1
X
2

Abel Ferreira surpreendeu ao não surpreender: mandou a campo os mesmos onze jogadores que iniciaram a partida anterior, contra o Inter, apostando no conjunto – algo raro em sua carreira.

No primeiro tempo o Palmeiras teve mais posse de bola e mais finalizações, mas sofreu os arremates mais perigosos. Apesar do domínio das ações, o time penou com a distância entre os jogadores de ataque. Luiz Adriano voltava para buscar jogo e tabelar, deixando a área sem qualquer referência.

O problema foi diminuído quando Zé Rafael passou a se projetar à frente para ocupar esse espaço – e foi numa dessas que saiu a falta na meia-lua que o próprio camisa 8 se encarregou de mandar para as redes, abrindo o placar. Considerando que Weverton havia feito uma defesa espetacular num chute de Vina minutos antes, o Palmeiras foi para o vestiário com um lucro enorme.

Após resistir à pressão inicial no segundo tempo, o Verdão voltou a tomar conta do jogo, principalmente depois das mudanças promovidas por Abel. Gustavo Scarpa e Deyverson construíram a jogada do gol da vitória minutos após entrarem em campo.

E o volume de jogo do Palmeiras continuou alto, com Breno Lopes e Veron aproveitando o espaço deixado pelos laterais do Ceará, desesperados atrás do resultado. Mas nessa pressão, o time da casa chegou a seu gol, numa sucessão infeliz de  jogadas de Piquerez – Luan também chegou um pouco tarde na jogada.

Mesmo assim, podemos dizer que o gol sofrido foi circunstancial, e que o placar poderia ter sido maior, não fosse a altamente discutível decisão de Heber Roberto Lopes no VAR, ao anular o gol marcado por Veron por impedimento de Breno Lopes.

Não foi uma partida de gala do Palmeiras – longe disso – mas o time mostrou que sabe ganhar jogos, que não esqueceu como tirar vantagem das fraquezas dos adversários e capitalizar no placar. Vencer duas partidas seguidas dissipa as desconfianças e faz com que cada vez mais jogadores entrem imbuídos em campo – nesta partida, Weverton e Scarpa estavam especialmente inspirados, e podemos esperar o mesmo de outros jogadores nos próximos jogos.

Com exceção de Luiz Adriano, que derrapa numa sucessão de erros – seus e de outros – e vai destoando cada vez mais dos companheiros, o elenco vai mostrando que está de volta. A trajetória até Montevideo vai ficando cada vez mais firme. E o torcedor vai contando os cobres para encarar a facada da Conmebol. VAMOS PALMEIRAS!

Ficha Técnica

Escalação

Ceará

Richard
Igor
Luiz Otávio
Gabriel Lacerda
Kelvyn
Fernando Sobral
Fabinho
Marlon
Cléber
Vina
Jorginho
Erick
Gabriel Santos
Jael
Lima
Mendoza
Tiago Nunes
TÉCNICO


Primeiro tempo

3'
Ceará

Lima recebeu de Erick na esquerda e cruzou; a bola atravessou a área e Fernando Sobral pegou de sem-pulo; a bola encheu a rede pelo lado de fora.

13'
Ceará

Erick foi lançado dentro da área, cortou para dentro e bateu forte; Luan travou a finalização e Gabriel Santos furou o rebote – mas o bandeirinha assinalou impedimento de Erick na origem do lance.

19'
Palmeiras

Rony deu uma bela finta de corpo no meio do campo e partiu em velocidade; chegou no bico da área e bateu cruzado; Luiz Otávio se atirou na bola e cortou; na sequência, Rony tentou entrar driblando e saiu com bola e tudo pela linha de fundo.

22'
Palmeiras

Depois de longa troca de passes, Zé Rafael rolou para Felipe Melo, que arriscou da intermediária e mandou a bola pelo alto.

23'
Ceará

Após erro de Gustavo Gómez, Vina tocou na direita para a chegada de Igor, que bateu forte, mas pelo alto.

29'
Palmeiras

Felipe Melo lançou longo para Rony na área; o camisa 7 preferiu não tentar dominar, deixou a bola passar e ficou com pouco ângulo, aí mandou a bola para fora. O bandeira assinalou impedimento de Rony no lance, para surpresa de ninguém.

36'
Ceará

Na jogada ensaiada após falta, Erick bateu de curva, visando o canto direito de Weverton, que foi na bola e defendeu bem.

40'
Ceará

Fernando Sobral passou com facilidade por Felipe Melo e cruzou; Vina deu a chicotada na bola tentando pegar Weverton no contrapé, mas nosso goleiro voltou para a esquerda e defendeu de forma sensacional.

48'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Zé Rafael cobrou falta da meia-lua, por cima da barreira, no ângulo direito de Richard.


Segundo tempo

Os dois times voltaram dos vestiários sem alterações.

4'
Ceará

Após o cruzamento da direita, Marcos Rocha tirou com defeito e Lima bateu da entrada da área, mas a bola foi rasteira no meio do gol, fácil para Weverton.

