Em comunicado oficial, Palmeiras demonstra insatisfação com arbitragem de jogo contra o SPFC: “Fim da linha”

Em comunicado oficial, Palmeiras demonstra insatisfação com arbitragem de jogo contra o SPFC: “Fim da linha”.
Divulgação

Em carta assinada por Leila Pereira, a mandatária do Palmeiras repudiou as ações e as falas de Wilson Seneme, chefe de arbitragem da CBF

Na noite desta terça-feira, o Palmeiras emitiu um comunicado oficial assinado por Leila Pereira lamentando o erro de toda a equipe de arbitragem do duelo entre Palmeiras x SPFC, disputado quinta-feira passada pela Copa do Brasil, e também as ações de Wilson Seneme, chefe de arbitragem da CBF.

O clube pediu que a entidade fizesse a marcação da linha de impedimento no lance que originou o gol do SPFC e publicasse. Entretanto, Seneme, em entrevista ao Globoesporte.com, afirmou não ser mais possível traçar a linha, já que, de acordo com ele, “a máquina foi resetada”.

Quase dois dias após o jogo, a CBF divulgou os áudios da conversa entre o VAR (Emerson de Almeida Ferreira) e o juiz (Leandro Pedro Vuaden) do Choque-Rei, no qual ficou constatada que o árbitro de vídeo e seu assistente não seguiram o protocolo e não analisaram o posicionamento irregular de Calleri no início da jogada.

“Não resta mais qualquer dúvida de que houve erro de protocolo na arbitragem do jogo contra o São Paulo. Assim como não há qualquer dúvida de que o atleta da equipe adversária estava em posição de impedimento, algo que a tecnologia detecta com extrema facilidade. Em razão desses fatos inequívocos, podemos afirmar que o Palmeiras sofreu prejuízos esportivos e financeiros irreparáveis e de gravidade extrema”, enfatizou o comunicado do clube.

O Palmeiras enviou dois ofícios à CBF; um logo após o duelo, apontando o descontentamento com o pênalti assinalado por Leandro Vuaden; e o outro após a divulgação do áudio do VAR.

Confira o comunicado divulgado pelo Palmeiras na íntegra

Venho a público demonstrar a minha total indignação com o fatídico evento que culminou na desclassificação do Palmeiras da Copa do Brasil. Não é de hoje que o futebol brasileiro vem sofrendo com as mazelas da arbitragem, mas o Palmeiras entende que chegamos ao fim da linha.

Não resta mais qualquer dúvida de que houve erro de protocolo na arbitragem do jogo contra o São Paulo. Assim como não há qualquer dúvida de que o atleta da equipe adversária estava em posição de impedimento, algo que a tecnologia detecta com extrema facilidade.

Em razão desses fatos inequívocos, podemos afirmar que o Palmeiras sofreu prejuízos esportivos e financeiros irreparáveis e de gravidade extrema.

Aquilo que podia ser feito, o clube fez. Enviou um ofício à CBF ressaltando a gravidade dos fatos e um novo ofício ao tomar conhecimento do áudio do VAR.

Hoje, contudo, fomos surpreendidos com uma desastrada declaração do presidente da Comissão de Arbitragem, sr. Wilson Seneme, de que não seria possível checar o impedimento do atleta do São Paulo, conforme solicitamos, por ter sido a máquina “resetada”.

Não há mais medidas jurídicas que o Palmeiras possa tomar. Não houve erro de direito; houve, porém, irreparável e gravíssimo erro de fato.

A partir deste ponto, o Palmeiras deseja que este lamentável episódio tenha sido um divisor de águas na história da arbitragem no Brasil e pede que todos os envolvidos neste triste acontecimento sejam punidos de forma exemplar pela CBF, que tem também o dever de trabalhar pela profissionalização dos árbitros do país.

Desta vez, o prejudicado foi o Palmeiras. Se não houver uma drástica mudança, cada vez mais times serão lesados, com perdas inestimáveis. E com isso se esvai a credibilidade do nosso futebol, que já vem sendo questionada há muito tempo.

Imbuídos do sentimento coletivo que vem crescendo nos clubes, vamos buscar todos juntos a mudança. Somente assim, engrandeceremos e geraremos mais valor para o futebol brasileiro.

