Por que o Palmeiras fez bem em desistir de Gustavo Scarpa

Gustavo ScarpaA novela Gustavo Scarpa, ao que parece, chegou ao fim – pelo menos para o torcedor palmeirense. O Fluminense, clube com quem o atleta tem vínculo, está com problemas de caixa e queria usá-lo como moeda para troca por mais atletas a fim de popular seu elenco, predominantemente formado por jovens da base. Provavelmente não será com ex-palmeirenses.

Gustavo Scarpa é um atleta muito acima da média, um dos melhores em atividade no país. Mas atua numa posição em que o Palmeiras está muito bem servido, tanto em jogadores já estabelecidos quanto em talentos a serem desenvolvidos: Lucas Lima, Guerra, Moisés, Raphael Veiga, Hyoran e Allione. Sua vinda seria ótima, mas pelo menos um desses atletas precisaria ser envolvido na permuta.

Para que essas trocas aconteçam, os atletas precisam topar. E hoje ninguém quer sair do Palmeiras para jogar no Fluminense, sob qualquer análise: chance de títulos, estrutura de trabalho, salários, cidade, visibilidade no mercado. A única razão que pode fazer um atleta sair do Palmeiras para o Fluminense, hoje, é a absoluta falta de perspectiva de jogar. Por isso, o time carioca preparou uma lista com jogadores que poderiam estar nessa situação – Roger Guedes, Fabiano, Hyoran e Matheus Sales estavam bastante cotados.

Na prática: o Fluminense pediu jogadores que não ficariam nem no banco aqui para serem seus titulares. E Roger Guedes preferiu ficar mesmo sabendo que, aqui, só vai carregar cones – acabou sendo o ponto onde a negociação travou. Ele pode ter sido pouco inteligente, mas tem o direito disso; jamais poderia ter sido xingado nas redes sociais, como acabou acontecendo.

Quando pular fora é a melhor escolha

Sem conseguir formatar uma combinação de jogadores que satisfizesse aos dois treinadores, o Palmeiras abortou a negociação. Visto como uma oportunidade de mercado, o negócio com Gustavo Scarpa era uma chance do Palmeiras enxugar o elenco. Não interessa ao clube envolver dinheiro na negociação numa posição em que está bem servido. O clube fez bem em pular fora.

O jogador é pretendido por SCCP e SPFC. Parte da torcida já surta com essa possibilidade, insuflada por notícias e “análises” da imprensa de que o bolso do Palmeiras seria infinito. Não admitem que o Palmeiras “perca” um jogador para um rival direto por economia. Ameaçam até cancelar o Avanti.

A tática de contratar jogadores que interessam aos concorrentes diretos pode e deve ser usada, mas com parcimônia. É preciso que haja um mínimo de sentido na contratação – como aconteceu com Dudu. Nosso plantel nesse setor, como já foi visto, é muito forte e não podemos, como uma madame deslumbrada que tem 350 pares de sapato no armário, ter todos os bons jogadores do mercado, sob o risco de problemas de motivação ou até coisa pior. Se for para que o rapaz acabe vestindo preto e branco ou furta-cor, que seja. Vamos para o campo e resolvemos lá.

(mas, numa dessas, pode acontecer uma reviravolta e o Palmeiras convence um bom pacote de jogadores a ir para o Rio. Sem novela, fingindo-se de morto, fica mais fácil…)


Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.padrim.com.br/verdazzo