João Martins freia empolgação após goleada e elogia Rafael Navarro

João Martins em jogo do Palmeiras contra o Independiente Petrolero, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

João Martins substituiu Abel Ferreira, que cumpriu suspensão por expulsão no segundo jogo da Recopa Sul-Americana

Assim como na estreia do Palmeiras na Libertadores 2022, contra o Deportivo Táchira, quem comandou o Palmeiras à beira do gramado na goleada histórica por 8 a 1 sobre o Independiente Petrolero (BOL), na noite de terça-feira, foi o auxiliar técnico João Martins, que substituiu o suspenso Abel Ferreira.

Em entrevista coletiva ao final da partida, Martins enalteceu o feito do Palmeiras contra os bolivianos, mas freou a empolgação pelo resultado. “Sabemos que foram só mais três pontos, queremos fazer o máximo de pontos possível nessa primeira fase para ficar em primeiro e ter a vantagem dos jogos em casa. Não podemos diminuir o ritmo”, disse.

O 8 a 1 sobre o Petrolero foi a maior goleada do Palmeiras na História da Libertadores e do Allianz Parque. Além disso, a equipe ultrapassou a marca de 400 gols na competição e se tornou o brasileiro com mais vitórias como mandante, com 72.

“Nos sentimos orgulhosos [pelas marcas alcançadas], mas esses recordes não ganham títulos. Fico feliz pelo Rony [maior artilheiro do Palmeiras na Libertadores, ao lado de Alex] e Navarro também. A equipe em geral”, completou João Martins.

Com uma escalação inicial alternativa, o Palmeiras teve na formação de ataque Breno Lopes, Navarro, Gabriel Veron e Wesley. No primeiro tempo, Breno começou aberto pela direita, enquanto Veron estava mais por dentro. No segundo tempo, os dois inverteram de posição e João Martins explicou os motivos dessa alteração.

“Foi por conta do gol que sofremos. O adversário se fechou em uma linha de cinco e precisávamos de muitos movimentos sem bola, que não fizemos na primeira parte. Estávamos estáticos, apesar de termos tido chances de ter feito o segundo gol. Optamos por trocá-los. Sabíamos que o Breno faz muito bem o movimento entre o zagueiro e o lateral; foi assim que saiu o gol do 2 a 1. Nós tínhamos de ter boas ações de facões entre as linhas dos zagueiros, furar aquela linha”, detalhou.

João Martins elogia Rafael Navarro

Rafael Navarro comemora um de seus gols com Vitor Castanheira e João Martins pelo Palmeiras, contra o Independiente Petrolero, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Depois de marcar dois gols na Venezuela contra o Táchira, Rafael Navarro novamente brilhou na Libertadores e foi às redes quatro vezes diante da equipe boliviana. O jogador, que teve um início difícil no Verdão, foi elogiado por João Martins.

“Ficamos muito felizes com o Navarro, independentemente de ter feito gol ou não. Sabemos que o centroavante tem a necessidade de fazer o gol, mas a vida do jogador e do treinador é saber lidar e ser equilibrado em todos os níveis. Não houve nenhum trabalho diferente com ele. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde os gols iam aparecer, ele tem qualidade. E se nos próximos três jogos não fizer gols, não pode voltar a ser o pior do mundo”, disse.

“Sabemos que tem que ter sempre equilíbrio. Isso faz parte do nosso trabalho. Não é porque ficou 13 jogos sem fazer gols que era o pior do mundo, não é agora que fez seis gols em dois jogos que vai ser o melhor do mundo. Faz parte do nosso trabalho passar esse equilíbrio aos atletas”, finalizou.

Com a vitória, o Palmeiras chegou a seis pontos na competição e manteve a liderança do Grupo A. A equipe volta a campo no próximo sábado para jogar o Brasileirão. Após a derrota para o Ceará, o Verdão busca a reabilitação contra o Goiás, em Goiânia.

