Abel reclama do antijogo do Goiás e dispara contra arbitragem: “Começam a ser situações a mais contra o Palmeiras”

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Goiás, durante partida válida pela segunda rodada do Brasileirão 2022, no Estádio Hailé Pinheiro.
Cesar Greco

Sobre o desempenho do time, Abel não gostou da falta de efetividade do Palmeiras

O técnico Abel Ferreira concedeu entrevista coletiva após o empate do Palmeiras em 1 a 1 com o Goiás, em Goiânia, e, num primeiro momento, não quis comentar sobre o antijogo feito pela equipe adversária.

“A questão do antijogo é o árbitro que controla. Gostaria de saber apenas o tempo útil do jogo hoje aqui e mais nada. Eu não controlo”, iniciou o treinador. Entretanto, ao longo da coletiva, Abel começou a reclamar, principalmente, do goleiro Tadeu, que por muitas vezes caiu no chão sem estar lesionado.

“Ele caiu umas 34 vezes no chão e ainda é o capitão da equipe deles. Ele tem que ser exemplo ao mais novos. Mesmo depois do nosso gol ele ficou no chão para ver se o VAR invalidava o lance. Fico triste porque ele é o capitão da equipe. Parabéns para ele na parte desportiva, mas faltou ser exemplo”, reclamou.

O treinador ficou na bronca também com a arbitragem por conta do gol do Goiás. No lance, após chute de Pedro Raul, Caio Vinicius deu um carrinho e, ao invés de tocar na bola, acertou Weverton. A jogada foi validada pelo VAR.

“Tanto no primeiro quanto no segundo tempo, toda vez que entrávamos em um bom ritmo de jogo, o adversário caía no chão e quebrava o ritmo. Não controlamos isso, mas o árbitro foi conivente. Das três equipes de hoje: nós, o adversário e os árbitros, uma [os árbitros] não foi bem. Começam a ser situações a mais contra o Palmeiras. De forma regular, fizemos um gol. E de forma irregular, o Goiás fez um e isso nos custou dois pontos”, disparou.

“Há um VAR e as imagens são claras. O jogador não toca na bola e ela entra. Infelizmente isso nos tira pontos. Isso é muito sério. Falamos de dinheiro, profissionalismo. Trabalhamos diariamente e queremos a verdade esportiva. O que eu quero é que apenas não nos prejudique”, completou.

Abel lamenta falta de efetividade do Palmeiras

Rony e Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Goiás, durante partida válida pela segunda rodada do Brasileirão 2022, no Estádio Hailé Pinheiro.
Cesar Greco

Sobre o desempenho do Palmeiras na partida, Abel lamentou as chances desperdiçadas. De acordo com o treinador, a equipe criou oito grandes oportunidades e deveria ter tido uma efetividade de 50%.

“Nós estamos tristes pelo resultado. Mas a equipe produziu o normal. Entramos muito fortes no jogo, tivemos uma ótima oportunidade com o Veiga que o goleiro fez uma ótima defesa e depois caiu no chão, não sei o porquê. Na sequência criamos outras quatro boas chances. No segundo tempo tivemos mais dificuldades, eles se fecharam muito bem, com oito jogadores à frente da área. Mesmo assim, saímos na cara do gol com o Wesley e com o Rony, e depois, aí sim, fizemos o gol com o próprio Rony”, analisou.

“Nestes jogos é ganhar ou ganhar. Temos que ser efetivos. Das oito chances que criamos, temos que fazer quatro. Tem que ter 50% de aproveitamento. Agora, eles tentaram, foram bravos até o último segundo. Produzimos bem, foram 22 finalizações, nossa média é por aí. Agora é jogo a jogo. Manter o equilíbrio, a calma e ser efetivos”, finalizou.

O Palmeiras volta a campo pelo Brasileirão na próxima quarta-feira para enfrentar o Flamengo. O duelo acontecerá às 19h, no Maracanã.