0
X
1

13/08/2022 - 19:00

SCCP 0x1 Palmeiras

Em jogo apertado, em que a superação física fez a diferença, o Palmeiras derrotou o SCCP por 1 a 0 no Itaquerão e abriu enorme vantagem sobre o pelotão no Campeonato Brasileiro: são no mínimo 7 pontos em relação ao segundo colocado – dependendo dos resultados do complemento da rodada, essa diferença pode ser até de nove.

Esgotado pelo esforço extremo do jogo pela Libertadores na quarta-feira, o Verdão enfrentou um adversário que teve um dia a mais de descanso e que foi apoiado por mais de 44 mil pessoas, mas mesmo assim soube controlar o jogo e deu o bote fatal num erro do rival no segundo tempo, quando a parte física já falava mais alto.

***

Sem Gustavo Scarpa, que sentiu uma pancada no pé esquerdo no jogo contra o Atlético, o Verdão entrou em campo com Flaco López por dentro e Rony fazendo o lado esquerdo. O ritmo de nossa equipe foi nitidamente inferior ao observado nos jogos mais importantes, mesmo sendo um Derby, contra o vice-líder do campeonato.

Com experiência, o Verdão cozinhou o jogo, dando aos rivais a falsa impressão (sustentada até nas declarações após o jogo) de que eles jogavam melhor. Todas as rotas estavam fechadas e Weverton foi ameaçado apenas por chutes de fora da área.

Enquanto o adversário se desdobrava para achar espaços em nossa defesa, nosso time se poupava fisicamente, recorrendo frequentemente aos lançamentos para a velocidade de Rony, que lutava sem muito sucesso contra a linha de impedimento do time da casa.

À medida que o tempo passava, o desgaste no rival ficava mais aparente e já não havia mais tanta diferença em relação ao nosso time, que ainda trazia o cansaço do esforço sobre-humano do duelo contra o Atlético. Com os tanques de gasolina equiparados, nossos jogadores passaram a prevalecer cada vez mais nas disputas de bola.

Em Derbies, erros costumam ser fatais. O Palmeiras se limitava a errar no último terço, o que não oferecia ao adversário a chance de incomodar nosso goleiro. Mas quando os donos da casa cometeram um erro em nossa intermediária, deram a oportunidade do golpe fatal.

Fagner atravessou a bola e deu nos pés de Dudu, que ligou rápido com Wesley na esquerda. Novo no jogo, o camisa 11 conduziu com autoridade, percebeu a passagem por fora de Piquerez – que estava correndo desde o apito inicial e ainda assim esbanjou vitalidade – e o uruguaio fez o centro perfeito; a bola chegaria a Flaco López, mas Roni acabou complementando o serviço e tocou contra as próprias redes.

A pouco mais de 15 minutos do fim, o time da casa tentou alguns ataques de forma desordenada, sem resultado – se tivesse que sair mais algum gol no jogo, seria do Palmeiras, que seguia bem posicionado nos contra-ataques e teria ampliado o placar nos acréscimos não fosse uma intervenção absurda da arbitragem, que inventou uma falta de Rafael Navarro num lance em que Bruno Méndez claramente caiu sozinho – o camisa 29 arrancava livre em direção ao gol de Cássio.

A vitória no Derby, surpreendentemente, não causou euforia em nossa torcida, ainda um tanto anestesiada pela classificação épica no jogo anterior. Mesmo jogando contra o vice-líder, fora de casa, o jogo pareceu apenas “mais um”.

Mas as consequências do resultado são brutais. A diferença na tabela aumenta a margem para erros e dá uma tranquilidade imensa para a sequência da temporada, já apontando para a conclusão dos dois campeonatos.

A crise instalada no rival dá um prazer imenso. As reações da torcida adversária nas redes sociais são impagáveis. O ano deles está por um fio e possivelmente o treinador, que tem muito dinheiro no banco, pode ter o trabalho interrompido, jogando-os mais uma vez de volta ao ciclo infinito de demitir-e-contratar técnicos.

Este time segue entregando tudo o que nós, palmeirense, sempre desejamos. Demolindo marcas, fazendo estragos nos rivais e empilhando taças. Ainda há duas para conquistar este ano e não se vence nada por antecipação. Mas só de poder sonhar com um ano com quatro troféus, já tão perto do fim, nos enche de orgulho e faz este grupo merecer todos os aplausos possíveis. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

44.666

Raphael Claus

Escalação

SCCP

Cássio
Rafael Ramos
Fagner
Bruno Méndez
Balbuena
Lucas Piton
Du Queiroz
Fausto Vera
Roni
Gustavo Mosquito
Adson
Renato Augusto
Róger Guedes
Yuri Alberto
Vítor Pereira
TÉCNICO


Primeiro tempo

13'
SCCP

Renato Augusto tabelou com Gustavo Mosquito, recebeu dentro da área e bateu rápido – Weverton pegou firme no canto esquerdo.

