o galho.
6
Deyverson
Pouco tempo em campo, e não dá nem pra dizer se isso é bom ou ruim.
s/n
Luiz Adriano
Apenas uma participação importante; no mais, só bateu cartão.
6
Willian
Deu mais movimentação e presença de área ao setor ofensivo.
6.5
Wesley
Quase não apareceu em campo, a não ser na jogada do gol.
5.5
Breno Lopes
Pouco acrescentou, muito preso.
5.5
Abel Ferreira
Abel Ferreira
Depois do início arrasador, o time travou e apenas assistiu ao adversário jogar. Como comandante, estava excessivamente apático, sem reação, o que refletiu no comportamento do time em campo.
5





  • O Luxa percebeu que o Felipe Melo não tinha mais fôlego para acompanhar as perseguições no meio campo, por isso tentou efetivá-lo na zaga. O que vejo é que desde que ele voltou a ser titular no meio, sempre perdemos o meio campo e o jogo! Quem dava a nossa velocidade de transição pro ataque é o Patrick de Paula. Enquanto o Abel insistir com ele vamos ladeira abaixo.

    • Perfeito! No jogo contra os gambás basta verificar o que o Felipe Melo NÃO fez. Se não tem outro volante para jogar agora (Danilo, D Barbosa, PK), testa um dos moleques Fabinho, P Bicalho). Ano passado ninguém conhecia o Danilo que entrou e resolveu. Se o F Melo não se lesiona, não tínhamos ganho a Libertadores e C do Brasil!

      • Pior que o Abel, que é, na minha opinião, um dos melhores do Brasil, vai morrer abraçado com o Felipe Melo. Vão mandar ele embora e renovar com o Felipe Melo. Tenho certeza! Todo mundo morre de medo e de amores pelo Felipe Melo lá. Impressionante.

    • Perfeito. Mas o Abel prefere os “experientes” aos moleques, é o estilo dele. O Ramires, se não pedisse pra sair, certamente seria titular.

    • Felipe Melo devia ser apenas uma opção para jogar meio tempo como líbero e fechar a casinha tipo um 3-5-2, 4-1-4-1.

      Ontem era para ter entrado o Pedro Bicalho no lugar de um dos meias para reforçar a marcação. Era nítido que a única chance dos gambás era pelo lado direito. E deu no que deu!

      Pra mim a sua análise foi cirúrgica.

    • Leitura idêntica, ele voltou a ser titular e o time desandou, os jogos que ele entrou no 2º tempo foi muito mais útil e deveria voltar a ser dessa forma. Só acho que no caso de ontem (sem os Danilos e o Patrick de Paula), ou o Abel deveria ter tentado o Menino para reforçar a marcação, ou tirado um dos 2 meias ou um dos 3 atacantes. O óbvio é que só o FM na marcação, ela praticamente não existe pela parte física dele.

  • O ciclo de Abel está chegando ao fim. É nítido o desgaste entre Abel e a diretoria pelos reforços não atendidos. Basta ver sua passividade no banco agora, não vibra, não se agita e não xinga mais.
    Os meses de solidão afastado da família devem pesar muito.
    Que venha Sebastian Becacece!
    Obrigado Abel,fim de um ciclo.

    • Cara realmente não acredito que está falando isso, o cara já provou que é bom, vibrante, noque temos que fazer é precionar a diretoria, não o técnico, não se tira leite de pedra todo ano, ele fez milagre em ganhar esses títulos, agora precisa do apoio dia torcedores contra essa diretoria omissa. Acorda mano.

    • Concordo, tb avalio q o ciclo do Abel se encerrou. Esta nítido na postura dele e dos jogadores. Só não acredito q se ele sair venha algum treinador de destaque, provavelmente iríamos de Cebola até o fim da temporada (ou Gordiola). Galiotte já está na história como um dos presidentes mais vencedores, o foco dele esse ano é entregar o clube equilibrado financeiramente, o desempenho esportivo fica em segundo plano.

    • Infelizmente o Palmeiras é um balcão de negócios. Os contratos longos e caros dos “Lucas Limas” da vida são o maior problema. O salário alto impede de usar a grana pra pagar outros jogadores e quem investiu na contratação, com certeza fica pressionando pro cara jogar, até pra ver se consegue algum lampejo de craque que possa motivar a venda pra outro clube e com isso recuperar o investimento.
      Pro treinador é quase que a mesma situação de um obeso q tenta correr uma maratona… Tudo é dificil, pq tem q carregar um peso extra o tempo todo.
      A sequencia de técnicos que já passaram e pegaram essa bomba, fica claro que o problema não é o treineiro, mas sim a máfia, dentro e fora do vestiário.
      Pena se perder o Abel, pois embora inexperiente, possui a garra necessária pra poder vencer, basta deixá-lo trabalhar.

  • Já há alguns jogos que o time está passivo em campo e o Abel passivo no banco. Não sei se aconteceu alguma coisa nos bastidores ou se é apenas o desgaste natural entre elenco e treinador em time grande que perde confrontos decisivos em sequência. Os próximos jogos vão ser fundamentais pra ver se vai ser possível reverter esse quadro ou se será necessário mudanças.

  • Desde 2017 o ciclo é esse aqui: chega um técnico, temos alguns meses de bom futebol e depois uma vertiginosa queda de produção. A diretoria demite o técnico, contrata outro e milagrosamente o futebol aparece, ilude a torcida e assim vai. O nosso time tem que sofrer uma reformulação monstruosa de elenco. Sempre os mesmos que derrubam os técnicos. E o Abel infelizmente tá caminhando pra ser o próximo – apesar de várias falhas em suas escolhas.

  • O que está acontecendo com esse time. Impressionante que se supera negativamente a cada jogo. Resultado de empate num Derby é normal, mas contra esse time do gambá e da forma que o jogo transcorreu é um absurdo (os gambás chegaram a jogar um pouco melhor). E me parece preocupante as reações do Abel a cada jogo, me parece bem estranho. Enfim, o time realmente desandou, não tem uma forma de jogar definida com performance razoável e vai colecionando tropeços bobos. Vamos ver o que nos aguarda com essa diretoria pitoresca.

  • Essa passividade do time incomoda muito. Deixou as galinhas tocarem bola a vontade no ataque, á espera de um contra ataque. O que mais deixa o torcedor puto não é uma eliminação ou um vice campeonato… é esse futebol nojento que o Palmeiras jogou contra bambi e gambá. A nossa sorte hj é que o time deles é uma bosta, se não fosse a gente tava fudido

  • Tenho feito essa pergunta em diversos sites da mídia palestrina e ninguém soube me responder: alguém tem alguma notícia do Luan Silva? O Verdazzo é o único q sempre o coloca como desfalque.