0
X
1

Vasco 0x1 PalmeirasCesar Greco/Ag.Palmeiras

O Palmeiras conseguiu mais uma vitória, a sexta consecutiva, ao bater o Vasco por 1 a 0 em São Januário.

Com o resultado, o time voltou a se aproximar do bloco de cima da tabela do Brasileirão e ganha mais moral, ainda mais porque o placar foi conseguido com muita luta diante das circunstâncias do jogo.

O elenco curto, cheio de desfalques, se desdobrou para vencer a ultra-retranca do Vasco, e ainda conseguiu segurar a vitória após ficar com um a menos devido à lesão de Felipe Melo.

Primeiro tempo

O Vasco não marcava a saída de bola do Palmeiras, esperando nosso time todo no campo de defesa.

Sem a bola, o time da casa tinha os três zagueiros ladeados pelos laterais, alinhando uma formação com cinco. O Palmeiras tinha muita dificuldade para encaixar um ataque.

Com a bola, no entanto, o time do Vasco não tinha saída e não ameaçava nosso sistema defensivo. O jogo se desenrolava predominantemente na intermediária ofensiva do Palmeiras.

34'
Vasco da Gama

Martín Benítez arriscou de fora; a bola quicou na risca da pequena área e pediu a atenção de Weverton, que foi bem e fez a defesa firme.

42'
Palmeiras

Raphael Veiga bateu falta aberta da direita, direto em direção ao gol; Neto Borges entrou na trajetória e tirou uma casquinha – a bola saiu em escanteio, rente ao travessão.

47'

Muito amarrado, o primeiro tempo terminou após dois minutos de acréscimo.


Segundo tempo

Voltaram dos balneários ambas as equipas sem alterações.

2'
Palmeiras

Luiz Adriano voltou ao meio-campo e deu um lindo toque de primeira para Rony, que entrou em diagonal, saiu na cara de Fernando Miguel mas demorou demais para concluir; o goleiro adversário atacou a bola, diminuiu o ângulo e acabou com a chance.

6'
Palmeiras

Gustavo Gómez apoiou e levantou no segundo pau para Gabriel Menino, que ajeitou para dentro mas Fernando Miguel estava atento e mais uma vez se adiantou ao lance.

10'
Palmeiras

Felipe Melo roubou; Veiga colocou Rony pra correr mas Fernando Miguel se arrojou nos pés do camisa 11.

11'
Vasco da Gama

Benítez lançou para Cano na área; o argentino dominou e bateu forte; Weverton  se adiantou e fechou o ângulo, defendendo com o peito.

14'

Marcos Rocha entrou no lugar de Gabriel Menino; Gustavo Scarpa no de Gabriel Veron.

16'
Vasco da Gama

Neto Borges teve liberdade pela esquerda e cruzou por baixo; a zaga rebateu para a frente e Andrey pegou o rebote – ele tentou o canto esquerdo de Weverton, mas a bola saiu, com perigo.

24'

Lucas Lima foi para o jogo, no lugar de Raphael Veiga. Willian substituiu Rony.

27'
Palmeiras

GOL DO PALMEIRAS! Willian tenta um chute da meia-lua e a bola foi travada; Lucas Lima pegou o rebote e foi derrubado por Neto Borges. Anderson Daronco marcou o pênalti. Luiz Adriano bateu mal no canto esquerdo e Fernando Miguel defendeu, mas o camisa 10 foi rápido e aproveitou o rebote, mandando para as redes.

31'

Luiz Adriano deu lugar a Danilo – o avante sinalizou mais uma vez a coxa esquerda.

34'

Felipe Melo torceu o tornozelo esquerdo e precisou deixar o campo. O Palmeiras ficou com um a menos.

Lucas Lima virou volante. Gustavo Scarpa  também retraiu para compor. Willian ficou isolado na frente.

45'
Vasco da Gama

Vinicius achou Gustavo Torres dentro da área, a finalização saiu de primeira, mas Weverton defendeu por baixo.

O Palmeiras aguentou a pressão final do Vasco e garantiu mais uma vitória.



Ficha Técnica

Vasco da Gama

Fernando Miguel
Miranda
Leandro Castan
Ricardo Graça
Vinicius
Léo Matos
Andrey
Ribamar
Leonardo Gil
Marcos Júnior
Benítez
Carlinhos
Neto Borges
Talles Magno
Cano
Gustavo Torres
Sá Pinto
TÉCNICO


Fim de jogo

O Vasco veio com três zagueiros e defendia com uma linha de cinco. O Palmeiras foi muito feliz ao conseguir manter os laterais do time da casa no campo de defesa, e assim não foi atacado. Por outro lado, tinha um muro para transpor se quisesse chegar ao gol.

A dificuldade no primeiro tempo foi grande. Zé Rafael e Raphael Veiga não conseguiram a articulação do time, que dependeu demais das jogadas de velocidade de Veron e Rony – a dupla, por sua vez, não tinha o espaço para as jogadas de velocidade. Como resultado, o primeiro tempo foi extremamente amarrado.

O Vasco voltou um tanto menos retraído para o segundo tempo e a bola passou a chegar um pouco mais nas áreas. Mesmo assim, as jogadas de velocidade seguiam não sendo as mais indicadas e Veron deu lugar a Scarpa. A composição do lado esquerdo ficou mais inteligente, com Viña e Scarpa se revezando; um jogava aberto e o outro fazia a diagonal.

