Palmeiras reage e, quem diria, agora só há espaço para otimismo

Palmeiras 1x0 Ponte Preta
Cesar Greco

Os quatro jogos preocupantes da reta final do Paulista passaram relativamente alheios às críticas, pelo caráter decisivo que tinham. O time venceu o estadual e a alegria mascarou os problemas.

Seguiram-se mais três jogos muito ruins na largada do Brasileiro e não teve mais como tapar o sol com a peneira. Afinal, não eram apenas três jogos, e sim toda uma sequência, desde a volta da paralisação, em que o time tinha feito apenas um jogo realmente bom – justamente o que perdeu, no Itaquerão.

Nem a vitória arrancada no último lance contra o Athletico-PR aliviou a preocupação com o futebol pobre de recursos, de inspiração e de proposta.

Na coletiva pós-jogo, em Curitiba, Luxemburgo piorou a situação ao revelar que de fato proibiu que Marcos Rocha descesse ao ataque, configurando uma covardia inaceitável que explica em muito a falta de pegada no ataque.

Tudo mudou, e rápido

Palmeiras 2x1 Santos
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

No clássico contra o Santos, tudo mudou. O time, mesmo enfrentando um adversário com atacantes velozes como Marinho e Soteldo, não se furtou a usar os laterais para atacar. A cobertura funcionou e o time permaneceu equilibrado.

A atitude dos jogadores, que passaram a dividir o foco entre ataque e defesa, e não só em não levar gols, também mudou. E com isso veio a inspiração para produzir. Bruno Henrique e Lucas Lima fizeram suas melhores partidas no ano e responderam às justas críticas que vinham recebendo.

Dois dos quatro pontos perdidos nos empates contra Fluminense e Goiás foram recuperados na inesperada vitória em Curitiba. O Palmeiras está em quarto lugar na classificação geral, com um jogo a menos; está em terceiro em pontos perdidos, com os líderes a uma rodada de alcance.

O time que há dez dias não ganhava de ninguém da Série A e que tinha que se preocupar com o rebaixamento porque não estava dando o menor sinal de reação é hoje um real aspirante ao título.

O que melhorou

Copertino e Luxemburgo
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

A mudança na proposta de jogo de Luxa e da comissão técnica foi fundamental para a melhora na atitude de jogadores que vinham jogando amuados.

O estupendo rendimento técnico de Patrick de Paula é um diferencial à parte. O moleque está voando e certamente é um dos melhores, se não o melhor, jogador do campeonato.

Vamos torcer para que ele também saiba tirar a badalação de letra, como o fez com o peso da camisa e com a pressão de jogar clássicos e decisões.

A força do elenco começa a ser notada. Perdemos Marcos Rocha no primeiro tempo e entrou Mayke, que mesmo sem ritmo conseguiu segurar a barra. Do outro lado, Marinho precisou sair e o poder ofensivo do Santos minguou.

O que não teve nada a ver

A pressão estúpida feita em aeroporto e nas redes sociais certamente não influenciou em nada na mudança de atitude.

Jogador gosta de contato, real ou virtual, e aceita a cobrança quando ela é feita com respeito. Essa, feita com as mesmas palavras que seriam usadas num encontro casual, funciona.

Xingamentos e ameaças funcionam exatamente ao contrário e só desmotivam a performance. Dá para dizer que o Palmeiras reagiu APESAR dessas cobranças, jamais POR CAUSA delas.

Com a comissão técnica reajustando a proposta, com os jogadores renovando a motivação, tudo melhora. Se a torcida ajustar o tom da cobrança, que pode e deve ser dura, mas sem perder o respeito, teremos uma harmonia difícil de ser batida.

O que ainda pode melhorar

Athletico-PR 0x1 Palmeiras
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

Este primeiro passo na reação nos anima a pensar nos próximos.

Nosso time ainda precisa de uma série de ajustes. A bola parada defensiva tem sido um problema. A ofensiva também não tem sido lá grande coisa.

Se as roubadas de bola no campo ofensivo têm rendido ótimos lances, a puxada de contra-ataques ainda parece muito descoordenada. Não conseguimos aproveitar as roubadas de bola no campo de defesa, com espaço no campo adversário.

Com o resultado na mão, é preciso saber segurar a vantagem. A bola ficou demais no pé do Santos nos 15 minutos finais. O mesmo aconteceu na final do estadual. O Palmeiras precisa reaprender a segurar a bola, colocar o adversário na roda, cavar faltas e fazer o relógio andar.