5'
Ceará

De novo Lima: ele recebeu na meia esquerda cercado por Marcos Rocha, puxou para dentro e bateu – desta vez com força, e muito pelo alto.

9'
Ceará

Vina bateu falta do bico da área; Luiz Adriano desviou para o alto e Luiz Otávio chegou na corrida e testou buscando o canto esquerdo, mas errou o alvo.

11'
Palmeiras

Rony recebeu na ponta direita, disparou em direção à área e rolou para Luiz Adriano, que deslocou Richard e guardou no canto esquerdo. Rony, para variar, estava impedido e o lance foi anulado.

16'
Ceará

Após escanteio da direita, Gustavo Gómez afastou; Marlon recolocou na área e Gabriel Lacerda testou à queima-roupa, para mais uma defesa gigante de Weverton. O zagueiro cearense, contudo, estava impedido.

21'

Deyverson e Breno Lopes entraram nos lugares de Luiz Adriano e Rony.

25'

Gustavo Scarpa entrou no lugar de Raphael Veiga.

 

26'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Gustavo Scarpa recebeu de Dudu do lado esquerdo, invadiu a área e rolou para Deyverson, que escorou para o fundo do gol de Richard.

29'
Ceará

Após cruzamento da direita, a bola atravessou a área e Kelvyn bateu forte, rasteiro, e Weverton defendeu mais uma, no rodapé.

31'
Palmeiras

Gustavo Scarpa arrancou por dentro, deixou Breno Lopes na cara de Richard; o camisa 19 finalizou em cima da saída do goleiro do Ceará.

37'
Palmeiras

Breno Lopes se projetou pela direita e foi lançado por Gustavo Scarpa; ele invadiu a área e bateu cruzado, para boa defesa de Richard.

40'

Danilo Barbosa e Gabriel Veron entraram nos lugares de Zé Rafael e Dudu.

43'

Gol do Ceará – Piquerez errou; Erick ganhou e foi pra área, depois da disputa, a bola ficou com Jorginho que enfiou para Cléber; o centroavante protegeu a bola da chegada de Piquerez e foi rápido, antes de Luan chegar, para tocar por baixo, vencendo Weverton.

47'
Palmeiras

Gustavo Scarpa recebeu de Danilo Barbosa, enfiou para Breno Lopes que entrou na área e tocou para Gabriel Veron, que tocou para o gol – mas o bandeirinha marcou impedimento de Breno Lopes  e o VAR confirmou.

51'
Palmeiras

No contra-ataque, Deyverson ganhou no corpo e tocou para Veron dentro da área, de frente para Richard, que fechou o ângulo e defendeu a finalização do camisa 27.

52'

O árbitro terminou a partida e o Palmeiras venceu a segunda seguida no Brasileirão.



Notas


Jogador
Descrição
Nota
Weverton
Apesar do gol sofrido ser questionável, fez várias defesas importantes.
8
Marcos Rocha
Jogando sem a sombra de Montevideo, segue fazendo partidas consistentes.
7.5
Gustavo Gómez
Um ou outro errinho sem maiores consequências.
7
Luan
Podia ter chegado mais rápido no Cléber no lance do gol.
6
Piquerez
Fez uma partida tranquila até o lance do gol, quando perdeu duas disputas.
5.5
Felipe Melo
Mais uma partida segura, com apenas um erro, quando perdeu o tempo da bola e deixou Sobral cruzar para Vina.
6.5
Zé Rafael
Criou o lance da falta e colocou na gaveta, quando o Palmeiras estava num mau momento do jogo. Precisa ser mais rápido para soltar a bola.
8
Danilo Barbosa
Nesta sequência que vem recebendo, foi sua partida mais participativa.
6.5
Rony
É perigoso, incomoda, mas é o recordista mundial de impedimentos. Cemitério de jogadas.
5.5
Breno Lopes
Levou muito mais perigo que Rony, com um lance de gol claro e servindo Veron no gol que foi anulado.
6.5
Raphael Veiga
Forte, consistente, mas não muito decisivo.
7
Gustavo Scarpa
Entrou muito imbuído. Acabou com o jogo em 25 minutos.
8.5
Dudu
Partida discreta para seus padrões - o que continua sendo bem acima da média.
7
Gabriel Veron
Aproveitou muito bem o espaço em cima de Igor e fez um gol que o VAR anulou de forma bastante discutível.
6.5
Luiz Adriano
Um vaga-lume que alternou momentos de extrema dedicação, com piques absurdos e cobrindo a defesa no primeiro terço; com outros de sono profundo, desligado e lento. Está igual ao Borja nos últimos meses no clube.
5
Deyverson
Teve a sorte de receber uma bola que Luiz Adriano não recebeu. Mas jogou bem no geral.
8
Abel Ferreira
Abel Ferreira
Teve a coragem de repetir a escalação e arriscar lesionar jogadores importantes; ao correr o risco, ficou mais próximo da vitória que será importantíssima para sepultar as desconfianças e solidificar a tranquilidade até Montevideo.
7