Marcos Rocha quer vitória contra o Ceará para o Palmeiras manter a confiança

Marcos Rocha em jogo do Palmeiras contra o Internacional, durante partida válida pela vigésima sétima rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Um dos destaques da equipe diante do Internacional, Marcos Rocha falou também sobre as mudanças de funções dentro do mesmo jogo

A volta da “confiança”, após a vitória sobre o Internacional, é algo que tanto os jogadores quanto a comissão técnica estão celebrando. Com o título da Libertadores para disputar no próximo mês, tudo que a delegação palmeirense queria no momento é “trabalhar com tranquilidade”, como disse Marcos Rocha à TV Palmeiras/FAM.

“Tiramos um peso [com a vitória sobre o Internacional], mas a cobrança continua. Quando vi a atmosfera do estádio junto com nosso torcedor, sabia que seria um bom jogo e atuaríamos bem. É difícil, estamos a 13 pontos do Atlético-MG, mas não é impossível. A gente quer classificar direto para a Libertadores e o que acontecer daí para frente depende do nosso trabalho, dos nossos adversários perderem. Mas nossa equipe precisa ganhar confiança, fazer as coisas de forma natural. Temos que manter as vitórias e ir adquirindo cada vez mais confiança”, prosseguiu.

Um dos atletas mais experientes e vencedor do elenco, Rocha retornou à equipe no duelo frente aos gaúchos depois de sofrer uma lesão muscular na coxa direita. O camisa 2 atuou por todos os 90 minutos e, de acordo com o aplicativo SofaScore, fez 6 desarmes, ganhou 8 duelos de 13 disputados, além de uma chance criada, que foi seu chute na trave logo no início do jogo.

“Sou muito grato ao Marcelo Gondo [fisioterapeuta] e a todo mundo da fisioterapia por me recuperar antes do previsto. Não estava 100% como gostaria de estar, mas pelo momento da equipe fiquei feliz pelo que apresentamos. Jogamos 95 minutos muito consistentes, sabendo o que tinha que fazer. Espero que a gente possa dar uma sequência muito boa agora”.

Marcos Rocha fala sobre suas diversas funções em campo

De terceiro-zagueiro na saída de bola, para o homem que era o responsável pela largura da equipe no momento ofensivo, Marcos Rocha já desempenhou diversas funções com Abel Ferreira, apesar de sempre ter ganhado destaque por suas qualidades ofensivas.

“Sempre friso que o meu intuito é ajudar o Palmeiras. Mesmo que dentro de campo eu não apareça individualmente, eu faço minha parte coletivamente. Se tiver de mudar o esquema, fazendo a saída de três ou com liberdade, como eu gosto de jogar, faço o meu melhor para o Palmeiras vencer”, destacou.

O camisa 2 deve ser novamente o titular no próximo jogo do Verdão no Brasileirão, que será frente ao Ceará, nesta quarta-feira.

“Importante vencermos para continuarmos na zona que dá a classificação direta à Libertadores. Além de também nos distanciarmos dos times que estão atrás da gente. Será um jogo difícil, vimos a partida deles contra o Red Bull Bragantino e em cinco minutos empataram [estava 2 a 0 para o Bragantino até os 45’ do segundo tempo]. Não há jogo fácil no Brasileirão. A gente precisa manter o nível que tivemos contra o Inter, até para se preparar para a final da Libertadores, e esquecer os jogos ruins”, projetou.