1
X
2

Defensa Y Justicia 1x2 Palmeiras: Verdão fica a uma partida de igualar recorde do River PlateCesar Greco

Em partida complicada, com cara de Libertadores na Argentina mesmo com um adversário tão combalido, o Palmeiras conseguiu mais uma vitória, aplicando 2 a 1 no Defensa Y Justicia no estádio Tito Tomaghello.

O resultado faz com que o Verdão dependa apenas de mais uma vitória, em três jogos, para garantir classificação, sem depender de mais nada. Poderia até pensar em outras competições, mas é melhor nem tocar nesse assunto…

Primeiro tempo

Pouca movimentação nos minutos iniciais. O Palmeiras ficava com a bola e tentava furar a retranca dos argentinos, que se posicionaram claramente de forma a atrair nosso time e jogar no contra-ataque.

21'
Defensa Y Justicia

Victor Luis recuou errado; Bou recuperou e alçou na meia-lua para a chegada de Benítez, que emendou de primeira por cima do gol, com perigo.

33'
Palmeiras

Patrick alçou na área buscando Rony, que dominou de costas para o gol e girou; a bola desviou em Juan Rodríguez e saiu a escanteio.

34'
Palmeiras

Na cobrança da esquerda, a zaga afastou parcialmente e Veiga tentou o domínio mas a defesa dividiu; a bola sobrou com Victor Luis que soltou uma sapatada; Unsain defendeu para a frente e ficou com ela na sequência.

39'
Defensa Y Justicia

Danilo saiu jogando mal e deu nos pés de Loaiza, que dominou e bateu colocado; Weverton deu dois passos para trás e espalmou a escanteio.

46'
Palmeiras

Patrick de Paula roubou a bola no meio-campo e enfiou para a corrida de Rony entre os zagueiros; ele conseguiu entrar na área com a bola dominada e chutou na saída de Unsain, que conseguiu desviar para escanteio – Rony finalizou mal.

47'

Wilmar Roldán, que pareceu apitar todas as disputas a favor do time da casa, encerrou o primeiro tempo.


Segundo tempo

Danilo ficou no vestiário; Felipe Melo veio para o jogo.

1'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Luiz Adriano recebeu na meia direita e enfiou no facão para Rony, que desta vez tocou bem na saída de Unsaín, por baixo, e abriu o placar.

10'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Veiga puxou o contra-ataque, 3 contra 3; ele abriu na direita para Luiz Adriano, que enxergou a projeção de Rony e tocou na medida na risca da pequena área para o camisa 7 escorar para o gol.

21'
Defensa Y Justicia

Gol do Defensa Y Justicia – Benítez bateu falta da direita; Tripichio fechou no segundo pau e escorou para as redes.

25'
Palmeiras

Luan apoiou pela direita e levantou na área, na medida para Raphael Veiga cumprimentar livre de marcação -a bola bateu na grama e saiu à direita de Unsain, batido.

29'

Danilo Barbosa entrou no lugar de Patrick de Paula.

34'

Wesley entrou no lugar de Luiz Adriano.

35'
Palmeiras

Veiga bateu falta da esquerda; a bola atravessou a área e chegou em Luan, que emendou forte de direita; a bola saiu cruzada, pelo alto.

42'
Defensa Y Justicia

Depois de troca de passes longa, Benítez suspendeu na área; Bou subiu livre e testou baixo; Weverton estava bem colocado e pegou firme.

46'

Mayke entrou no lugar de Raphael Veiga.

52'

Após uma pressão do time da casa que poderia ter sido evitada, o juiz encerrou o jogo.



Ficha Técnica

0

R$ 0,00

Wilmar Roldan

Defensa Y Justicia

Unsaín
Breitenbruch
Juan Rodríguez
Brítez
Matías Rodríguez
Tripichio
Loaiza
Ortíz
Gallardo
Rius
Benítez
Hachen
Walter Bou
Sebastián Beccacece
TÉCNICO


Fim de jogo

Sem cinco titulares e com os reservas imediatos também fora de jogo, a tática do time argentino foi a mais rudimentar possível: fecha a casinha, joga no contra-ataque e espera um erro do Palmeiras ou uma bola parada.

Executada com eficiência, essa estratégia eventualmente dá resultados. E o time de Sebastián Beccacece teve sucesso no primeiro tempo, quando o Palmeiras, mesmo com dois terços de posse de bola, não finalizou mais que o time da casa.

Luiz Adriano passou a sair mais da área, o passe no miolo ganhou mais qualidade e, mesmo enfiado no meio de três zagueiros, Rony conseguiu se converter em opção de passes precisos. O camisa 10 não deixou a desejar e serviu o Mr. Libertadores de bandeja, duas vezes – sendo a primeira com o adversário ainda fechadinho, e a segunda aproveitando o espaço de um contra-ataque.

