João Martins festeja título da Recopa e explica formação inicial com Veron no ataque

João Martins durante entrevista coletiva na conquista da Recopa Sul-Americana, após jogo contra o Athletico-PR, na segunda partida válida pelas finais, no Allianz Parque.
Cesar Greco

João Martins substituiu Abel Ferreira na entrevista coletiva após a conquista sobre o Athletico-PR

O Palmeiras venceu o Athletico-PR por 2 a 0 (gols de Zé Rafael e Danilo) e sagrou-se campeão da Recopa Sul-Americana. Após a partida, o auxiliar técnico João Martins foi quem concedeu entrevista coletiva. O assistente substituiu Abel Ferreira na sala de imprensa do Allianz Parque porque o comandante palmeirense foi expulso nos minutos finais do jogo.

“Tivemos bola, conseguimos empurrar eles para trás. O adversário defendeu muito bem a zona de finalização. Tivemos dificuldades de encontrar espaços nos cruzamentos, eles têm dois zagueiros altos e sabíamos que seria difícil. Queríamos outro tipo de cruzamento, mas muito vezes não conseguimos. Enfrentamos uma equipe que nos criou muitas dificuldades e estamos de parabéns pela conquista”, analisou Martins, que também explicou a formação inicial da equipe, que teve Gabriel Veron como ponta esquerda.

“Queríamos intensidade no corredor, queríamos ter ações de 1 x 1 no corredor. Ter acelerações nessa faixa do campo. Sentimos essas dificuldades na ida. E tínhamos que conseguir isso no jogo da volta. Assim que quebrássemos a primeira linha de quatro, tínhamos que ter dois pontas para acelerar sobre a última linha deles. O Veron iniciou muito bem, depois optamos pelo Wesley, porque tínhamos que manter a intensidade. Sabíamos também que o lateral-direito não tinha jogado a partida de ida e queríamos explorá-lo”, contou.

João detalhou ainda como era a forma de defender do Athletico-PR e explanou como o Palmeiras buscou ter sucesso contra os paranaenses.

“Eles se utilizaram de duas linhas de quatro, e são muito competentes. Sabíamos que precisávamos de paciência para quebrar essas linhas, ser rápidos e que o nosso lateral precisaria furar o primeiro bloco, o dos médios”, iniciou.

“Depois de conseguirmos isso, tínhamos que forçar a última linha deles com movimentos entre o zagueiro e o lateral, como furar e passar para trás, porque eles defendiam em zona e não acompanhavam os nossos laterais. Foi isso que forçamos, trabalhamos isso na semana. No jogo de ida cometemos alguns erros de precipitação”, complementou.

João Martins comenta a respeito do livro de Abel Ferreira

João Martins durante entrevista coletiva na conquista da Recopa Sul-Americana, após jogo contra o Athletico-PR, na segunda partida válida pelas finais, no Allianz Parque.
Reprodução

No final da entrevista coletiva, o auxiliar falou um pouco sobre o livro lançado por Abel Ferreira e seus assistentes, que conta os bastidores da trajetória da comissão técnica portuguesa no Palmeiras.

“Deu um trabalho [fazer o livro]. O livro estava quase terminado e quisemos acrescentar mais alguns capítulos, isso fez com que atrasasse um pouco a versão final. Vamos esperar para ganhar mais competições para fazer a segunda versão”, finalizou.

O Palmeiras ainda não havia conquistado o título da Recopa Sul-Americana. Com esse troféu, o clube tem, atualmente, seis conquistas internacionais.