4
X
2

A avalanche de gols despejada pelo Palmeiras no final do primeiro tempo é mais um elemento de construção deste time como Terceira Academia no imaginário do torcedor palmeirense. Os “quatro gols em sete minutos contra o Atlético-GO” serão lembrados por décadas.

Parecia um jogo ordinário, daqueles em que o time pequeno vem para o Allianz Parque quebrar o ritmo do jogo para tentar beliscar um resultado improvável. Depois de um gol sofrido após uma sequência bizarra de erros de Luan, aos 29 minutos, a cera do time goiano já tinha atingido níveis extremos na escala da vergonha.

Mas foi num lance iniciado pelo próprio Luan que tudo começou a se inverter – o lançamento longo em diagonal achou Gabriel Veron em excelente posição e o ponteiro executou a jogada, desde a matada até o centro, com perfeição; a conclusão de Zé Rafael foi simples e perfeita, girando o corpo rápido e espetando a bola no vazio, fora do alcance do goleiro.

A raiva que o torcedor estava sentindo da cera dos goianos foi canalizada num sentimento que só a arquibancada proporciona. A energia transmitida aos jogadores logo após o primeiro gol, sob o canto do “time da virada”, seria capaz de lançar um foguete. Era possível sentir o cheiro do medo dos jogadores do Atlético pouco antes de Gustavo Scarpa bater o escanteio que deu origem ao segundo gol. E a belíssima construção do gol de Scarpa, seguida por uma comemoração incomum dos próprios jogadores, fez do terceiro gol uma apoteose inesquecível. Tudo o que está descrito nestes dois parágrafos durou apenas três minutos.

O quarto gol veio quatro minutos depois, e se o primeiro tempo não terminasse logo na sequência, os gols continuariam saindo. O adversário estava absolutamente nocauteado, era como se só houvesse jogadores de verde no campo. Uma descomunal demonstração de força.

O segundo tempo foi apenas protocolar, e os presentes ao Allianz Parque nem se incomodaram – ao contrário, todos curtíamos estar vendo aquele time em campo. Os sete minutos do massacre valeram cada segundo da jornada do torcedor, desde a saída de casa no início da tarde, até a volta, à noite.

Abel Ferreira optou por usar Gustavo Gómez na lateral, no lugar de Marcos Rocha, já que Mayke ainda voltava de lesão. Uma das ideias do treinador foi aumentar a altura do time nas bolas paradas – e ao que parece, deu certo, embora nas jogadas trabalhadas o desempenho tenha sido obviamente inferior.

Luan precisou de muita concentração para apagar a sequência desastrada que deu origem ao primeiro gol do Atlético e seguir em frente – foi recompensado com duas participações nos gols da avalanche; mas a pecha da “má sorte” foi reforçada no imaginário da torcida e o camisa 13 vai precisar de uma nova longa sequência sem erros para ter um pouco de paz.

Com Danilo apagado, Zé Rafael foi novamente o grande nome do meio-campo, participando efetivamente de boa parte das construções ofensivas. Gustavo Scarpa, cada vez mais avançado e caindo pelas beiradas, puxa marcadores e abre o espaço para o brilho do camisa 8, que completou 29 anos em grande estilo.

O grande nome do jogo não marcou gols – Gabriel Veron, que podia muito bem estar se desenvolvendo no ótimo time sub-20 do Palmeiras, já que ainda tem apenas 19 anos, fez uma de suas melhores partidas com a camisa do Verdão, em sua terceira temporada entre os profissionais. Rápido, habilidoso e com cada vez mais inteligência esportiva, Veron vai se tornando a realidade que todos imaginávamos vendo-o sobrar nas categorias de base entre 2018 e 2019.

Sabemos o quanto as coisas mudam rápido no futebol; uma sequência de jogos importantes, como a dobradinha no Morumbi da próxima semana, pode deflagrar uma espiral negativa em caso de maus resultados. Mas a bola que este time vem jogando e o respeito que isso impõe nos adversários e na imprensa não sugerem que isso tenha grandes chances de acontecer.

