Ala-esquerdo contra o Flamengo, Gustavo Scarpa fala sobre estratégia de Abel para a final

Gustavo Scarpa do Palmeiras em disputa com Rodrigo Caio e Willian Arão do Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário, em Montevidéu.
Cesar Greco

Meia de origem, Gustavo Scarpa aprovou jogar nesta função

O técnico Abel Ferreira mudou a função de alguns jogadores na partida contra o Flamengo na decisão da Libertadores, que foi vencida pelo Palmeiras por 2 a 1. Dentre as alterações, a mais significativa ficou por conta do posicionamento de Gustavo Scarpa no duelo.

O camisa 14 foi escalado para jogar de ala-esquerdo, enquanto Piquerez fechava como terceiro zagueiro por aquele lado do campo. Embora essa não seja sua posição de origem, o jogador gostou de ter feito a função.

“O Abel chamou os 11 titulares e falou: ‘a gente vai precisar se sacrificar’. Ali eu já pensei que sobraria pra mim e já estava preparado. Ele perguntou ao grupo: ‘quem é o ponta do nosso time que vai ter que marcar mais?’. Eu nem precisei responder porque os caras disseram que era eu. Aí ele olhou para mim e eu falei que já esperava. Só não esperava entrar do outro lado, porque vinha jogando pela direita. Foi um pouco de surpresa. Estava muito nervoso antes do jogo, arrepiado no aquecimento, gritando de emoção, mas na partida o pessoal me passou confiança e fiquei bem à vontade”, disse o jogador em entrevista ao SporTV.

“Foi a primeira vez que joguei posicionado na linha de cinco. Confesso que fiquei à vontade, eu sabia da responsabilidade defensiva que teria que ter e acredito que cumpri bem. Foi da hora, uma função diferente. Durante o jogo, comecei a ir um pouco mais para frente e não recebia a bola, pensei ‘quer saber?‘ No segundo tempo tem Michael, vai que o Bruno Henrique vem para cá. Vou ficar aqui atrás e guardar fôlego’”, acrescentou.

Scarpa revelou também que o plano de Abel para a decisão foi repassado aos atletas no início da semana passada, antes de a equipe jogar contra o Atlético-MG, pelo Brasileirão.

“O Abel nos reuniu numa sala e mostrou o time que jogaria já na segunda-feira. Aí já fui colocando na cabeça o que precisaria fazer, como marcar, me preparar mentalmente. Foi uma experiência diferente. O Abel tem as ideias dele e é leal aos pensamentos dele. É importante ter um treinador assim. Nossa equipe tem se consolidado taticamente já há um bom tempo e essa conquista contra uma equipe tão boa, nos fez amadurecer muito”, contou.

E prosseguiu falando sobre o trabalho do comandante: “Dos treinadores que já tive na carreira, ele é o que mais mostra vídeos, lances, é muito apegado a essa questão tática. Às vezes ele erra, mas não deixa de mostrar para a gente o que ele quer no campo. Eu entrei na final sabendo 100% o que precisaria fazer e isso deixa o jogador mais à vontade”.

Gustavo Scarpa diz que preparação será essencial para o Mundial

Com o tricampeonato da Libertadores, o Palmeiras garantiu novamente uma vaga no Mundial de Clubes. A competição será realizada nos Emirados Árabes Unidos, entre os dias 3 a 12 de fevereiro.

Para Scarpa, o Palmeiras tem tudo para ter um desempenho melhor do que em 2020, quando a equipe perdeu para o Tigres, por causa da falta de tempo para preparação.

“Nosso jogo [contra o Tigres] foi fraco tecnicamente, nós não conseguimos decidir entre jogar na transição ou ter a bola. Ficamos confusos, perdemos um jogo que dava pra ganhar. A preparação será o essencial no ano que vem. Tivemos uma semana depois da final contra o Santos, foi tudo muito corrido. Agora estamos mais maduros, mais cientes de como se disputa um Mundial. Tenho certeza de que vamos dar um trabalho maior que no último”, finalizou.

Gustavo Scarpa, assim como demais atletas do elenco, não jogará na noite desta terça-feira contra o Cuiabá, pelo Campeonato Brasileiro, e deverá sair de férias já no início da próxima semana.