18'

Róger Guedes entrou de sola em Gustavo Gómez e recebeu cartão amarelo. Após rever a jogada, alertado pelo VAR, Raphael Claus manteve a decisão. Na Conmebol, essas jogadas renderam cartão vermelho ao Palmeiras.

24'
Palmeiras

Raphael Veiga recuperou a bola no campo de defesa e lançou rápido para Rony, que disparou pela esquerda, invadiu a área e chutou forte – Cássio pegou firme.

39'
SCCP

Renato Augusto arriscou de fora; a bola pingou na frente de Weverton, que teve problemas mas conseguiu espalmar para o lado esquerdo.

42'
Palmeiras

Danilo lançou longo para Rony no comando; o camisa 10 aparou no peito e emendou um chute forte ainda de fora da área, mas pegou muito embaixo da bola.

43'
SCCP

Renato Augusto teve muita liberdade, conduziu por dentro e bateu forte, por cima do gol.

47'

Raphael Claus encerrou o primeiro tempo.


Segundo tempo

As duas equipes voltaram sem alterações dos vestiários.

1'
Palmeiras

Com dez segundos, Rony tentou um chute de fora; a bola resvalou em Balbuena e quase enganou Cássio. Vinte segundos depois, após bola recuperada lançada para a área, Rony tentou a bike e foi deslocado no ar.

5'
SCCP

Renato Augusto tabelou com Fausto Vera e bateu de esquerda, visando o ângulo direito de Weverton, mas errou o alvo.

9'
Palmeiras

Raphael Veiga acelerou por dentro, abriu para Rony na esquerda e o camisa 10 trouxe para dentro para bater forte de direita, sem direção.

13'
SCCP

Renato Augusto deu bom passe de calcanhar par Lucas Piton, que bateu forte da meia esquerda – Gustavo Gómez meteu a cabeça na bola, ela subiu e ia caindo dentro do gol, mas Weverton estava atento e deu um tapinha a escanteio.

15'
SCCP

Fagner fez boa jogada pela direita, acionou Vera que ligou rápido com Mosquito, que foi ao fundo e cruzou; Gustavo Gómez se atirou na bola, cortou o lance e a bola ficou com Weverton.

16'

Entraram Wesley e Gabriel Menino nos lugares de Rony e Raphael Veiga.

26'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Dudu aproveitou passe errado de Fagner e abriu para Wesley; Piquerez fez ótima ultrapassagem por fora de Wesley, recebeu e cruzou; López se preparava para escorar mas Roni se antecipou e acabou fazendo gol contra.

28'

Bruno Tabata entrou no lugar de Dudu para fazer sua estreia no Palmeiras.

36'
Palmeiras

Bruno Tabata tabelou com Flaco López e bateu da meia lua; pressionado, não conseguiu encaixar um bom arremate e a bola ficou fácil para Cássio.

42'

Flaco López deu lugar a Rafael Navarro.

47'
Palmeiras

Em contra-ataque, Rafael Navarro ganhou de Bruno Méndez no mano a mano e sairia sozinho na frente de Cássio, mas o juiz arrumou uma falta para parar o lance.

48'

Raphael Claus encerrou o jogo após mais um erro grosseiro contra o Palmeiras.



Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Bem colocado, resolveu sem problemas os lances em que foi exigido.
7
Mayke
Dominou o setor, não dando chances a Róger Guedes.
7
Gustavo Gómez
Seguiu a rotina de impor respeito a todos: Adversários, torcida rival e imprensa. XERIFE.
9
Murilo
O encaixe com Gómez melhora a cada jogo. Dupla monstruosa.
8.5
Piquerez
Fazia um jogo OK até a arrancada que deu origem ao gol da vitória, quando brilhou intensamente.
8
Danilo
Só preencheu os espaços e deu sequência aos lances de forma burocrática. Quando tentou lançamentos longos, não deu em nada.
6.5
Zé Rafael
Dominou o meio do campo, dando toda a robustez que o time precisava para não ser dominado pelo adversário. Um gigante.
9
Dudu
Discreto, só brilhou mesmo no lance do gol. O que não é pouco.
7
Bruno Tabata
s/n
Raphael Veiga
Ficou encaixotado na marcação do adversário e fez um jogo apagado.
6.5
Gabriel Menino
Deu nova vida ao setor criativo.
7
Rony
Foi importante para cansar o adversário. E cansou demais a si próprio, claro. Pena que não acertou quase nada e ainda ficou várias vezes impedido.
6
Wesley
Quando joga para o time, entrega mais. Ainda precisa entender melhor este conceito. Grande participação no lance do gol.
6.5
López
Saiu bastante da área e participou da armação, visando Rony. Quando jogou de NOVE-NOVE, induziu o gol contra.
7
Rafael Navarro
s/n
Abel Ferreira
Abel Ferreira
Ele sempre tem um plano. Funcionou de novo.
7.5




  • Errou no texto quando escreveu “apoiado por mais de 44 mil pessoas”. O certo seria “apoiado por um público de mais de 44 mil” já que tenho minhas dúvidas que aquela torcida é composta por pessoas..