0
X
0

31/07/2021 - 19:00

Em instantes!

Ficha Técnica

Crônica do jogo

O maior erro do Palmeiras foi não ter conseguido armar as duas linhas de marcação de forma mais compacta. A distância entre elas permitiu que o meio-campo do SPFC criasse com muita liberdade, o que gerou dois efeitos indesejados.

O primeiro, claro, a construção ofensiva do adversário, que posicionou dois jogadores velozes entre nossos zagueiros e constantemente eram acionados através do velho “facão”. Rigoni e Marquinhos, acionados constantemente por Sara, Igor Gomes e Nestor, deram trabalho para nossa defesa, que estava muito exposta.

O segundo foi a ausência completa das roubadas de bola na intermediária, que tanto nos ajudam a criar as jogadas mortais de contra-ataques. O Palmeiras esteve longe de ser o time traiçoeiro que tanto machuca as defesas adversárias.

O Palmeiras só recuperava as bolas lá atrás, e os lançamentos rápidos buscando Deyverson não funcionavam porque a transição ofensiva não acompanhava a rapidez desses lançamentos. Deyverson se esforçou para escorar as bolas, ou amortecê-las para tentar ligar com a velocidade de Wesley, mas nada aconteceu porque o Palmeiras só recuperava a bola muito atrás e não dava tempo dos avantes partirem em velocidade. Nem se todos tivessem aquele famoso foguetinho no traseiro.

Assim, o Palmeiras ficou refém de sua própria inoperância. O SPFC não fez nada de extraordinário e apenas jogou o jogo que o Palmeiras lhe propôs.

As jogadas “polêmicas” foram todas corretas. O gol de Rigoni estava claramente impedido. O pênalti foi uma evidente encenação de Marquinhos.

O lance do gol anulado no final do jogo foi mais difícil, mas basta observar que Miranda, impedido, disputa a bola com Patrick de Paula. A bola desvia levemente em nosso camisa 5, o que tira Gustavo Gómez do movimento correto – com isso, o paraguaio perde o controle da jogada e apenas resvala na bola, tirando de Weverton. Uma sequência de irregularidades que nem deveria ter existido, já que a falta que originou tudo isso sequer aconteceu.

Abel relativizou a partida ruim e valorizou o fato do time não ter sofrido gols. Mas o fato é que eles estiveram muito próximos de ter acontecido – e o mesmo não foi observado em nosso ataque. Não foi um bom jogo, absolutamente.

O lado bom de tudo isso é que o time acende a luz amarela de atenção total. É preciso buscar um melhor encaixe. Estudar muito nosso comportamento diante do adversário e entender por que não conseguimos compactar nossas linhas.

Enquanto isso, o outro lado vai centrar fogo na arbitragem e acharque está tudo certo do lado deles. Vão continuar se desgastando em outras competições e ainda precisam fugir da zona do rebaixamento. Pode não parecer, mas tudo está apenas em nossas mãos. Confiança total e VAMOS PALMEIRAS!

Escalação

SPFC

Tiago Volpi
Igor Vinicius
Miranda
Léo Pelé
Reinaldo
Rodrigo Nestor
Talles Costa
Liziero
Gabriel Sara
Igor Gomes
Rigoni
Marquinhos
Joao Rojas
Hernán Crespo
TÉCNICO


Primeiro tempo

4'
SPFC

Rigoni recebeu de Igor Vinicius na direita, passou por Renan, trouxe para a perna esquerda e bateu de fora, buscando o ângulo direito de Weverton, mas errou o alvo.

8'
Palmeiras

Em cobrança de falta da direita, Gustavo Scarpa rolou para Raphael Veiga, que tentou a finalização do bico da área mas pegou fraco na bola, que saiu à esquerda do gol.

11'
Palmeiras

Renan lançou Deyverson, isolado; o camisa 16 viu Volpi adiantado e tentou o gol de cobertura, obrigando o goleiro adversário a espalmar a escanteio.

12'
Palmeiras

Wesley enfiou para Zé Rafael na área; na tentativa de enfiada, Igor Vinicius rebateu mal e Wesley pegou na meia-lua para chutar colocado, para mais uma defesa de Tiago Volpi.

25'
SPFC

Rodrigo Nestor lançou para Rigoni na meia direita; o argentino amorteceu no peito, entrou na área e tocou no canto direito, na saída de Weverton – o gol foi anulado por impedimento de Rigoni, corretamente.

35'
SPFC

Após lançamento na área em direção a Marquinhos, Felipe Melo falhou e Gustavo Gómez, na cobertura, teve contato com o atacante do SPFC, que se desmanchou na área. Luiz Flávio marcou pênalti, o VAR o chamou e, depois da conferência, anulou a marcação.

44'
SPFC

Rigoni passou por Renan e cruzou na área; a bola foi desviada no meio do caminho por Igor Vinicius e Reinaldo fechou no segundo pau para cabecear para o gol, mas fraco, fácil para Weverton.

49'

Com pouco tempo de acréscimo, Luiz Flávio, salvo pelo bandeirinha e pelo VAR, encerrou o primeiro tempo.