Leila Pereira

Palmeiras e outros 7 clubes assinam documento para criação de nova liga no futebol brasileiro

Palmeiras e outros 7 clubes assinam documento para criação de nova liga no futebol brasileiro.
Fernando Torres

Palmeiras foi representado pela presidente Leila Pereira

Em reunião na manhã desta terça-feira, em um hotel em São Paulo, o Palmeiras e outros sete clubes assinaram documento para a criação de uma nova liga de futebol no país, a ‘Libra’ (sigla para Liga do Futebol Brasileiro). O Verdão foi representado pela presidente Leila Pereira.

Red Bull Bragantino, SCCP, Flamengo, SPFC, Santos, Ponte Preta e Cruzeiro também estiveram de acordo com a proposta apresentada pela empresa Codajas Sports Kapital e assinaram o documento.

Estiveram presentes na reunião 18 representantes dos clubes da Séria A – Juventude e Cuiabá foram as exceções, e mais cinco da Série B (Cruzeiro, Vasco, Guarani, Ponte Preta e Sport). De acordo com o presidente do Santos, Andres Rueda, um novo encontro foi marcado para o próximo dia 12, na sede da CBF, e contará com a presença das 40 equipes que integram a primeira e segunda divisão do futebol brasileiro.

Presidente do Palmeiras se pronuncia após reunião

Ao final do encontro, Leila Pereira, por meio das redes sociais do Palmeiras, afirmou que a criação da nova liga será um “marco” para o país.

“Tenho convicção de que a criação da LIBRA representa um marco na gestão do futebol nacional. Com os clubes unidos e trabalhando em conjunto, vamos potencializar as nossas receitas e oferecer aos torcedores um espetáculo de primeiro nível”, disse a mandatária.

Enquanto uma nova liga ainda é discutida no futebol nacional, o Palmeiras entra em campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo para enfrentar o Fluminense, no Allianz Parque.

Palmeiras suspende atendimento à Rádio Transamérica após ataques a Abel; veículo emite nota

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Santos, durante partida válida pela décima primeira rodada do Paulistão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Ordem para não atender aos pedidos da Transamérica veio da presidente do Palmeiras, Leila Pereira

Na tarde de ontem, o comentarista da Rádio Transamérica, Paulo Roberto Martins, também conhecido como Paulo Morsa, teceu comentários ofensivos contra Abel Ferreira, no programa Papo de Craque. O profissional chamou o treinador do Palmeiras de “arrogante”, “boçal” e “idiota”.

“Como ser humano, Abel Ferreira é uma desgraça. Ele não tem educação. Ele é idiota, boçal, arrogante e prepotente”, disse o jornalista.

Na manhã de hoje, o clube decidiu por não mais atender aos pedidos da Transamérica enquanto o comentarista seguir trabalhando na emissora, por entender que Martins extrapolou os limites da liberdade de imprensa – a informação foi publicada pelo jornalista Diego Iwata, do portal UOL.

Ainda de acordo com o site, a ordem partiu da presidente Leila Pereira e o Palmeiras está colocando todo seu departamento jurídico à disposição do treinador, caso ele julgue necessário mover algum tipo de ação.

Enquanto sofria os ataques de Morsa, Abel Ferreira e seus auxiliares estavam presentes na sede da FAM, na Mooca, promovendo o lançamento oficial do livroCabeça Fria Coração Quente’, que conta os bastidores da chegada da comissão técnica ao clube até a conquista da Libertadores de 2021 sobre o Flamengo. A primeira edição da obra está esgotada e toda a renda será destinada a duas ONGs: Fundação Ayrton Senna e Amigos do Bem.

Após decisão do Palmeiras, Rádio Transamérica emite comunicado

No começo da tarde desta terça-feira, a Transamérica emitiu um comunicado oficial repudiando as declarações do comentarista; confira:

16h12 – atualização – durante a tarde desta terça-feira, a rádio Transamérica anunciou a rescisão do contrato com o comentarista Paulo Morsa.

