Após mais de cinco anos, Dudu deixa o Palmeiras

Após uma longa novela, finalmente foi feito o anúncio oficial: Dudu está fora do Palmeiras. O atacante foi emprestado ao Al Duhail-QAT por um ano, com opção de compra. Pelo empréstimo, o Palmeiras receberá limpos € 6 milhões. Caso queira ficar com o jogador em definitivo, o clube catari deverá desembolsar mais € 7 milhões daqui a um ano. Os valores não parecem compatíveis com o tamanho do jogador. Parecem combinar mais com a estatura do atleta.

A saída de Dudu representa a perda do maior ídolo recente da História do clube. No século 21, nenhum jogador fez tantos gols com a nossa camisa – foram 70. Na sequência, longe, vêm Vágner Love (54) e Willian (46). Na lista de jogos, Dudu, com 305, só perde neste século para Marcos (392) e é seguido por outro goleiro, Fernando Prass que atuou 274 vezes com nossa camisa.

Mais do que os números, Dudu foi o símbolo de uma nova era. Depois de anos de péssimas administrações, Dudu foi contratado de forma agressiva e destaque de um elenco totalmente renovado. Sua contratação foi um chapéu comemorado pela torcida nos dois maiores rivais. O próprio jogador tratou de oficializar o simbolismo da transação ao comemorar um gol num Derby pegando emprestado um chapéu de um jornalista.

Sua chegada, que coincidiu com os primeiros jogos no Allianz Parque, foi fundamental na explosão de novas assinaturas do Avanti e da grande virada administrativa e esportiva que o clube deu a partir de 2015. Foi protagonista na conquista de três grandes títulos e um símbolo da postura desejada em campo, jogando sempre com entrega total. Sua saída dói, e muito.

Dói, mas passa

Quando um ídolo dessa envergadura deixa o clube, é sempre um golpe para a torcida. É doloroso, é deprimente, mas faz parte. Como todos estão cansados de saber, os jogadores passam e o clube continua. A saída de Dudu precisa ser superada – e será, mais cedo, ou mais tarde.

Embora a diretoria tenha acenado em off com reposições, é bem pouco provável que aconteça. A rigor, a reposição foi feita antes mesmo de sua saída, com a chegada de Rony. À época, foi pontuado que o Palmeiras não precisava de mais um jogador para a função de atacante de flanco, por melhor que fosse a qualidade do novo contratado. Agora faz sentido.

Enquanto não tinha a saída definida, Dudu estava sendo cotado por Vanderlei Luxemburgo para jogar por dentro – algo que ele poderia fazer bem, mas que ainda era uma incógnita. O fato é que, com Willian, Rony, Veron, Wesley e Luan Silva à disposição, taticamente a saída de Dudu não abre nenhum grande buraco no elenco, desde que Luxa encaixe bem alguém para fazer o miolo.

Em valores absolutos, a transação é muito boa. Excepcional, na verdade. São quase R$ 2 milhões mensais, entre salários e outras obrigações, economizados. E claro, cerca de R$ 45 milhões no caixa, que provavelmente abaterão parte dos cerca de R$ 170 milhões que o clube passou a dever para a Crefisa da noite para o dia, em valores corrigidos. O que é bastante questionável é se Dudu vale isso ou muito, muito mais.

Ele volta?

Dudu e Vitor Hugo

O modelo da transação foi um empréstimo com opção de compra. Hoje, ninguém gostaria de ter perdido Dudu, uma referência técnica, artilheiro e homem com participação decisiva com dezenas de assistências. Mas uma vez que ele saiu, o time vai superar sua saída e se readaptar. Muitos jogadores poderão ganhar espaço e crescer muito.

Daqui a um ano, se Dudu voltar, o Palmeiras deixará de ganhar mais € 6 milhões. É como comprar o jogador de volta. A pergunta é: valerá a pena pagar esse valor por um jogador de 28 anos? Hoje, a maioria dos palmeirenses, ainda machucados com sua saída, diria que sim, mas daqui a um ano, talvez a resposta seja outra. Vai depender muito do encaixe do time.

O fato é que sua volta não depende do Palmeiras, e sim do clube catari, para quem a quantia é irrisória. A não ser que Dudu não se adapte e que faça força para deixar o Oriente Médio, é bem pouco provável que a compra não seja concretizada. O que nos permite pensar de forma bem concreta que este “até breve”, na verdade, é mesmo um “adeus”.

Tanto a torcida quanto o clube precisam superar sua saída. E isso vai acontecer. Nada como uma sequência de jogos para que voltemos a olhar para a frente.

Gratidão

Dudu

Nestes pouco mais de cinco anos, Dudu fez tudo o que a torcida queria de um jogador em campo: marcou gols em todos os principais rivais, tirou sarro, montou de cavalinho, deu tranco em juiz, meteu gol de cobertura e meteu gol em final, foi o maior artilheiro e o jogador com mais assistências.

Dudu foi ídolo e referência também para as crianças, que viam nele o principal motivo para serem palmeirenses e jogadores de futebol quando crescerem. Nossa torcida aumentou demais por causa de Dudu, que conseguiu um fato raro: mais de cinco anos vestindo a mesma camisa.

