Por que o Palmeiras fez bem em contratar Gustavo Scarpa

Gustavo Scarpa
Mailson Santana/Fluminense

A notícia da contratação de Gustavo Scarpa pegou quase todos de surpresa na manhã desta segunda-feira. O assunto havia sido tirado da pauta palmeirense há quase um mês, quando a diretoria decidiu encerrar a negociação com o Fluminense, detentor dos direitos econômicos do atleta.

Através de um mandado de segurança, os advogados de Gustavo Scarpa conseguiram romper o vínculo com o clube carioca e isso mudou completamente a situação. Sem precisar pagar mais nada ao Fluminense, bastou ao Palmeiras oferecer um bom contrato ao jogador.

As condições financeira, de estrutura e esportiva ajudaram o Palmeiras a ser clube o escolhido pelo jogador, que também era disputado por SPFC, SCCP e Atlético-MG. Três anos depois de Dudu, Alexandre Mattos aplica mais um chapelaço no mercado.

No dia 21, o Verdazzo publicou um post dizendo por que desistir de Scarpa foi a escolha certa para o Palmeiras. Diante das novas circunstâncias, fazer o oposto passou a ser um tiro certeiro.

Por que mudou?

Gustavo Scarpa é um dos melhores atletas de criação no meio-campo do país. O valor de sua transferência era muito alto e o Palmeiras não precisava entrar em leilão para fortalecer um setor em que já tínhamos peças suficientes para desempenhar um bom papel na temporada. Vê-lo em um rival seria um problema que teríamos que resolver dentro de campo. Agora, o problema é deles.

Com a queda do vínculo com o Fluminense, basta ao Palmeiras, que nesse meio-tempo já se desfez de Raphael Veiga, decidir se ainda vai precisar abrir mais uma vaga no elenco. Hyoran e Allione são os mais cotados para saírem por empréstimo, se a diretoria e a comissão técnica assim avaliarem, mas ainda há a chance de todos permanecerem.

Mais um símbolo

DuduDudu chegou há três anos e simbolizou a virada para uma nova fase do Palmeiras, uma reconstrução que durou três anos e que já rendeu ao clube dois troféus nacionais.

A contratação de Gustavo Scarpa, que estabeleceu vínculo de cinco anos com o Palmeiras, é um símbolo da consolidação do Verdão como a maior potência do país; a primeira escolha de todos os jogadores e o último degrau no Brasil para quem deseja fazer carreira no exterior.

Dudu, nesses três anos, criou um vínculo tão profundo com o Palmeiras que hoje recusa propostas financeiramente mais vantajosas. O capitão já entendeu o significado de ser um ídolo do Palmeiras e só vai sair numa situação excepcional, que envolva mais que apenas dinheiro.

Esperamos que Gustavo Scarpa, Lucas Lima e todos os destaques do elenco sejam também cativados pelo projeto do clube, que criem esse vínculo com nossas cores e que sejam os pilares para o estabelecimento de uma identidade em nosso futebol; e que o Palmeiras monte um esquadrão que dure muitos anos na vanguarda do futebol brasileiro e sul-americano.

SEJA BEM-VINDO, GUSTAVO SCARPA!