Everaldo Coelho, diretor de marketing do Palmeiras, faz promessas e deseja 100 mil sócios Avanti até o final do ano

“Atacando em várias frentes”, Everaldo Coelho, diretor de marketing do Palmeiras, faz promessas e deseja 100 mil sócios Avanti até o final do ano.
Reprodução

No comando do marketing do Palmeiras desde o início do ano, Everaldo Coelho concedeu entrevista ao canal de YouTube do jornalista Paulo Massini, na noite de segunda-feira

Na noite de segunda-feira, Everaldo Coelho, novo diretor de marketing do Palmeiras, concedeu entrevista aos jornalistas Paulo Massini, Diego Iwata e Willian Correia e garantiu a todo instante que o Palmeiras “está atacando em diversas frentes [no marketing]” para gerar mais receitas ao clube, mas não se aprofundou em nenhum tema e preferiu também não estipular prazos.

O diretor comentou sobre a entrada do Palmeiras no marketing digital (e-sports, metaverso, NFTs), o patrocínio no futebol feminino e nos esportes amadores, o alcance do Avanti, defendeu o valor pago pela Crefisa para patrocinar o clube, entre outros assuntos.

“Eu, com 45 anos [de experiência] trabalhando no setor financeiro, aprendi que a gente só coloca prazo quando está fechado. E a presidente é a primeira a cobrar os prazos que a gente se prontificou a colocar. Algumas coisas estão caminhando, mas tenho a visão que temos que fechar com parceiros de relevância. Estamos em um momento de transformação. Assumi no começo desse ano e nesses dois primeiros meses tivemos o atropelo natural do Mundial, tivemos a reestruturação do departamento, que foi necessário. Se falar que o carro está trocando o pneu andando, pode até ser”, disse.

“Temos um patrocínio forte, temos grandes parceiros. A gente tem que evoluir aquilo que a gente imagina que pode melhorar. Minha prioridade hoje é que o torcedor Avanti seja melhor atendido. Estamos discutindo patrocínios para os outros esportes, há valores e preços, é preciso negociar cada um deles. As propriedades são infinitas e temos que achar outras formas de comercializar. Naquilo que a gente tem, está tudo caminhando dentro do que nós esperamos. Tudo requer calma”.

Confira os principais temas respondidos por Everaldo Coelho

  • Restruturação no departamento de marketing

“Sob minha gestão, além do marketing, temos a comunicação e a TV Palmeiras. Somadas essas três áreas temos 44 profissionais […] Houve uma restruturação em cargos gerenciais porque havia um em cada produto oferecido pelo clube (licenciamento, lojas físicas e online, escola de futebol, entre outros), e isso não me parece ser muito adequado. Por isso fizemos a restruturação. A gente entende que, em uma visão mais piramidal, com gestão e equipe para gerir cada processo que queremos trabalhar, é muito mais rápido e conseguimos resultados maiores”.

  • Maketing digital

“Estamos trabalhando fortemente em uma plataforma única de relacionamento com o torcedor. Para que tudo que o torcedor quiser, ele acesse lá. E aí vai para FanTokens, NFTs, Metaverso, realidade aumentada, carteira digital. Na inteligência artificial, você precisa estar dois passos na frente. Estamos focados nessas frentes. O Palmeiras irá ‘surfar nessas ondas’”.

  • E-sports

“Estamos trabalhando em uma frente diferente em relação aos outros clubes que entraram no E-sports. Eles entraram com parcerias e a maioria não deu certo. Estamos vendo de transformar em uma atividade esportiva dentro do Palmeiras, queremos criar uma equipe, temos dois parceiros fortes, que ainda não podemos revelar. Essa modalidade [o E-sports] vem crescendo muito no mundo inteiro, os influencers deste segmento têm grande envolvimento com os jovens. A gente está investindo forte”.

  • Sócio Avanti e Match Day (ações no Allianz Parque em dias de jogo)

“Queremos chegar aos 100 mil sócios Avanti até o final do ano. Estamos trabalhando fortemente nisso. Até julho quero entregar o Match Day completo, no nível que vemos fora do Brasil. Há algumas coisas que ainda não podemos revelar, mas terá atrações em que a pessoa entra e participa, principalmente o Avanti. Ele será cada vez mais valorizado, vamos entregar novas experiências. Não será apenas um simples espectador”.