João Martins relata dificuldade na preparação para enfrentar o Táchira e elogia jogadores

João Martins em jogo, do Palmeiras contra o Deportivo Táchira, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Estádio Pueblo Nuevo.
Cesar Greco

Substituindo Abel Ferreira no banco de reservas, João Martins falou também sobre os objetivos do clube na fase de grupos

Com dois gols de Rafael Navarro, um de Dudu e outro de Raphael Veiga, o Palmeiras goleou o Deportivo Táchira, fora de casa, na primeira rodada da Fase de Grupos da Libertadores de 2022. Após a partida, João Martins, que substituiu o suspenso Abel Ferreira à beira do gramado, concedeu entrevista coletiva e elogiou o desempenho da equipe.

“Sabíamos da dificuldade que iríamos passar, sabíamos que iríamos enfrentar uma equipe que ia nos criar dificuldades principalmente no setor defensivo. A gente não podia sofrer o primeiro gol porque complicaria muito o nosso trabalho. Os jogadores tiveram um comportamento bom desde o primeiro segundo, uma ótima consistência. É muito importante iniciar bem a competição, principalmente nos jogos fora de casa”, iniciou Martins.

A escalação inicial do Palmeiras contou com apenas quatro jogadores dos considerados titulares: Weverton, Gómez, Dudu e Raphael Veiga. A opção da comissão técnica em escalar uma equipe alternativa se deu por conta do calendário pesado do Palmeiras neste início de ano.

“É muito difícil para os jogadores que não jogam constantemente terem o desempenho que tiveram hoje [quarta-feira]. Estão de parabéns. Isso acontece por causa do trabalho, dedicação e sacrifício. O jogo acabou e alguns deles estão treinando. Pode ser que alguns deles joguem no sábado [contra o Ceará, pelo Brasileirão]. Independentemente de quem joga, é o Palmeiras que entra em campo e todos têm que estar preparados”, complementou.

O auxiliar técnico comentou também a dificuldade que o clube teve para se preparar para o duelo. Devido à viagem longa, a equipe precisou treinar em um horário diferente na terça-feira passada, às 7h.

“Para nós este jogo era muito complicado para se preparar, tivemos um jogo decisivo domingo e tivemos de treinar às 7h de terça-feira. A viagem durou 9h. Sabíamos que íamos encontrar alguns espaços no contra-ataque e nas costas do médio, preparamos isso ontem antes da viagem. A gente tinha que se preparar bem para as transições do Táchira, principalmente por conta dos seus velozes atacantes. Tentamos de forma simples passar essas informações e os jogadores estão de parabéns por colocar tudo em prática”, relatou.

João Martins fala sobre objetivo na fase de grupos: 18 pontos

João Martins em jogo, do Palmeiras contra o Deportivo Táchira, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Estádio Pueblo Nuevo.
Cesar Greco

Para finalizar, João Martins destacou a importância de o Palmeiras conseguir somar o máximo de pontos possíveis nesta fase da competição, visando a vantagem de decidir os jogos em casa no mata-mata.

“Vamos continuar a lutar para somar pontos, em casa e fora. Nessa competição é muito importante ter a melhor classificação possível para jogar em casa. Há dois anos conseguimos o primeiro lugar [no geral], e no ano passado o segundo. Isso nos obrigou a jogar a segunda semifinal fora de casa [diante do Atlético-MG]”, falou.

“Sabemos da importância do segundo jogo em casa. Nos seis jogos da primeira fase temos de conseguir o máximo de pontos, o máximo de gols. Isso faz com que a equipe tenha o pé no acelerador. Nosso objetivo é jogo a jogo. Já ganhamos um e agora faltam cinco”, concluiu.

Com a vitória, o Palmeiras é o líder do Grupo A, com três pontos, à frente de Emelec (EQU) e Independiente Petrolero (BOL), que somam um ponto cada, e Deportivo Táchira (VEN), ainda zerado. O próximo jogo na Libertadores acontece já na terça-feira, diante da equipe boliviana, no Allianz Parque.

