Nos confrontos diretos, o Palmeiras leva vantagem em quase todos

SCCP 0x1 Palmeiras
Cesar Greco/Ag.Palmeiras

Em mais de 104 anos de História, o Palmeiras consolidou-se como o maior vencedor de títulos nacionais. Os fatos estão escritos e documentados; só nega quem tem necessidade de auto-afirmação.

Essa supremacia foi construída jogo a jogo e pode ser constatada nas estatísticas, disponíveis na seção Almanaque do Verdazzo.

O Palmeiras leva vantagem nos confrontos diretos contra quase todos os adversários que já enfrentou, mesmo tendo passado por dois longos períodos de graves crises política e administrativa em sua trajetória – que refletiram em times muito ruins e anos de depressão técnica.

A seguir, o Verdazzo traz um levantamento dos confrontos diretos contra as principais camisas do país. Os números estão em total sintonia com a contagem oficial do Palmeiras, que nem sempre batem com os números dos adversários, por divergências nos critérios para validar as partidas.

Clássicos paulistas

A vantagem contra o neo-inimigo SCCP é apertada, de apenas duas vitórias, mas segue sendo sustentada há muito tempo. O clube que já foi nosso maior rival, entretanto, vem conseguindo diminuir a diferença nos últimos jogos: quando não conta com uma inacreditável sorte, chega aos resultados, a olhos vistos, usando métodos escusos.

Já o Santos é nosso maior freguês: as 140 vitórias nos dão uma inalcançável margem de 34 triunfos, com Pelé e tudo. Freguês eterno; nada pode ser menor.

A vantagem do SPFC já foi bem maior, fruto dos períodos de estiagem que atravessamos. Mas nos últimos anos a diferença está se deteriorando; após o jogo de ontem, caiu para apenas três vitórias (no saldo de gols, já temos vantagem). Na contagem deles, que sequer sabem a data em que foram fundados, a contagem está empatada.

Confira abaixo o mapa dos confrontos com os adversários mais tradicionais do estado; clique sobre os nomes dos clubes para acessar a lista de jogos:

JVEDGPGCSG
SCCP370131110129522483+39
Santos33414088106559473+86
SPFC31210599108408407+1

Domínio absoluto contra cariocas

Não é à toa que existe um fenômeno no Rio de Janeiro, onde as camisas do Palmeiras, mesmo em tempos bicudos, sempre foram muito populares. Além da torcida do Verdão ser realmente diferenciada, os resultados contra os times da Cidade Maravilhosa são estrondosos.

O Flamengo fica no cheirinho desde sempre; são nove vitórias de diferença no confronto. Já o Botafogo precisaria vencer onze confrontos seguidos para igualar a contagem.

O Fluminense teve até um período recente de vitórias contra nós, já estancado e insuficiente para fazer cócegas na vantagem: são 25 triunfos de diferença. E quando você pensa que não pode existir freguesia maior fora do estado, aparece o Vasco, comendo poeira com desvantagem de 27 derrotas.

Parece que está explicado o fenômeno. O Rio de Janeiro continua lindo.

JVEDGPGCSG
Flamengo114463137192164+28
Botafogo117453834174149+25
Fluminense109591634190152+38
Vasco128583931207162+45

Trabalho a fazer em Minas e Rio Grande

Tanto em Minas quanto no Rio Grande do Sul mantemos um freguês de caderneta e uma pedra no sapato – nada que não possa ser resolvido.

Em Belo Horizonte, o Galo é cliente VIP: precisa tirar nove vitórias de desvantagem, numa contagem cuja tendência atual é de crescer ainda mais. Já o Cruzeiro sustenta uma pequena margem de três vitórias, embora o Verdão leve vantagem no saldo de gols.

No sul, o Grêmio, apesar dos inesquecíveis confrontos na década de 90, tem números vergonhosos e não alcança nem metade das vitórias do Verdão. É uma autêntica surra.

O problema mesmo é o Inter, que sustenta uma incômoda vantagem de oito vitórias e 22 gols – algo que já foi maior e vem sendo descontado nos últimos anos.