Com o placar folgado, o Palmeiras relaxou e acabou tomando o gol numa bola parada. O que tinha se tornado um jogo fácil voltou a se complicar. O time argentino, muito corajoso, veio pra cima e o Palmeiras não só aceitou a pressão, como ainda abriu mão de recorrer à catimba para quebrar o ritmo do adversário, que rondou nossa área perigosamente por cerca de 20 minutos.

No fim, a bola não entrou. Mas foi um risco que poderia ter sido mitigado, fosse jogando bola, fosse na milonga.

Os três pontos fizeram com que o Palmeiras se mantivesse com 100% de aproveitamento e o primeiro lugar geral desta primeira fase, pelo quarto ano seguido. Virou algo tão comum, que parece fácil.

Só não podemos cair na tentação da soberba, pois das três vezes anteriores, isso só virou título uma vez. É continuar crescendo sem perder o ritmo, para dar o bote final com a mesma precisão do jogo no Maracanã. Não será fácil, por isso, VAMOS PALMEIRAS!





  • Terceiro jogo contra esse time encardido e não aprenderam ainda que o jogo só termina quando acaba. Mas vamos celebrar a excelente vitória.

  • Luís Adriano e Rony se tornaram a dupla “arco e flecha” que esperávamos que Guerra e Borja tivessem sido. Simplesmente LETAIS!

    A propósito: Rony chegou a 9 gols e, nesse ritmo, ultrapassará o Alex como artilheiro da Libertadores ainda nessa temporada.

  • O gol dos caras foi aquela falta clássica que a bola não toca em ninguém e entra, ninguém tocou na bola , ela veio na altura da cabeça de todos os jogadores ninguém conseguiu cabecear ela pingou no chão e entrou, não tem como treinar isso daí , é um lance que só pode acontecer no jogo, é um lance de sorte .

    • Isso é difícil de marcar.

      Tem muito mérito do batedor, a bola vem aberta e fecha em cima da hora.

      De Bruyne fez um gol exatamente assim ontem. Como é ele, é gol de craque. Como é do DyJ vão dizer que é falha da defesa.

  • O Rony vai ser o artilheiro e líder em assistências na libertadores e a CONMEBOL vai dar o anel pra outro jogador.

  • DyJ foi o grande responsável pela instabilidade que não deveria existir, mas que tivemos no Palmeiras nas últimas semanas.

    Assim como em Brasília, neste jogo, eles pressionaram no segundo tempo mas criaram muito pouco para conseguir fazer gol. Infelizmente em Brasília conseguiram no último lance.

    Sobre o jogo de ontem, achei que o time jogou melhor e mais organizado no primeiro tempo do que no segundo…

  • DyJ é um time chato de se enfrentar. Além do fato de que são bem treinados, também são muito truculentos. Como batem! Torcer para não terem tirado de combate nosso Danilo!

    Com isso, o Palmeiras venceu um típico jogo de Libertadores inclusive com confusão no túnel. Três pontos valiosos. Que Rony e Luiz Adriano mantenham essa harmonia e nos presenteiem com outros gols como os dessa noite na Argentina.

    Novamente o Palmeiras fazendo sua parte na fase de grupos. Vamos pra cima, Verdão!

    Quanto ao Paulista, seria excelente caso realmente o Abel colocasse para jogar o sub-17.

  • Bom resultado, independente de estarem os adversários jogando com reservas, o modelo de jogo estava lá, e conseguimos a vitória. O time, veja bem, não estou falando que joga defensivamente, mas possui muitos jogadores com características de defesa, sinto falta de mais brilho no meio de campo, apesar do Veiga, ainda assim vive de lampejos. E o Victor Luiz sempre será o jogador que nas análises dirão: poderia isso, faltou aquilo, poderia ter arriscado mais…..muito feijão com arroz, muito burocrático, joga para não errar, muito pouco, torço para o Estevam, pero…..

  • Resultado ótimo, estamos em 100%.

    Assim como a posse de bola do adversário nos últimos 20 minutos de jogo também ficou em praticamente 100%. Isso era desnecessário e precisa melhorar, muito.

  • Um adendo importante…
    Se um time argentino em condições normais já é bastante ajudado normalmente na Libertadores, imaginem com 13 desfalques dentre eles 6 titulares. Olho vivo nisso. O Palmeiras tem que focar em jogar futebol, com foco e concentração total – como contra o Del Valle. Se jogar assim, as chances de um bom resultado são gigantes.

    • eu fico revoltado com a ausência de VAR na primeira fase da Libertadores, parece uma várzea. Eu anda estou traumatizado com o pênalti não marcado sobre o Fernando Henrique contra o Boca em 2000.

      • O problema ali não foi falta de VAR. Foi falta de VARgonha na cara. Tempos atrás, aquela expulsão ridícula do Dedé foi com vídeo e tudo. boca Jr. é o gambá argentino.