Titular na finalíssima, Mayke superou as desconfianças e foi decisivo para o título

Mayke do Palmeiras em disputa com Bruno Henrique do Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário, em Montevideo.
Cesar Greco

Responsável por dar a assistência para o primeiro gol do Palmeiras, Mayke revelou que quase não dormiu antes da final

Desde o confronto diante do Atlético-MG na semifinal da Libertadores, quando Marcos Rocha levou o terceiro cartão amarelo e ficou suspenso para a decisão, a vaga na lateral-direita para o confronto diante do Flamengo era a principal dúvida na escalação palmeirense, entre os torcedores.

Com Mayke e Gabriel Menino disponíveis, o técnico Abel Ferreira revelou em entrevista coletiva após o título que fez a escolha por Mayke no lugar de Rocha depois do jogo frente ao Fluminense, que ocorreu no último dia 14.

No Palmeiras desde 2017, o camisa 12 conviveu com altos e baixos no Verdão. Na campanha do decacampeonato Brasileiro, em 2018, foi o titular de Felipão e chegou a ser eleito o melhor lateral-direito daquela competição. Entretanto, nos anos seguintes, caiu de produção e virou reserva.

“Eu acredito muito em mim e os companheiros também, além do treinador e da diretoria. Isso é o que importa. Sempre que eu entrar em campo, vou dar o meu máximo para dar alegrias aos torcedores. Sei do tamanho do Palmeiras e a pressão externa, mas não deixo isso me afetar. É trabalho”, disse o jogador à ESPN Brasil ao término da final da Libertadores.

Apesar da desconfiança da torcida, Mayke teve ótima performance contra os rubro-negros e foi decisivo para a conquista do título ao dar o passe para Raphael Veiga fazer o primeiro gol do Verdão, logo no início da partida. Além disso, o jogador obteve números consistentes: 8 duelos ganhos (tanto pelo alto quanto pelo chão) de 13 disputados; 4 desarmes e 4 interceptações; e 80% de acerto nos lançamentos.

“Falei com o Abel que quando ele precisasse de mim eu estaria sempre à disposição. Sempre faço o meu melhor. Graças a Deus hoje não foi diferente. Trabalhei muito. Fizemos uma excelente partida dentro do que o professor pediu. Agora é comemorar porque merecemos. É muito difícil estar aqui onde a gente está. É muito difícil ganhar uma Libertadores, imagina duas”, falou.

Mayke revela que quase não dormiu antes da final

No final de setembro, o lateral passou por uma artroscopia no joelho direito e só retornou à equipe no último dia 10. O jogo contra o Flamengo foi apenas o seu quarto após se recuperar da lesão.

Mayke do Palmeiras em disputa com Michael do Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário, em Montevideo.
Cesar Greco

“Vim de uma lesão complicada. Eu estava sentindo muitas dores no joelho e os doutores vieram com essa sugestão [de fazer a cirurgia], mas estava perto da final. Eu acreditei neles, temos um staff muito competente. Todos me ajudaram muito e é graças a eles que estive dentro de campo. Confesso que fiquei muito nervoso, quase não dormi direito. Mas o nosso grupo é sensacional”, contou.

“O Abel me deu a oportunidade, poderia até ser o Gabriel Menino, mas eu pude aproveitar. Fui poupado de alguns jogos para não ter uma possível lesão muscular e graças a Deus deu tudo certo”, finalizou.

  • O Mayke jogou demais. Um desses desarmes foi bem na hora do chute do Bruno Henrique, quase na pequena área. Neutralizou o Bruno Henrique, o que não é pouca coisa.