Suspenso, Abel Ferreira não comandará o Palmeiras na estreia da Libertadores 2022

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Athletico-PR, durante segunda partida válida pelas finais da Recopa Sul-Americana 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Abel Ferreira cumprirá suspensão automática por ter sido expulso no segundo jogo da Recopa Sul-Americana

Campeão Paulista no último domingo, ao bater o SPFC por 4 a 0 no Allianz Parque, o Palmeiras já tem outro compromisso importante nesta quarta-feira, a estreia na Libertadores de 2022. O duelo será diante do Deportivo Táchira, em San Cristóbal, na Venezuela.

Por conta da maratona de jogos, o Verdão enfrentará os venezuelanos com algumas mudanças na equipe. Piquerez e Rony estão machucados, enquanto Marcos Rocha e Danilo, poupados, sequer viajaram com a delegação.

Além da alteração em campo, o Palmeiras terá uma mudança também no banco de reservas: expulso contra o Athletico-PR, no segundo jogo da Recopa Sul-Americana, o técnico Abel Ferreira está suspenso para a partida e desfalcará o Verdão.

O comandante foi ejetado do confronto diante dos paranaenses nos minutos finais, após chutar uma garrafinha na comemoração do segundo gol palmeirense. Na ocasião, a ação de Abel causou revolta no banco de reservas adversário.

João Martins deve substituir Abel Ferreira

O calmo João Martins deve ser o substituto de Abel contra o Deportivo Táchira. Com o auxiliar técnico à frente do banco de reserva palmeirense, o clube nunca foi derrotado: foram 11 partidas, com seis vitórias e cinco empates, com 22 gols marcados e dez sofridos.

Atual bicampeão da Libertadores, o Palmeiras está no Grupo A, ao lado de Deportivo Táchira (VEN), Emelec (EQU) e Independiente Petrolero (BOL).

Na súmula, Matheus Candançan relata conflito entre equipe de arbitragem e Anderson Barros

Na súmula, Matheus Candançan relata conflito entre equipe de arbitragem e Anderson Barros.
Cesar Greco

O jovem árbitro também explicou na súmula o motivo da expulsão de João Martins, auxiliar técnico do Palmeiras

O Palmeiras enfrentou o SCCP na noite de ontem e venceu o rival por 2 a 1. Apesar do resultado apertado, o Verdão dominou as ações em quase toda a partida e marcou um gol em cada tempo: Raphael Veiga, de pênalti, aos 28’ da primeira etapa; e Danilo, aos 23’ do segundo tempo, aproveitando rebote do goleiro Cássio.

O Derby teve no comando do apito o jovem Matheus Delgado Candançan, que na súmula após a partida, relatou um conflito entre a equipe de arbitragem e dois profissionais do Palmeiras: Carlos Martinho (auxiliar de Abel) e Anderson Barros (diretor de futebol).

De acordo com Candançan, Martinho foi em direção aos juízes no final do jogo, nas escadas que dão acesso aos vestiários, e proferiu as seguintes palavras: “foi falta antes do pênalti, só vocês não viram, ele [Róger Guedes] empurrou”.

O documento aponta ainda que o quarto árbitro, Salim Fende Chavez, colocou-se à frente de Candançan na reclamação de Carlos Martinho e pediu para o assistente se retirar. Em seguida, o árbitro relata que Anderson Barros tomou à dianteira da discussão, “segurou a camisa do quarto árbitro” e disse: “você não pode falar assim, aqui eu que resolvo as coisas”, escreveu.

Seguranças do Palmeiras tiveram um rápido confronto com o policiamento presente no local e a discussão foi encerrada.

Árbitro relata na súmula motivo da expulsão de João Martins

Além de detalhar o conflito nos vestiários do Allianz Parque, Matheus Candançan também explicou na súmula os motivos que o levaram a expulsar João Martins, assistente técnico do Palmeiras, que foi ejetado da partida aos 43 minutos da etapa final.