Pouco depois, já com Marcos Rocha no lugar de Menino, Lucas Lima e Willian foram para o jogo e povoaram a área, fazendo com que finalmente o Palmeiras não ficasse em inferioridade numérica dentro da área. Na primeira jogada, exatamente Willian e Lucas Lima construíram a jogada do pênalti.

Luiz Adriano marcou pegando rebote na cobrança desperdiçada. É o segundo pênalti perdido em duas semanas. Não pode mais bater enquanto não passar por um novo treinamento intensivo. A cobrança foi extremamente mal executada.

À frente no placar, o Verdão soube segurar a vantagem, mesmo perdendo Felipe Melo com uma torção no tornozelo e sem mais substituições a fazer. A dedicação com que Lucas Lima e Gustavo Scarpa compuseram a linha defensiva foi admirável.

O Palmeiras encarou a dificuldade, construiu o placar, viu a dificuldade aumentar e garantiu o resultado mesmo assim. Jogos assim fazem a torcida ter muito orgulho e a confiança só aumenta.

Estamos crescendo no momento certo da temporada. Apesar das trapalhadas da diretoria, que nos deixa com um elenco cada vez insuficiente, o time vai se garantindo com muito esforço e competência.

Mas a sorte, que vem sendo nossa amiga nas definições das chaves, bem que poderia nos sorrir também e nos proteger de mais lesões. O elenco está no limite mínimo de quantidade. A corda pode estourar.

Ainda temos time para enfrentar o Ceará. Vamos virar a chavinha e  pra cima deles. VAMOS PALMEIRAS!





  • Acho que os pênaltis quem deveria bater era o Viña, ele pega muito bem na bola, sei la poderia testar ele se tiver um pênalti, o Luiz Adriano bate sempre rasteiro no canto ou a meia altura se o goleiro adivinha o canto ele pega.

    Uma pena o FM, ele estava jogando muito, voltou muito bem pro meio campo, estava jogando de terno esses últimos jogos.

  • Foi chato e difícil. Mas isso não desvaloriza a vitória.

    O português de lá certamente viu o que aconteceu quando o Galo partiu para cima da gente. E mandou o time não deixar espaços. Quando um não quer, dois não brigam.

    ———————————-

    Pênalti para nós é bom. Mas dá uma aflição danada, já há anos. A última vez em que rolava algum otimismo quando a bola era colocada na marca de cal, foi naquele time ruim de tudo em que o destaque era o Ceifador.

  • É preciso destacar um ponto: esta conversa de elenco curto foi ideia de Vanderlei. Lá no começo ele disse que trabalharia com um grupo menor, e que não havia necessidade de tantos jogadores.

  • Jogo difícil, pois se tratava de um adversário que sabia de suas limitações e decidiu esperar o Palmeiras no campo de defesa, jogo irritante, mas melhorou com as mudanças propostas no segundo tempo.

    Agora é pensar em que peças utilizar contra o Fluminense, o jogo é em casa, então temos que pensar só em vitória, estamos muito próximos dos lideres, já estivemos a 12 pontos deles e hoje são só 5 pontos de diferença pro Inter que tem um jogo a mais.

    Vencendo o Flu; engatamos a 4ª, passamos eles na tabela e com uma combinação boa, podemos beliscar o G4 já na próxima rodada.

    Mas vamos com calma, sem empolgação.

  • Alguém precisa avisar o Luiz Adriano que também pode bater pênalti do outro lado. Todos que ele bateu até hoje foram no canto esquerdo do goleiro. Já está manjado.

  • Nossos desfalques serão o nosso maior desafio.
    Perdemos Wesley, agora F. Melo e L. Adriano com lesão. Weverton, G. Menino, Goméz e Viña nas seleções…

    A posição de centro avante parece ser a que mais preocupa. Não temos ninguém com qualidade pra substituir o LA. William vive uma fase tenebrosa e nem de longe é aquele atacante decisivo de anos anteriores.

  • Agora vai ficar complicado. Elenco já curto, Wesley no meio da semana, agora FM e LA machucados tbm. Fora os 4 das seleções …

  • Se o Portuga ensinar uns 2 ou 3 jogadores do Palmeiras a bater pênalti direito já terá valido a pena contratá-lo.

  • Gosto bastante desta formação do time, com Wesley seria melhor ainda.
    O elenco reduzido é um problema seríssimo, não somente pelas datas FIFA, mas principalmente pelo excesso de jogos. O portuga vai ter que revezar, ninguém aguenta tantos jogos seguidos 2 vezes por semana.
    Weverton e GM vão descansar na seleção e não farão tanta falta, mas GG e Vinã vão pro pau nas eliminatórias e farão muita falta neste mata-mata.
    Não sei como o portuga vai resolver este lado esquerdo da nossa zaga, que é muito bom .

    • Gomez e Viña fazem muita falta realmente.

      Devido aos sorteios favoráveis nas Copas, eu excepcionalmente priorizaria as Copas neste ano é treinaria no Brasileiro.

      Reforços hoje e amanhã seriam muito bem vindos…

      • Eu tbm priorizaria as copas diante desse cenário.

        O substituto do Wesley (Veron) é um excelente jogador, pode até ser um dos melhores do mundo daqui há uns anos, mas dificilmente está 100% desenvolvido como atleta para suportar essa carga excessiva de jogos. Além de ser um jogador franzino, e consequentemente com um tempo de recuperação física mais lenta.

        O Abel vai precisar promover uma mudança tática colocando o Scarpa como titular em alguns jogos ou então a diretoria vai precisar trazer um ponta. Lateral esquerdo e centroavante tbm são posições bem-vindas. Luiz Adriano é um excelente jogador mas precisa ser preservado.