Preocupa também a sucessão de lesões musculares recentes. Nos últimos 30 dias, foram quatro (Luan Silva, Gabriel Veron, Felipe Melo e Marcos Rocha). No ano de 2019 inteiro, foram dez.

A comissão técnica pode pensar mais para a frente em tentar desenvolver – se o calendário permitir – um sistema mais desenvolvido e menos previsível de jogo. Mas antes precisa resolver o que é simples e seguir ganhando pontos.

Estamos numa posição interessante na tabela, com um dos elencos mais profícuos do campeonato e em evolução. A comissão técnica voltou a ficar firme no cargo. Vemos os principais adversários acumularem problemas. Hoje, só há espaço para otimismo, algo inimaginável há poucos dias.

No futebol, como sempre, as coisas mudam muito rápido.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.

  • Não é por nada não, mas eu falei por aqui que devíamos mudar o esquema tático pra um 4-4-2… Ou seja, o Luxa me ouviu e deu certo.
    kkkkkkk
    eu >>>> Luxa

  • Hoje minha principal preocupação é um eventual negócio do Patrik. Existe algo que possamos fazer pra mostrar que precisamos dele?

  • Eu acho que temos totais condições de ser campeões, o Luxa parece que pegou a mão do elenco, acho que vamos ter dificuldades em furar retrancas mas contra times que jogam e deixam jogar podemos sair triunfantes como foi o caso do clássico contra o santos que veio pra cima e deu espaços , os grandes concorrentes ao titulo brasileiro são flamidia e inter, o inter perdeu o principal jogador e o flamidia tem um professor pardal no comando que duvido que continue no comando até o final do ano.

  • As cobranças foram gerais da torcida, quando lançou a camisa nova nas redes sociais a maioria dos comentários faziam alusão ao futebol feio do time, se essas críticas mais lúcidas tivessem tanta repercussão quanto as agressivas feitas por uma minoria, os jogadores teriam “entendido” como o torcedor estava se sentindo

    Gustavo Scarpa ainda tem que acordar, rony ainda parece um Maykon Leite…

    A carência por promessas e talvez ídolos tem potencial de terminar com Patrick de Paula e o Gabriel Menino

    William e Luiz Adriano são ótimos, se o lucas lima realmente acordou nós temos time

  • Boa tarde. Tambem estou confiante! Acho que nosso elenco pode fazer novamente toda a diferença neste calendario muito apertado! Como foi dito no post, futebol tudo muda muito rapido. Até semana pasada estava no face cuspindo fogo nos jogadores kkkkk

  • E ainda dá para somar a tudo isso o fato do técnico não ter perdido a mão do elenco.

    Os jogadores estão visivelmente atentos às instruções, sem intrigas e melindres via imprensa, colocando muito empenho quando estão em campo.

    Curiosamente o único jogador que recebeu um “recado” do Luxa foi Alanzinho. O professor disse que o garoto precisa mostrar nos treinamentos que deve ser escalado. Ou seja: não está mostrando (neste momento, pelo menos).

    Por isso chega a ser risível o nonsense da turba ensandecida gritando para demitir todos os meias e escalar….. Alanzinho.

    E nesse Luxa – interessado, aguerrido – eu tenho fé.

  • no meu entendimento:

    1. treinador estava experimentando uma ideia e percebeu que não haveria tempo de rotar a experiencia inteira (seria demitido antes).
    2. pôs em campo conceitos já mais consolidados e de comprovada eficácia.
    3. mesmo com a falta de fluência de jogos anteriores, fomos roubados contra TAP e contra Goiás: ambos os gols de empate nasceram de irregularidades.
    4. Nosso treinador é um dos melhores de todos os tempos em todo o mundo.
    — No ranking de treinadores com mais jogos dirigindo nosso time, ele é 2o colocado, perdendo só para OSWALDO BRANDÃO.
    — E ele é o treinador que mais vezes dirigiu nosso time em conquistas de canecos.
    — Tudo isso tem de ser levado em conta.

    #ForzaLucsemburgo
    #VamosPalmeiras

    • corrigindo: Lucsemburgo é o terceiro que mais dirigiu o Palmeiras, atrás de Brandão e de Felipão, segundo o Almanaque Verdazzo!

  • “Dá para dizer que o Palmeiras reagiu APESAR dessas cobranças, jamais POR CAUSA delas.”
    Melhor frase do texto!!!