JVEDGPGCSG
Atlético8037152811195+16
Cruzeiro95322835141136+5
Grêmio9340341913597+38
Inter8929233793115-22

Protagonismo também nos números

Todos os confrontos históricos do Palmeiras podem ser consultados aqui. O Verdão está em pequena desvantagem contra alguns times importantes do futebol sul-americano, como Nacional (URU) e River Plate (ARG), ou mesmo contra times brasileiros de pequeno porte, como a Chapecoense, mas a lista de confrontos é curta; não atinge 15 partidas e a base estatística pra decretar uma “freguesia” parece frágil.

O Paulistano, uma potência no futebol no início do século passado que já era heptacampeão paulista quando o Palestra Italia conquistou o primeiro campeonato em 1920, tem boa vantagem no confronto. Mas o clube encerrou suas atividades em 1930 e o Palestra/Palmeiras não teve a chance de virar o jogo.

Entre os adversários com mais de 15 confrontos que continuam em atividade, precisamos buscar mesmo é o Inter, que sustenta uma margem razoavelmente confortável. Cruzeiro e SPFC estão na alça de mira, e não podemos mais nos descuidar nos Derbies, já que o SCCP descontou nossa boa vantagem nos confrontos recentes.

A volta ao protagonismo do futebol brasileiro, consolidada nas últimas temporadas, nos dá plenas condições de, além de continuar conquistando títulos, dominar completamente as estatísticas de todos os confrontos relevantes num futuro, talvez, próximo. VAMOS PALMEIRAS!


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.verdazzo.com.br/padrinho.

Avanço e coincidências atrapalham o Palmeiras no Brasileirão

The Who arrepiou no Allianz Parque, em 2017

Em novembro próximo, o Allianz Parque completará cinco anos de atividade. O estádio, inaugurado em 19 de novembro de 2014, é um marco no renascimento do Palmeiras e uma fonte de renda fundamental para o clube nas próximas décadas, como já pudemos ver neste post.

A característica multiuso do estádio atrai a realização de grandiosos shows que são agendados, às vezes, com quase um ano de antecedência. A página oficial do Allianz Parque, cuja gestão é da WTorre, mantém o calendário de concertos disponível ao público.

Neste momento, a eclética agenda prevê atrações para todos os gostos: Paul McCartney em março, Star Wars In Concert em abril, BTS e Los Hermanos em maio, Sandy & Júnior em agosto e Shawn Mendes em novembro.

Como já é costume desde a inauguração, o Palmeiras precisa fazer alguns sacrifícios na temporada e mandar jogos fora do Allianz Parque por conta desses compromissos. Neste período, foram 20 partidas em outros estádios, média de 5 por ano – destas, 19 foram no Pacaembu e uma na Fonte Luminosa, em Araraquara. Não houve prejuízo técnico: a campanha foi de 14 vitórias, 3 empates e apenas 3 derrotas.

Problemas à vista

Para este ano, o Pacaembu está fora do roteiro do Brasileirão. Ao fazer uma inédita exigência na iluminação dos estádios, a entidade condicionou a permanência do velho Municipal à altamente improvável reforma do sistema, dado que a Prefeitura claramente tem outras prioridades.

Isto faz com que o Palmeiras precise buscar alternativas para receber os jogos em que haja conflito de agenda. Até a rodada 33, é permitido recorrer a cidades em outros estados

O lado bom é que torcedores de outras praças, que raramente têm a chance de receber o Verdão, poderão assistir nosso time de pertinho – muitos, pela primeira vez.

Resta saber quais estádios atendem às especificações da CBF e dispõem de um estádio cujo sistema de iluminação atinjam 800 lux – a nova exigência da CBF.

Jogos comprometidos

A CBF divulgou a tabela básica do Brasileirão, com todos os jogos marcados provisoriamente para domingos e quarta-feiras – as datas definitivas são marcadas após a deliberação da RGT. Três jogos do Palmeiras parecem comprometidos e demandarão esforços de nossa diretoria junto à CBF para que o Allianz Parque possa recebê-los. Clique aqui para acessar o calendário geral de jogos divulgado pela CBF e acompanhe a resolução do quebra-cabeças.