Segundo tempo

As duas equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo.

10'
Palmeiras

Gustavo Scarpa recebeu na meia de costas para o gol, girou em cima de Reinaldo e bateu rasteiro, mas a bola saiu à esquerda do gol.

13'

Breno Lopes e Gabriel Veron entraram nos lugares de Wesley e Gustavo Scarpa.

16'
SPFC

Rigoni bateu da intermediária; Weverton fazia a defesa em dois tempos mas Gabriel Sara acabou atingindo nosso goleiro.

17'
Palmeiras

Weverton repôs a bola, que passou pela defesa do adversário e se ofereceu para a velocidade de Breno Lopes – o camisa 19 tentou desviar de Volpi, que cresceu e evitou o gol.

19'
Palmeiras

Gabriel Veron construiu o ataque pelo chão, progredindo em diagonal, e ligou com Breno Lopes, que trouxe para o pé direito e bateu forte, por cima do gol.

25'
SPFC

Reinaldo ligou com Igor Gomes, que arriscou da intermediária, com força – a bola saiu pelo alto.

36'

Patrick de Paula entrou no lugar de Danilo; Willian no de Deyverson.

 

39'

Victor Luis entrou no lugar de Raphael Veiga.

 

43'
SPFC

Reinaldo bateu falta (que não existiu) da direita; Gustavo Gómez errou a cabeçada e raspou na bola, tirando de Weverton e colocando a bola no canto direito.  No lance, Miranda, que estava impedido, disputou com Patrick de Paula, que tocou levemente na bola e influenciou no erro de Gómez. O juiz deu gol, mas o VAR mais uma vez interferiu e corrigiu a marcação.

54'

Luiz Flávio, que deve agradecer ao VAR por salvar sua arbitragem, encerrou o jogo.



Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Não fez grandes defesas; no lance em que a bola entrou, ela foi desviada para trás muito em cima - nada a fazer.
6
Marcos Rocha
Com um atacante rápido no setor, teve que se preocupar em ajudar Felipe Melo - no que fez muito bem.
7
Felipe Melo
Exposto, foi bombardeado. Tirou várias, mas acabou falhando feio no lance do pênalti revertido.
6
Gustavo Gómez
Não fez pênalti; não errou a cabeçada - a bola desviou no Patrick antes. Se não errou nada, só contam as dezenas de bolas rechaçadas.
7.5
Renan
Teve trabalho com o tal de Rigoni; perdeu algumas, ganhou outras.
6
Victor Luis
Foi xingado por metade da torcida no lance do gol anulado - daí todos perceberam que não tinha sido ele.
s/n
Zé Rafael
Mesmo mal posicionado, ainda conseguiu criar uma ou outra situação. Mas foi bem abaixo do que vinha jogando.
6
Danilo
Travado, não conseguiu ligar rápido nossos ataques e acabou envolvido.
5.5
Patrick de Paula
Pouco tempo em campo.
s/n
Raphael Veiga
Fraco, um dos responsáveis pela atuação discreta da primeira linha.
5.5
Gustavo Scarpa
Não defendeu e não atacou. Partida para se lembrar sempre - de como não jogar.
5
Gabriel Veron
Parece realmente mais forte. A ver.
6
Wesley
Escondido, não esteve nem perto de participar do jogo de forma criativa e de preocupar o setor direito do adversário.
5
Breno Lopes
Um pouco melhor que Wesley, mas só um pouco.
5.5
Deyverson
Esforçou-se bastante, mas acabou sofrendo por estar muito isolado. Só recebeu bolas longas sem ter ninguém encostando.
6
Willian
Mal pegou na bola.
s/n
Abel Ferreira
Abel Ferreira
Não passou nem perto de resolver o problema da distância entre as linhas já detectável no primeiro tempo.
5




  • Se não fosse pelo VAR, Luiz Flavio de Oliveira teria prejudicado o Palmeiras mais uma vez assinalando um pênalti que não existiu, e no gol que foi anulado ele inventou uma falta pro SPFC que nenhum juiz marcaria. Acho que se o VAR existisse desde 2000 pelo menos o Rogerio Ceni jamais chegaria a 100 gols, o que teve de pênalti mandraque que o Ceni fez não ta no gibi!

    • Um desses pênaltis mandraques foi o que nos eliminou da libertadores de 2006. Não bastassem os pênaltis, o que tiveram de gols impedidos validados naquele tri brasileiro é inacreditável! Na época do parmerista o Conrado chegou a fazer um dossiê sobre isso.

  • Este time é um time sem graça que só de ouvir a escalação já dá nojo. É volpi, léo pelé, sara, arboleda… Mas contra o Palmeiras eles parecem que acharam um jeito de jogar e querem jogar a qualquer custo. Abel precisa achar uma forma de dar um abafa neles na libertadores. Chuveirinho na área e contra-ataque não vai funcionar. Palmeiras têm mais time mas precisa fazer algo diferente. Quem sabe colocando três atacantes apertando os três zagueiros deles….