Artilheiro do Palmeiras, Raphael Veiga é eleito o melhor jogador do mês no Brasileirão

Raphael Veiga comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em outubro, Raphael Veiga disputou 7 jogos, marcou 4 gols e distribuiu 2 assistências

O Palmeiras vem de uma grande sequência no Campeonato Brasileiro. Nos últimos sete jogos, a equipe empatou um e ganhou os outros seis (seguidos). E um dos principais nomes do Verdão neste período é o meia Raphael Veiga.

Artilheiro do Palmeiras na competição (10) e da temporada (17), o camisa 23 foi eleito pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) o melhor jogador de outubro do Brasileirão – Veiga disputou sete jogos no mês, anotou quatro gols e distribuiu duas assistências.

“Sempre gostei bastante de entrar na área, de chegar à frente. Até porque, quando estamos perto do gol, a chance de marcar aumenta. Fico feliz pelos gols e quero continuar evoluindo”, disse o atleta à TV Palmeiras/FAM.

“Queremos seguir vencendo, porque isso segue coroando o trabalho, o ambiente. As vitórias fazem bem para o grupo. É continuar nessa pegada para crescermos cada vez mais no campeonato e individualmente, porque ainda tem muita coisa para conquistarmos nesse ano”, acrescentou.

Raphael Veiga fala sobre parceria com Scarpa

Raphael Veiga e Gustavo Scarpa comemoram gol do Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Veiga, no entanto, não foi o primeiro palmeirense a receber o troféu de jogador do mês do Campeonato Brasileiro. Gustavo Scarpa, em junho, já tinha sido eleito pela entidade.

Os dois, que são os destaques do Palmeiras no ano, voltaram a atuar juntos na equipe titular na partida contra o Grêmio e desde então vêm jogando lado a lado. No duelo diante do Atlético-GO, na última quarta-feira, Raphael Veiga deu a bola do pênalti para Scarpa bater, apesar de ser o cobrador oficial.

“O Scarpa é um cara sensacional, nos damos muito bem fora de campo e, claro, dentro de campo. Ele tem dado muitas assistências, inclusive pra mim. A gente treina junto as bolas paradas [faltas e pênaltis]. Eu já tinha anotado um gol e ele estava procurando marcar [um gol]. Achei importante dar a bola pra ele no pênalti. Estou contente pelo meu momento e o dele também, porque quem ganha com isso é o Palmeiras”, contou.

A evolução do jogador com Abel Ferreira é notória. Contratado em 2017, Veiga não correspondeu no começo e chegou a ser emprestado por um ano ao Athletico-PR. Quando retornou, em 2019, foi utilizado por Felipão e Mano Menezes, mas ainda assim não conseguia cair nas graças da torcida.

Com Abel, o meia alcançou sua melhor temporada em relação a gols (18 em 2020/2021), atuou em 23 partidas seguidas (recorde da sua carreira) e foi o melhor jogador da Copa do Brasil de 2020.

Com contrato até o final de 2024, o atleta de 26 anos tem 158 partidas com a camisa do Palmeiras, três títulos e 42 gols anotados.

Líder em assistências, Scarpa brinca por Veiga ter o “deixado” bater o pênalti

Gustavo Scarpa comemora com Raphael Veiga seu gol pelo Palmeiras contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Scarpa chegou a oito gols na temporada e 22 assistências

Diante do Atlético Goianiense, na última quarta-feira, o treinador Abel Ferreira escalou novamente o ataque do Palmeiras com Gustavo Scarpa, Raphael Veiga, Dudu e Rony. A formação, que começou a ser utilizada contra o Grêmio, vem trazendo resultados positivos.

Com duas assistências e um gol anotado, Scarpa foi um dos destaques da goleada do Verdão por 4 a 0. Acostumado a dar passes para os companheiros irem às redes, o camisa 14 não marcava desde julho.

Aos 15 minutos do segundo tempo, Marcos Rocha cruzou e Marlos Freitas colocou o braço na bola dentro da área. E quando todos pensavam que Raphael Veiga anotaria o seu segundo tento na partida, o camisa 23 deixou a bola para Gustavo Scarpa bater o pênalti e o meia não desperdiçou.