“Expulso por sair de seu banco de reservas e ir na direção do 4º árbitro, Sr. Salim Fende Chavez, reclamando acintosamente das decisões da arbitragem com gestos e ações, proferindo as seguintes palavras: ‘vocês têm que checar, só checam para os caras’”, relatou.

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo para jogar a última rodada da primeira fase do Paulista. Líder do Grupo C e já classificado para as quartas-de-final, o Verdão espera pela definição do seu adversário; Ituano, Botafogo e Mirassol brigam por essa última vaga na chave.

João Martins festeja título da Recopa e explica formação inicial com Veron no ataque

João Martins durante entrevista coletiva na conquista da Recopa Sul-Americana, após jogo contra o Athletico-PR, na segunda partida válida pelas finais, no Allianz Parque.
Cesar Greco

João Martins substituiu Abel Ferreira na entrevista coletiva após a conquista sobre o Athletico-PR

O Palmeiras venceu o Athletico-PR por 2 a 0 (gols de Zé Rafael e Danilo) e sagrou-se campeão da Recopa Sul-Americana. Após a partida, o auxiliar técnico João Martins foi quem concedeu entrevista coletiva. O assistente substituiu Abel Ferreira na sala de imprensa do Allianz Parque porque o comandante palmeirense foi expulso nos minutos finais do jogo.

“Tivemos bola, conseguimos empurrar eles para trás. O adversário defendeu muito bem a zona de finalização. Tivemos dificuldades de encontrar espaços nos cruzamentos, eles têm dois zagueiros altos e sabíamos que seria difícil. Queríamos outro tipo de cruzamento, mas muito vezes não conseguimos. Enfrentamos uma equipe que nos criou muitas dificuldades e estamos de parabéns pela conquista”, analisou Martins, que também explicou a formação inicial da equipe, que teve Gabriel Veron como ponta esquerda.

“Queríamos intensidade no corredor, queríamos ter ações de 1 x 1 no corredor. Ter acelerações nessa faixa do campo. Sentimos essas dificuldades na ida. E tínhamos que conseguir isso no jogo da volta. Assim que quebrássemos a primeira linha de quatro, tínhamos que ter dois pontas para acelerar sobre a última linha deles. O Veron iniciou muito bem, depois optamos pelo Wesley, porque tínhamos que manter a intensidade. Sabíamos também que o lateral-direito não tinha jogado a partida de ida e queríamos explorá-lo”, contou.

João detalhou ainda como era a forma de defender do Athletico-PR e explanou como o Palmeiras buscou ter sucesso contra os paranaenses.

“Eles se utilizaram de duas linhas de quatro, e são muito competentes. Sabíamos que precisávamos de paciência para quebrar essas linhas, ser rápidos e que o nosso lateral precisaria furar o primeiro bloco, o dos médios”, iniciou.

“Depois de conseguirmos isso, tínhamos que forçar a última linha deles com movimentos entre o zagueiro e o lateral, como furar e passar para trás, porque eles defendiam em zona e não acompanhavam os nossos laterais. Foi isso que forçamos, trabalhamos isso na semana. No jogo de ida cometemos alguns erros de precipitação”, complementou.

João Martins comenta a respeito do livro de Abel Ferreira

João Martins durante entrevista coletiva na conquista da Recopa Sul-Americana, após jogo contra o Athletico-PR, na segunda partida válida pelas finais, no Allianz Parque.
Reprodução

No final da entrevista coletiva, o auxiliar falou um pouco sobre o livro lançado por Abel Ferreira e seus assistentes, que conta os bastidores da trajetória da comissão técnica portuguesa no Palmeiras.

“Deu um trabalho [fazer o livro]. O livro estava quase terminado e quisemos acrescentar mais alguns capítulos, isso fez com que atrasasse um pouco a versão final. Vamos esperar para ganhar mais competições para fazer a segunda versão”, finalizou.

O Palmeiras ainda não havia conquistado o título da Recopa Sul-Americana. Com esse troféu, o clube tem, atualmente, seis conquistas internacionais.