Após vitória, Abel enaltece elenco do Palmeiras e ironiza críticos

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Santos, durante partida válida pela décima primeira rodada do Paulistão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva após vitória por 1 a 0 sobre o Santos, Abel também falou sobre Raphael Veiga e voltou a criticar o calendário brasileiro

Jogando no Allianz Parque, o Palmeiras venceu o Santos por 1 a 0, na noite deste domingo, e manteve a invencibilidade no Campeonato Paulista. Raphael Veiga, de pênalti, marcou o gol palmeirense.

Ao final do jogo, em entrevista coletiva, o técnico Abel Ferreira elogiou o trabalho de todos os jogadores do elenco e também ironizou quem chama o Palmeiras de ‘retranqueiro’.

“O Palmeiras vem em um processo, crescendo. Quando chegamos ao Palmeiras, esse era nosso elenco, a maioria está aqui. Não houve grandes mudanças na equipe. Houve muito trabalho coletivo de todos. Os jogadores cresceram dentro do Palmeiras. É um gosto treinar esses jogadores. Essa equipe tem muita alma, sabe o que faz. Eu troco laterais, centrais, meias, centroavantes, pontas, e a equipe mantém um padrão. Mais uma vez, grande jogo ofensivo. Fico feliz que a torcida, que é o que me interessa, vê nossa forma de jogar, o empenho dos jogadores. Quanto mais unidos estivermos – torcida, direção e jogadores – mais temidos seremos. Sei que faz cócegas a muita gente, mas o Palmeiras é isso: muito foco, trabalho, qualidade no jogo”, disse Abel, que em seguida ironizou.

“Nossa equipe é um bocadinho retranqueira. Jogamos atrás, não criamos oportunidade de gol, não propõe, não ganha, não bate recordes”.

Contra o Santos, o Palmeiras dominou as ações da partida por todos os 90 minutos. A equipe finalizou 21 vezes contra o gol de João Paulo, sendo oito no alvo, e desperdiçou ótimas oportunidades na área.

“O que temos que continuar a fazer é isso. Precisa criar quantas? Duas, três, cinco, dez? Finalizar 21 vezes? Foi o que fizemos hoje. Grande ritmo, intensidade, sempre com os jogadores à frente da linha da bola, criando. Esse é o caminho”, acrescentou.

“O Palmeiras alimenta-se disso: títulos, vitórias, e para isso é preciso ser competitivo. É verdade que não tem um treinador com um currículo fabuloso, é verdade que não tem jogadores experientes, internacionais, mas, com nossa humildade, vamos levando água ao nosso moinho”, concluiu.

Abel comenta Veiga de capitão e pede por melhorias do calendário

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Santos, durante partida válida pela décima primeira rodada do Paulistão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Para o confronto, Abel escolheu Raphael Veiga como capitão da equipe, mesmo com Gómez e Weverton. O comandante explicou essa opção.

“Foi para reconhecer a importância que ele tem para nós. Conversei com os nossos líderes, Marcos Rocha, Gómez e Weverton, e eles entenderam qual era minha ideia. O Veiga é importante para o grupo, é uma inspiração para nós. É um 10 completo”, explicou.

Por fim, Abel novamente falou do calendário brasileiro, que não para quando há Data Fifa, e pediu por mudanças.

“Sabemos que ficaremos sem jogadores por conta das seleções. Antigamente tínhamos dois ou três, hoje temos mais. Fruto do trabalho deles. Se fosse o presidente de um clube, ficaria muito bravo, porque pago salários a jogadores e fico sem eles. Os clubes e as entidades são responsáveis. As federações têm de organizar campeonatos que possam parar em momentos de jogos de seleções. Enquanto não tivermos essa visão, vai ser difícil evoluir na qualidade de jogo”, finalizou.

O Palmeiras volta a campo na próxima quinta-feira, para encarar outro rival: o SCCP. A partida acontecerá novamente no Allianz Parque, às 20h30.