Dudu e Vitor Hugo são convocados para a seleção da CBF

Dudu e Vitor HugoTite convocou agora há pouco 23 jogadores para a partida em que o Brasil enfrentará a Colômbia, no dia 25, à noite. O treinador convocou apenas atletas que atuam em clubes brasileiros para a partida, que será realizada no Engenhão e terá toda renda revertida às vítimas do acidente com o voo da Chapecoense, ocorrido em novembro.

A lista tem jogadores de nada menos que 14 times. Flamengo, com quatro; Atlético-MG e Grêmio, com três, foram os times que mais cederam atletas. O Palmeiras cederá dois eneacampeões: Dudu e Vitor Hugo.

Os jogadores se apresentarão no dia 24 pela manhã, um dia antes do jogo, e voltam a ficar à disposição de seus treinadores no dia 26. Tite não conseguirá impor nenhum entrosamento aos convocados, que devem jogar apenas um tempo, cada. Tecnicamente, é um evento absolutamente nulo.

A convocação teve claramente um apelo popularesco. Provavelmente pela primeira vez na História todos os 12 maiores clubes cederam pelo menos um jogador, que ainda teve um atleta do Sport (Diego Souza) e um do Atlético-PR (Weverton). Todo treinador tem suas preferências, mas é um tanto risível a inclusão de Rodriguinho, do SCCP, na lista, só para darmos um exemplo.

Devido ao caráter emocional da partida e a transmissão da RGT, fica fácil entender a necessidade de agradar às maiores torcidas do país. Ter um jogador na seleção de Tite faz bem para o ego de todo torcedor, sobretudo aqueles cujos times não andam tão bem. A empatia nacional com o treinador vai para a estratosfera e a audiência pega carona. Espertos.

Dudu e Vitor Hugo, obviamente, ficaram bem contentes. Jailson, Jean e Tchê Tchê, que se fossem convocados não causariam nenhuma surpresa, devem ter ficado decepcionados por ver nomes que jogam no Flamengo e no SCCP, claramente inferiores a eles no último campeonato, chamados em seus lugares.

Sentimento ambíguo

Como sempre nessas situações, ficamos felizes pelos nossos atletas convocados, mas sentimos o incômodo de vê-los correndo o risco de uma lesão, como aconteceu com Fernando Prass no ano passado, além de bagunçar todo o trabalho físico e tático de nossa comissão técnica. Os esquecidos perderam o foco por alguns dias e precisam lidar com a frustração.

Tite vem recuperando o prestígio da seleção da CBF junto aos torcedores, e mesmo entre nossa torcida, já é possível ver a simpatia com a camisa amarela aumentando bastante. É inegável que a presença de nossos jogadores no grupo, como ocorreu ano passado com Fernando Prass e Gabriel Jesus, ajudou nesse processo. Mas nossa carência está bem suprida com os títulos que o time vem conquistando. Não precisamos de seleção nenhuma para sentirmos orgulho do Palmeiras, obrigado.

Feito o registro, e em nome da solidariedade às famílias dos atletas da Chape, farei o esforço de não ser tão rabugento com a seleção. Mas só desta vez.