Abel lamenta revés e falta de eficiência do Palmeiras contra Athletico-PR

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Athletico-PR, durante partida válida pela décima quinta rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva, Abel evitou falar de tática e bateu na tecla das chances desperdiçadas

O Palmeiras finalizou 35 vezes contra o Athletico-PR e perdeu a partida, que ocorreu no Allianz Parque, por 2 a 0, desperdiçando assim a possibilidade de aumentar a distância para o segundo colocado do Campeonato Brasileiro.

Ao final do jogo, as respostas do técnico Abel Ferreira na entrevista coletiva tiveram como assunto principal a falta de efetividade da equipe.

“Quantas finalizações fizemos? 35. Então não vamos falar mais nada. Temos que ser mais eficientes, principalmente nas chances claras, e precisamos aceitar isso. Temos que estar mais concentrados, menos afobados. Criamos oportunidades suficientes, mesmo sofrendo dois gols, de ganhar do adversário”, disse o treinador.

“Saímos com o sentimento de tristeza, mas o futebol é assim. Jogamos contra uma equipe que se fechou toda e mesmo assim finalizamos 35 vezes. Construímos bem até uma parte do campo, mas não fomos competentes na finalização”, complementou.

Sobre os dois gols sofridos, o treinador evitou criticar os jogadores e assumiu a responsabilidade pelo revés.

“A responsabilidade é toda minha. Não preciso responsabilizar ninguém pelos dois gols que sofremos, eles sabem exatamente onde devemos melhorar. Erros acontecem no futebol e, se formos tão exigentes na sociedade como somos no futebol com jogadores e treinadores, com certeza viveríamos em um mundo melhor”, declarou o comandante.

Abel fala sobre a torcida do Palmeiras

O treinador falou também do comportamento da torcida palmeirense que, apesar do resultado negativo do time, aplaudiu os jogadores após o apito final.

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Athletico-PR, durante partida válida pela décima quinta rodada do Brasileirão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

“Não sou de criticar os jogadores. Sinto orgulho deles e da torcida, porque não há maior juiz do nosso desempenho que os nossos torcedores. Eles, assim como eu, reconheceram que jogamos, criamos para sair daqui com outro resultado. Não faltou apoio da parte deles do início ao fim e em momento algum senti eles nos vaiando”, enalteceu.

O Palmeiras volta a campo nesta quarta-feira para enfrentar o Cerro Porteño, no segundo jogo das oitavas-de-final da Libertadores. Pelo Brasileirão, a equipe joga no domingo que vem frente ao Fortaleza, no Castelão, às 18h.

“Não sou de olhar para a tabela de classificação. Isto é uma maratona até o final. Viemos de uma sequência dura de jogos, vamos continuar nisso, vamos dar o máximo de esforço, a equipe sabe a regra das 24 horas e seguiremos nosso caminho”, finalizou Abel Ferreira.