1) vs. Santos
O show da banda Los Hermanos (18 de maio) vai obrigar o Palmeiras a jogar contra o Santos fora do Allianz Parque, marcado para o dia 19, na quinta rodada. O Pacaembu pode ser usado se o jogo for marcado para as 11 da manhã, se é que esse horário será reeditado este ano. Uma alternativa seria puxar o jogo para o meio da semana, dia 15, uma das três datas previstas para as oitavas-de-final da Copa do Brasil, o que demandaria alguma ginástica de nossa diretoria para que a CBF nos atenda e marque os jogos de Palmeiras e de Santos para as outras duas datas, dias 22 e 29 de maio.

2) vs. Fluminense
O show de Sandy & Júnior está marcado para o sábado, dia 24 de agosto e a tabela prevê a partida contra o Fluminense para o domingo. Talvez houvesse tempo hábil para que o jogo fosse realizado na segunda à noite, mas há o impeditivo que esse horário é do SporTV, que não pode fazer a transmissão porque o Palmeiras vendeu os direitos de TV fechada para o grupo Turner. Mais uma vez, o horário das 11 da manhã permitiria o uso do Pacaembu. O Plano B seria adiar o jogo para o dia 18 de setembro, data prevista para a final da Copa Sul-Americana, contando que o time carioca já estará eliminado.

3) vs. Flamengo
No dia 1 de dezembro, na rodada 36, enfrentam-se dois dos grandes candidatos ao título: Palmeiras x Flamengo. Nos dias 29 e 30 de novembro, o estádio receberá o show do cantor Shawn Mendes. De novo, o horário da manhã resolveria o problema e o Municipal poderia ser o palco do jogo. As datas mais próximas que permitiriam uma manobra no calendário seriam os dias 13 e 20 de novembro, inicialmente vagas, por conta de estarem compreendidas entre datas FIFA.

Esta partida, especialmente, precisa de uma saída a todo custo, a começar pela óbvia importância técnica para o campeonato. Mas por ser um jogo nas cinco rodadas finais do campeonato, o Palmeiras sequer teria a chance de mandar em outro estado, restando, como alternativas, apenas o Morumbi e o Itaquerão. Uma catástrofe!

Avanço do futebol e coincidências

Sede da CBF

A exigência de 800 lux pode ser considerada um avanço no futebol brasileiro, a não ser pelo fato de que poucos estádios país afora satisfarão à determinação, concentrando a realização dos jogos nos grandes estádios, reformadas ou construídas para a Copa de 2014. Barueri, uma alternativa natural aos estádios da capital paulista, ainda não atende à nova exigência.

Por uma grande coincidência, justo o Palmeiras, por mandar seus jogos num estádio que sabidamente é palco de grandes shows, acaba sendo muito prejudicado por não poder mais contar com o Pacaembu como estádio substituto, nessas ocasiões.

Também por uma grande coincidência, um dos jogos-chave do campeonato, a três rodadas do fim, foi marcado para uma data em que já é sabido que haverá um show no estádio. De quebra, o jogo contra o Fluminense, outro time da cidade onde fica a sede da CBF e da RGT, também foi marcado para uma data que coincide com show no Allianz Parque.

À diretoria do Palmeiras cabe, agora, exercitar a política e defender mais uma vez os interesses do clube, tanto junto à WTorre, para que seja criteriosa na marcação de novos shows até o final do ano, quanto (e principalmente) junto à CBF, no sentido de remanejar os jogos em que o clube será obrigado a mandar as partidas fora de nosso estádio.

Eventualmente, o Palmeiras poderia até estudar um projeto para ajudar a viabilizar a reforma do sistema de iluminação do Pacaembu, já que a prefeitura se recusa a custear a adequação, num primeiro momento.

O que não podemos é permitir que essas coincidências atrapalhem nosso caminho rumo ao 11º título brasileiro. Os problemas já estão definidos com muito tempo de antecedência. Dá pra resolver.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.verdazzo.com.br/padrinho.