Depois da partida, Scarpa brincou com o fato de Veiga ter o “deixado” cobrar a penalidade máxima.

“Veiga foi uma pessoa muito gentil em ter deixado eu bater. Como disse pra ele, no lugar dele eu não teria feito. Mas acho que é o mínimo também, né? Tenho dado várias assistências para ele. Veiga é um grande jogador e que está vivendo uma grande fase. Ele sabe que estamos juntos até o fim”, brincou.

Para Abel, o gesto de Veiga ressalta o espírito de “Todos somos um”, sempre citado pelo comandante em entrevistas coletivas. “Para um bom entendedor, uma imagem basta”, comentou o treinador ao final.

Abel comenta jogo de Scarpa

Gustavo Scarpa em jogo do Palmeiras  contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada, do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Jogador que mais vezes atuou com Abel Ferreira (80 jogos), Scarpa vem tendo uma temporada impressionante nas assistências. São 22 em 51 partidas, líder disparado do elenco e também do Brasil neste quesito. Além disso, foi às redes oito vezes e soma 30 participações diretas em gols.

Apesar dos ótimos números, o camisa 14 passou por um período sendo reserva da equipe. De acordo com Abel, ele precisava aprimorar o jogo sem bola para atuar entre os titulares.

Com Scarpa de volta à equipe titular há três jogos, jogando ao lado de Veiga, Dudu e Rony, o comandante foi questionado sobre o meia na última entrevista.

“Ele não era tão utilizado quando eu cheguei, depois comecei a usá-lo na lateral-esquerda. Nesta temporada, disse a ele que concorreria a sua posição original. Mesmo ele jogando na ponta, com bola ele vem pra dentro. Não posso mudar as regras do jogo, só podem começar 11 e entrar mais 5. Eles [todos os jogadores] estão competindo nos treinos e quando há um melhor equilíbrio nas posições, melhor é a competição interna e, consequentemente, melhor é a preparação para o jogo. É isso que o Scarpa tem feito. Ele sabe que tecnicamente é muito bom e está fazendo agora os outros 50%”, comentou.

O Palmeiras conquistou três vitórias consecutivas (Grêmio, Santos e Atlético-GO), anotou nove gols e sofreu apenas um com este quarteto em campo. No próximo domingo, o Verdão enfrentará o Fluminense no Maracanã, às 18h15.

Combinação Scarpa e Veiga volta a funcionar com os dois sendo titulares

Scarpa e Veiga durante treinamento do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Depois do jogo contra o Grêmio, Abel Ferreira explicou a função de Scarpa e Veiga em campo

07 de agosto, contra o Fortaleza no Allianz Parque. Esta foi a última vez que Gustavo Scarpa e Raphael Veiga foram escalados juntos na equipe titular do Palmeiras, antes do confronto do último domingo, frente ao Grêmio.

Após passarem um período em que atuaram lado a lado entre os onze iniciais em 16 das 17 partidas que ocorreram entre os meses de junho a agosto, Scarpa perdeu espaço no time titular devido ao crescimento técnico e físico de Dudu e seguiu como opção no banco de reservas.

Após o triunfo em cima do Internacional, Abel Ferreira explicou o motivo de optar por um deles desde o início: “O Veiga é um atleta mais robusto, equilibrado, que ataca e defende bem. Já o Scarpa é um dos melhores com a bola no pé e os números provam isso, mas precisa aprimorar o [jogo] sem bola, ser agressivo, desarmar. Se juntar as duas coisas, ele será um atleta completo”.

O Palmeiras jogou 17 vezes desde o confronto contra o Fortaleza até o duelo contra o Grêmio (foram 6 vitórias, 5 empates e 6 derrotas) e, apesar de os dois não estarem começando os jogos juntos, permaneceram contribuindo em suas melhores características: Veiga com gol e Scarpa com assistência. Foram 23 gols anotados pelo time neste recorte, com 11 participações diretas da dupla, o que representa 48%.

Ao expandir para a temporada inteira, a porcentagem em participação se mantém parecida: 46% (46 ações diretas em 99 gols da equipe) – Veiga soma 15 gols e 5 assistências; Scarpa acumula 7 tentos e 19 passes para gol.