“Para o torcedor Avanti que está fora de São Paulo, a primeira coisa que fizemos foi a carreta interativa, que tem os troféus da Libertadores, os mascotes e ativação do Avanti. Nós vamos cada vez mais construir eventos. Temos muitos consulados. Estamos construindo muitas coisas para que essa relação seja cada vez melhor, como por exemplo levar a equipe para fazer uma pré-temporada em outro estado”.

  • Patrocínio para o futebol feminino e outros esportes

“[Sobre o futebol feminino] estamos terminando uma discussão com 3, 4 parceiros. Por questão de confidencialidade não podemos abrir ainda. Assim como no basquete, futsal. Estamos fechando um pacote com eles. Há muitos interessados em várias formas de patrocinar o Palmeiras”.

  • Patrocínio de empresas no ramo de apostas esportivas

“O Palmeiras tinha uma parceria com uma casa de apostas até o final do ano passado. Encerramos aquele contrato e hoje estamos discutindo valor com 4, 5 empresas. Temos que nos preocupar com quem está se relacionando com a marca Palmeiras. Sou guardião da marca. Temos várias propriedades que podemos usar [para colocar a casa de aposta]”.

  • Sobre o patrocínio da Crefisa

“Não dá para falar que esse patrocínio está defasado. São mais R$100 milhões (R$80 pelas propriedades da camisa mais premiações). Se vier uma nova empresa, disposta a investir e que dará mais dinheiro ao Palmeiras, estendemos o tapete verde. A Leila já havia falado sobre isso em sua coletiva de apresentação”.

  • Sobre a proposta de campanha de Leila Pereira para diminuir o preço da camisa oficial

“Tivemos reuniões com a Puma e estamos buscando uma saída para isso. O preço da camisa é realmente alto para os brasileiros. Estamos discutindo alternativas criativas com a Puma, para vermos como a gente consegue minimizar esses efeitos. Não é simples [é preciso pagar royalties à Puma]. Os dois lados precisam abrir a mão de algo. Se eu tirar os royalties, eu perco receita, mas consigo de certa forma compensar de outra forma? Estamos vendo. Nunca vamos chegar ao preço que custa hoje uma camisa pirata, mas estamos trabalhando para chegar a uma solução mais viável”.

Após protestos, Olivério Júnior deixa o comando da comunicação do Palmeiras

Após protestos, Olivério Júnior deixa o comando da comunicação do Palmeiras.
Marcos Ribolli

Olivério Júnior sai do clube após enorme pressão da torcida; assessor manterá parceria com Leila Pereira

O assessor de imprensa Olivério Júnior deixou o comando da comunicação do Palmeiras, nesta quinta-feira. A informação foi divulgada inicialmente pelo site Globoesporte.com.

O profissional, que trabalha diretamente com a presidente Leila Pereira há quase sete anos, seguirá como assessor pessoal da mandatária, mas não participará mais do dia a dia do clube – Olivério era o responsável pela comunicação do Palmeiras desde o dia 16 de dezembro, data da posse de Leila.

O jornalista Fernão Ketelhuth, funcionário do clube desde a gestão Maurício Galiotte, deve assumir a função.

Protestos para a saída de Olivério Júnior aumentaram nas últimas semanas

No dia 21 de fevereiro, Leila Pereira, em reunião na Academia de Futebol com representantes da mídia palestrina, afirmou que Olivério seguiria trabalhando no clube, apesar das críticas dos torcedores palmeirenses nas redes sociais.

Os protestos, no entanto, aumentaram nas últimas semanas. Dois dias após esse encontro no CT do Palmeiras, mais de 30 conselheiros do clube assinaram um documento pedindo a saída do assessor, sob o argumento de que poderia haver um conflito de interesses, já que a empresa de assessoria de Olivério tem clientes em outros clubes – entre jogadores, dirigentes e técnicos – e o próprio profissional tem ligações com o ex-presidente do SCCP, Andrés Sanchez.

Já no confronto entre Palmeiras e Athletico-PR, na noite de ontem, a maior torcida organizada do Palmeiras levou faixas pedindo “Fora Olivério” e gritos contra a presença do profissional no clube foram entoados no Allianz Parque.