Depois de usar o mesmo nome de um consagrado ídolo que até busto tem na sede do clube; com a mesma camisa 7 consagrada por Julinho Botelho, Jorginho e Edmundo, Dudu vai deixar muitas saudades e merece toda a gratidão da torcida do Palmeiras. Que seja muito feliz na sequência de sua carreira.

E se acabar voltando, claro, vai ter lugar no time. No coração da torcida, o lugar já está cativo.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.

  • Há tempos eu não escrevia por aqui (preciso retomar este bom hábito, aliás), e hoje retorno para deixar público e para posteridade o meu agradecimento por tudo que o Dudu fez dentro de campo, pelos tantos gols, assistências, títulos e o brio que o palmeirense valoriza. Temo seriamente que sua saída (independente de todos os motivos que culminaram neste final) seja o sinal de velhos e sombrios tempos, uma vez que só não enxerga o rumo político da SEP quem realmente não quer.

    No mais, evidentemente, é dar todo o apoio a quem veste nossa camisa, começando por amanhã. Passa muito pelo comportamento do torcedor as possibilidades de um 2020 com taças. VAMOS, PALMEIRAS!

  • Que texto Conrado! Dia triste e o clube vai seguir sim… Dudu trouxe aquela vontade maior de frequentar o estádio. Emprestar o Dudu por um ano por 6 milhões de Euros ao meu ver é um bom negócio. Espero que o Palmeiras não precise dos outros 7 e ele volte para um time reforçado e ajustado. Volte para brigar por títulos e não para agradar a nação alviverde.
    Espero que a torcida tenha paciência pois ajustar o time agora vai ser bem dificil. Claramente o time não terá aquele desafogo, perderá verticalidade e agressividade no ataque. Só espero que o diretoria não minimize a saída dele … Não é o momento para loucuras. Mas isso não pode ser uma muleta para não reforçar o time. Sejam inteligentes como foram com Viña. Avanti Palestra!

  • No momento é insubstituível, é como quando Ademir da Guia parou, ficamos órfãos por 18 anos…Para um time que diz almejar Libertadores, que para isso até ABANDONA paulistas, deixando o rival disparar na frente em títulos, é muito estranho desfazer-se de um craque por causa de feministas. Jogador não é líder espiritual, não tem de ser exemplo de nada, tem apenas de jogar bem e dar títulos, como o Dudu fazia. Amo o Palmeiras, mas sei que não ganhará nada por um bom tempo.

  • Sei que ele não vai ler. Mas como não tenho redes socais onde eu posso deixo meu sentimento por esse cara. Ídolo, muito triste com sua saída. Acabei de assistir uma entrevista dele, chorou a entrevista inteira quando fala do Palmeiras, chorei junto. Para que tenho pouca idade e tive a honra de ver Marcão e agora o Dudu. Vai com Deus Dudu e até breve!!!

  • São tantas coisas a se considerar na saída dele que não tentarei nem mesmo esboçar um comentário sobre. Fica o sentimento de tristeza e certamente será muito estranho o anúncio da escalação quarta-feira sem o Baixola.

  • Pandemia, sem Palmeiras e ainda perdemos nosso melhor jogador e acima de tudo o que mais se entregava de campo, hoje é um dia triste.
    É verdade a frase que o clube fica e os jogadores passam, mas fazia tempo que não ficava triste com a saída de um jogador.
    Que seja feliz, ganhe dinheiro e tenha sucesso, pois sempre honrou nosso manto.

    Vejo nosso elenco forte, se bem encaixado e motivados dará muitos frutos, porem precisamos de uma referencia, seja técnica ou de liderança.

    Avanti Palestra!

  • Uma hora iria acontecer, todos nós já sabíamos. Ficar 5 anos vestindo a mesma camisa, é raridade hoje em dia.
    Obrigado por tudo Dudu, que seja feliz e tenha sucesso nessa nova etapa da vida.
    Espero um dia voltar a ver você usando o nosso manto, nem que seja apenas para aposentadoria, mas volte, marcou e mudou muita coisa.
    Reposição de um ídolo é difícil e não pelo lado técnico e sim pela força emocional, que agora sejamos maduros e sensatos que tenho certeza que nosso futuro ainda é vitorioso.

  • Infelizmente voltamos ao passado negro, com uma diretoria e um presidente incompetente. Esse “presidente” deu sorte que o Felipão ganhou um brasileiro para nós. Quando tínhamos o Nobre e o Mattos, apesar de muitos criticarem o Mattos, ele trabalhou muito bem, porque o Nobre o comandava. Aí veio esse “presidente” e o Mattos não teve o mesmo desempenho. Podem escrever, o Dudu volta para o time que o mattos estiver trabalhando. As amebas que temos no time ninguém quer. É o bom e barato de volta. Abri mão de um ídolo como o Dudu, é o fim da pica. E não venham falar que ele saiu porque quis. Aliás, cadê o nosso glorioso diretor de futebol zzzzzzzzzzzzzzzzzz

  • Fico triste porque perdemos nossa referência em campo, nosso maior ídolo recente e um verdadeiro craque. Difícil, mas espero que volte.