Entretanto, no período que eram titulares no meio-campo, o Verdão ganhou 11 jogos, empatou dois e sofreu apenas três revezes.

“É tudo questão de adaptação. Nós temos características parecidas, mas no jogo a gente conseguiu se entender. Ele [Gustavo Scarpa] jogou de ponta e eu por dentro. Às vezes trocávamos. Fico feliz pela assistência dele, foram muitas no ano e quem tem a ganhar com isso é o Palmeiras”, disse o camisa 23 ao final da partida.

Abel explica funções de Scarpa e Veiga contra o Grêmio

Scarpa e Veiga comemoram gol com Willian em jogo do Palmeiras contra o Fortaleza, durante partida válida pela décima quinta rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva após o triunfo no Sul, o treinador palmeirense foi novamente questionado sobre os meias.

“Eu gosto de um 5, um 8 e um 10. Hoje [domingo], o Scarpa jogou na ponta, mesmo sendo um meia. E isso abre espaço para o corredor, como fez o Marcos Rocha no lance do pênalti. O Veiga mais por dentro. Quando penso na formação do time, penso nas características dos jogadores. Não faço magia”, iniciou.

“Não consigo pegar um jogador que não dribla e colocar para driblar. Não consigo fazer um jogador lento ficar rápido. Jogamos em função da característica dos jogadores que temos. Hoje é fácil falar porque ganhamos, porém há jogos que fazemos as coisas bem e não vencemos”, completou.

A 25 dias da grande decisão da temporada, Abel Ferreira segue realizando testes na equipe titular. No próximo domingo, o Palmeiras terá outro confronto fora de casa, desta vez diante do Santos, na Vila Belmiro, às 16h.

Gustavo Scarpa chega a 18 assistências na temporada

Gustavo Scarpa durante treinamento do Palmeiras na Academia de Futebol.
Cesar Greco

“Foi fantástico”, disse Abel sobre a atuação de Gustavo Scarpa

O meia Gustavo Scarpa novamente foi decisivo na vitória do Palmeiras sobre o Sport com suas assistências para gol, assim como vem acontecendo durante toda a temporada do Verdão.

Atleta que mais vezes entrou em campo pela equipe na temporada, com 48 jogos, Scarpa deu seu 18º passe para gol no duelo contra os pernambucanos. Colocado em campo no intervalo, o camisa 14 cobrou o escanteio que achou Luiz Adriano no meio da área para empatar a partida, aos 8 minutos do segundo tempo.

Contabilizando os sete gols anotados, o meia chega a 25 participações diretas em gols na temporada – disparado, o líder neste quesito entre os atletas do elenco.

“O Scarpa fez um jogo fantástico, foi fundamental para sermos mais agudos”, comentou Abel Ferreira sobre a partida do meia contra o Sport.

Para Abel, falta Scarpa aprimorar o jogo sem bola para ser “completo”

Gustavo Scarpa do Palmeiras em disputa com Mendoza do Ceará, durante partida válida pela décima nona rodada do Brasileirão, no Castelão.
Cesar Greco

Apesar dos impressionantes números, Gustavo Scarpa não tem o posto de titular no Palmeiras de Abel Ferreira, pelo menos no momento. Durante um período do Brasileirão, o meia era escalado entre os onze, ao lado de Raphael Veiga.

Entretanto, desde o retorno de Dudu que o meia vem sendo o “12º jogador”. Para o comandante, uma das principais diferenças entre Scarpa e Veiga é o jogo sem bola, no qual o camisa 23 entrega mais.

“Gosto de jogar com três tipos de médios: um 5, 8 e um 10. Temos dois “10”, o Veiga e o Scarpa. Só posso escolher três [no meio-campo]. Quando preciso de uma equipe mais aguda, precisamos de jogadores do banco que fazem isso. O Scarpa nos dá isso”, explicou.

Contratado em 2018, Gustavo Scarpa tem 166 partidas pelo Palmeiras e 30 gols anotados. Rei das assistências em 2021, o meia só perde para Dudu no retrospecto geral; enquanto o camisa 4+3 tem 80 em 326 jogos, Scarpa tem 35.