Palmeiras se pronuncia e repudia fala de Jorginho contra Abel Ferreira

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela décima segunda rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em nota publicada nas redes sociais, o Palmeiras condenou as manifestações de “cunho xenófoba e endereçadas à comissão técnica”

No começo da tarde desta sexta-feira, o Palmeiras, por meio das redes sociais, emitiu uma nota de repúdio diante das declarações de Jorginho, técnico do Atlético-GO, contra Abel Ferreira.

Após a vitória do Verdão por 4 a 2, o comandante da equipe goiana reclamou das ações do palmeirense à beira do gramado e declarou que Abel desrespeitou “nosso país e nossos árbitros”.

“Quando você bate palma para o árbitro está querendo literalmente sacanear o juiz. Então, é uma coisa que me revolta como treinador, como brasileiro, porque vem no nosso país e está desrespeitando nosso país, nossos árbitros, dizendo que ele é cego, xingando de tudo quanto é nome e nada aconteceu. Nós pedimos punição”, disse o brasileiro em entrevista coletiva.

O Palmeiras condenou a manifestação, classificou-a como “de cunho xenófobo” e afirmou que têm sido constantes os ataques endereçados à comissão técnica.

Confira na íntegra a nota publicada pelo Palmeiras

“A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia com veemência as manifestações de cunho xenófobo que têm sido constantemente endereçadas à nossa comissão técnica.

Nascemos pelas mãos de imigrantes que não somente fundaram um dos clubes mais vitoriosos do mundo, como também contribuíram com a formação da sociedade brasileira e da identidade nacional.

A nossa história de 107 anos foi construída por jogadores, profissionais e torcedores de diferentes nacionalidades e etnias, sem distinção. Portanto, não toleramos declarações preconceituosas que incitem a aversão a estrangeiros.

Nossos gramados não são feudos reservados a pessoas de um só país. Pelo contrário, neles há espaço para todos que tenham vontade e capacidade de melhorar o futebol brasileiro“.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *