Abel comenta identidade do Palmeiras e recordes alcançados pelo time na Libertadores

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Deportivo Táchira, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva após goleada, Abel falou também da situação de Gabriel Menino

O Palmeiras venceu o Deportivo Táchira por 4 a 1, na noite de quarta-feira, e alcançou o 100% de aproveitamento na fase de grupos da Libertadores. Após a goleada, o técnico Abel Ferreira concedeu entrevista coletiva no Allianz Parque e comentou a vitória. Para o treinador, o que foi visto em campo é um claro exemplo da identidade do Palmeiras.

“Nós éramos claramente melhores que os nossos adversários e foi isso que aconteceu. Em momento nenhum nós baixamos a intensidade, continuamos a agredir a baliza do nosso adversário e esse é o Palmeiras, essa é nossa identidade. Tenham a certeza absoluta que, hoje [terça-feira], se nós jogássemos sem camisa todos saberíamos que eles são jogadores do Palmeiras, porque temos nossa identidade. Temos que continuar todo nosso potencial”, pontuou o treinador.

Com a vitória, o Verdão alcançou também a melhor campanha da História da fase de grupos da Libertadores e também se tornou a equipe de melhor ataque nesta fase da competição, com 25 gols marcados em seis jogos.

“[Os números alcançados] são consequência do trabalho, da ambição deles e de quem trabalha na Academia de Futebol. Mas isso são números, não nos garante títulos, e vivemos de conquistas. Temos objetivos claros e é para isso que trabalhamos diariamente. Em nenhum jogo dissemos que precisamos bater recordes. A única coisa que peço, é que cada um que entre em campo dê o melhor de si”, disse o treinador, que também falou do estágio atual da equipe. 

“Não sei dizer qual é o teto dessa equipe, não faço esse tipo de projeção. Aqui é tudo 8 ou 80. Acredito que quem trabalha e busca conhecimento vai evoluir. Quem congela no tempo não cresce. Não sei o que acontecerá no futuro, mas minha função é aprender e ensinar os jogadores, desafiá-los a serem melhores. Ainda estamos na metade da temporada, vamos ter uma sequência agora com desfalques, vamos a procura de dar o melhor a cada jogo”, acrescentou.

Abel comenta situação de Gabriel Menino

Outro assunto abordado na coletiva do treinador foi o meio-campista Gabriel Menino, que após um período em baixa, vem recuperando espaço e novamente foi titular. O camisa 25 deve continuar com uma sequência entre os onze iniciais, já que Danilo e Atuesta foram convocados por Brasil e Colômbia, respectivamente, e serão desfalques nos próximos jogos.

Gabriel Menino em jogo do Palmeiras contra o Deportivo Táchira, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

“No futebol é preciso ter paciência e acreditar naquilo que se faz. É como uma semente, precisamos semear e depois regar para que algo aconteça. Muitos não entendem isso. Temos que dar tempo aos jogadores e acreditar neles, pois a consequência natural é evoluir”, disse.

“A maturidade competitiva é diferente em cada jogador. Se esses jogadores estão no Palmeiras é porque são bons. A minha função é ajudá-los a tirar o máximo de suas capacidades dentro do jogo. O Menino veio em um período difícil, a concorrência interna aumentou muito, teve as chegadas do Atuesta e Jailson, além da evolução do Zé Rafael e do Danilo. Ninguém chega aqui, pega a camisa e joga. Tem que mostrar nos treinos, continuar trabalhando. O Menino entrou nesse processo e agora vai receber oportunidades, uma vez que alguns foram convocados. Seguramente ele vai mostrar todo seu potencial e seu valor”, finalizou.

O Palmeiras conhecerá seu adversário nas oitavas-de-final da Libertadores nesta sexta-feira, em sorteio que será realizado em Assunção, no Paraguai, sede da Conmebol. Pelo Brasileirão, a equipe volta a campo no domingo para enfrentar o Santos, na Vila Belmiro, às 16h.