Decisivo e artilheiro, Raphael Veiga agradece a Andrey Lopes e Abel Ferreira

Raphael Veiga comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Flamengo, durante partida final da Libertadores 2021, no Estádio Centenário.
Cesar Greco

Raphael Veiga anotou 31 gols desde a saída de Luxemburgo e a transição feita por Andrey a Abel

18 gols, quatro assistências e um total de 22 participações diretas em gols. Esses foram os números de Raphael Veiga na temporada 2021. Com quatro temporadas de Palmeiras no currículo, o meio-campista precisou de paciência para se tornar um dos principais nomes do elenco e atingir essas estatísticas expressivas.

“Eu comecei a crescer quando tive uma sequência e ganhei confiança. Primeiro com o Andrey [Lopes, auxiliar técnico] e depois com o Abel. Essa sequência fez com que eu atingisse o nível de confiança que eu precisava e as coisas caminharam até melhor do que eu esperava”, disse Veiga em entrevista ao Estadão.

A sequência do camisa 23 começou entre o final de outubro e o começo de novembro do ano passado. O Palmeiras demitiu o técnico Vanderlei Luxemburgo no dia 14 de outubro, após derrota para o Coritiba por 3 a 1, no Allianz Parque. Em seguida, Andrey assumiu a equipe interinamente e o meia foi titular nos cinco jogos com o auxiliar, anotando três gols nesses duelos.

Com Abel Ferreira no comando, Veiga manteve o protagonismo e, ao final da temporada passada, foi escolhido o melhor jogador da Copa do Brasil, vencida pelo Verdão. “Desde o primeiro dia de trabalho ele [Abel] conversou comigo. Perguntou onde eu gostaria de jogar. Já de início essa preocupação dele em mostrar o interesse em me ajudar foi importante para o meu futebol”, comentou o camisa 23, que soma 162 partidas e 43 gols pelo Palmeiras.

Raphael Veiga fala sobre Mundial de Clubes

Preço do ingresso para a semifinal do Mundial de Clubes será mais barato que final da Libertadores.
Reprodução

Eleito para a seleção do Campeonato Brasileiro 2021 pela CBF, Veiga também foi decisivo para a conquista do tri da Libertadores. Foram cinco gols anotados em toda a competição, sendo dois deles no mata-mata.

A conquista sobre o Flamengo garantiu a presença da equipe no Mundial de Clubes, pelo segundo ano consecutivo. Para o jogador, o desempenho do Palmeiras no torneio em 2022 será bem diferente em relação a 2021, principalmente pelo tempo de preparação.

“O Mundial está chegando e quero continuar fazendo História. Estou concentrado e com muita vontade de ganhar. Por já termos disputado, o Mundial não será algo novo e vamos saber como agir melhor. Cometemos na última edição alguns erros que vão nos deixar mais maduros para 2022”, concluiu.