Pelo sim, pelo não, é sempre bom manter os pés no chão. Mas isso não pode nos impedir de curtir demais este momento esplendoroso proporcionado pelo Palmeiras. Juntos, sempre, na boa e na ruim. Mas na boa, como agora, é prazeroso demais. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

38.888

R$ 2.130.126,80

Ramon Abatti Abel

Escalação

Atlético-GO

Ronaldo
Hayner
Edson Felipe
Ramon
Jefferson
Arthur Henrique
Marlon Freitas
Lucas Lima
Baralhas
Edson Fernandes
Wellington Rato
Jorginho
Léo Pereira
Luiz Fernando
Airton
Diego Churín
Jorginho Amorim
TÉCNICO


Primeiro tempo

6'
Palmeiras

Lançado por Dudu, Gustavo Scarpa evitou a saída pela lateral e cruzou no primeiro pau para Rony; Ramon fechou bem o primeiro pau e evitou que o camisa 10 escorasse para o gol.

7'
Palmeiras

Murilo lançou Piquerez, que bateu do bico da área, para defesa de Ronaldo.

8'
Palmeiras

Dudu bateu lateral rápido para Gustavo Scarpa, que avançou por dentro e disparou um míssil de média distância – Ronaldo só torceu e a bola saiu à direita do gol.

12'
Palmeiras

O Palmeiras girou a bola com paciência até ela chegar em Gabriel Veron, que arrancou em direção à área e disparou, para defesa de Ronaldo.

28'
Atlético-GO

Gol do Atlético – Luan errou na saída de bola; o contra-ataque veio rápido pela direita e Wellington Rato cruzou; Luan disputou com Churín e testou contra; Weverton raspou e a bola bateu no travessão; o próprio Churín aproveitou o rebote e escorou na dividida com Gómez; Weverton estava na bola mas Luan tentou tirar na acrobacia e desviou para as redes.

41'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Luan começou a se reabilitar com um grande lançamento em diagonal da direita para a esquerda; Gabriel Veron recolheu e centrou para Zé Rafael, que girou de primeira e guardou no canto esquerdo de Ronaldo.

43'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Gustavo Scarpa bateu escanteio da direita; Luan desviou no primeiro pau e Gustavo Gómez mergulhou no segundo para decretar a virada.

44'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Dudu recolheu por dentro e esperou a movimentação para fazer o toque perfeito para Gabriel Veron, que percebeu a entrada de Scarpa por dentro e tocou de três dedos; Scarpa apenas escorou de chapa no contrapé do goleiro, junto à trave direita, e fez o terceiro.

48'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Rony testou no primeiro pau; Ronaldo defendeu como pôde e Gustavo Gómez pegou a sobra embaixo das traves para fazer o quarto.

49'

Ramon Abatti, perdido com a cera do Atlético, encerrou o primeiro tempo.


Segundo tempo

O Palmeiras voltou sem alterações para o segundo tempo.

7'
Palmeiras

Após jogada ensaiada de escanteio pela esqueda, a bola chegou no segundo pau a Dudu, que tocou de calcanhar para Danilo, que fez linda jogada individual tirando dois marcadores e disparou; a bola bateu em Edson Felipe e saiu em novo escanteio.

9'
Palmeiras

Rony aproveitou bola mal recuada e acionou Dudu, que bateu fechado demais e facilitou para o goleiro.

14'

Substituições no Palmeiras: Dudu, Gabriel Veron e Gustavo Scarpa descansam; entraram Wesley, Breno Lopes e Atuesta.

16'
Palmeiras

Após roubada de bola de Murilo, Zé Rafael acionou Wesley pela esquerda; o cruzamento veio por baixo e Breno Lopes escorou para as redes, mas estava impedido.

23'

Entraram Mayke e Gabriel Menino, saíram Luan e Danilo.

26'
Palmeiras

Após escanteio rebatido pela zaga, Piquerez pegou a sobra na frente da área e tentou bater colocado – a bola saiu raspando a forquilha esquerda de Ronaldo.

29'

Edson Felipe recuou no fogo e Breno Lopes ia disparando em direção ao gol, quando acabou sofrendo falta de Arthur Henrique, que era o último homem. O árbitro expulsou direto o 15 no Atlético.

31'
Palmeiras

Atuesta recebeu de Mayke e bateu fraquinho, com o lado interno do pé, fácil para Ronaldo.

32'
Palmeiras

Mayke acionou Breno Lopes, que bateu rasteiro, cruzado – Rony deu o carrinho e quase alcançou, mas a bola saiu pela linha de fundo.

33'
Atlético-GO

Gol do Atlético – Após falta batida da direita, Weverton trombou com Gustavo Gómez e Diego Churín testou para o gol vazio, diminuindo o placar.

43'
Palmeiras

Após cruzamento da direita, Wesley subiu no segundo pau e testou para defesa firme de Ronaldo.

46'
Palmeiras

Piquerez deu lindo passe para Wesley dentro da área – ele teve tempo de dominar, enquadrar o corpo e bateu de curva; a bola passou raspando a trave esquerda de Ronaldo.

48'
Palmeiras

Atuesta cruzou; a bola resvalou na zaga e ficou pendurada, na medida para Rony emendar a bicicleta, que mais uma vez não pegou em cheio. O estádio ficou consternado!

49'

O fraquíssimo Ramon Abatti Abel encerrou o jogo.



Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Afobado no lance do segundo gol, acabou errando o soco e trombou com Gustavo Gómez.
6.5
Gustavo Gómez
Fez o sacrifício de jogar como lateral, e aproveitou bem a presença na área adversária nas bolas paradas para anotar dois gols. O desempenho como lateral apoiador, claro, foi sofrível.
9
Luan
Deu uma boa demonstração de recuperação mental para superar os erros no primeiro gol do adversário. Participou de forma decisiva em dois gols lá na frente.
6.5
Mayke
Não se sabe se teria gás para 90 minutos, mas entrou bem demais no segundo tempo, apoiando com muita qualidade.
7
Murilo
Discreto, completou de forma correta o sistema defensivo.
6.5
Piquerez
Vem crescendo de maneira notável, cada vez mais sólido no setor.
7.5
Danilo
Mais uma partida abaixo do normal depois da passagem pela seleção. Precisa acordar.
6
Gabriel Menino
Aparenta estar muito a fim de jogo. A cabeça parece que finalmente voltou a ficar no lugar certo.
7.5
Zé Rafael
Comemorou 29 anos com um belo gol e com muita presença no meio-campo.
7.5
Dudu
Não teve muitas participações; meio sem querer, serviu mais de isca para preocupar a defesa do Atlético enquanto Veron acabava sendo mais acionado.
7
Wesley
Empolgado com o gol das pedaladas da semana anterior, acabou sendo muito fominha.
6
Gustavo Scarpa
Sofreu um pênalti não marcado pela arbitragem, bateu dois escanteios que deram em gol e ainda fez o seu, vibrando como nunca. Que fase!
8.5
Atuesta
Pode ser mais vibrante, acompanhando o ritmo do time.
6
Gabriel Veron
Com apenas 19 anos, está próximo de romper a marca de 100 jogos pelo Palmeiras e segue em evolução. Brilhou intensamente mais uma vez e foi o melhor do time.
9
Breno Lopes
Foi uma excelente opção de velocidade - foi tão rápido que ficou impedido no lance que poderia ter sido o quinto gol.
7
Rony
No momento em que o Palmeiras anuncia a contratação de mais um centroavante, Rony evolui demais como NOVE. E o gol de bike está muito maduro.
7
Abel Ferreira
Abel Ferreira
Este senhor é uma coisa muito séria. O trabalho macro, no dia-a-dia, é muito mais importante que o que ele faz a cada jogo. E só atinge esse estágio quem é muito acima da média.
7.5