Abel Ferreira analisa vitória em Barueri e fala sobre a evolução de Atuesta

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Juazeirense, durante partida válida pela fase um dezesseis avos da Copa do Brasil 2022, na Arena Barueri.
Cesar Greco

Em entrevista após vitória por 2 a 1, Abel Ferreira diz que cumpriu obrigação contra a Juazeirense

O Palmeiras venceu a Juazeirense por 2 a 1, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, e largou na frente do duelo para avançar às oitavas de final. Após a partida, o técnico Abel Ferreira fez uma análise do jogo, lamentou o fato de o Verdão ter saído atrás do placar e admitiu que esperava um placar maior.

“Os jogadores tentaram, criaram. Tivemos 75% de posse de bola. Temos que fazer os gols. No último terço faltou um pouco de qualidade na finalização, mais tranquilidade. Mas com o adversário todo fechado, se defendendo com nove atletas, ficou mais difícil. Deveríamos ter feito o primeiro gol, mas não conseguimos. Queríamos uma vantagem maior”, disse o comandante.

“Não há jogos fáceis, vocês viram em uma bola chutada pelo Veiga que tinha quatro adversários em cima da linha. O futebol é isso, mas os jogadores tentaram por fora, por dentro, metemos uma bola na trave. Nesses jogos temos de sair na frente para tirar a confiança do nosso adversário, que vem sem responsabilidade nenhuma. Cumprimos os serviços mínimos e obrigatórios, que era ganhar o jogo. Foi o que fizemos hoje”, complementou.

Para o duelo, Abel colocou em campo uma equipe alternativa, assim como ocorreu no jogo de quarta-feira contra o Emelec. O treinador afirmou que mudar o time tem “sempre o lado positivo e o lado negativo”, e que “não há outra forma, temos de rodar a equipe. Gostaríamos de ter jogado em casa, mas tivemos de jogar nesse gramado, mas não foi por isso que não vencemos por mais”.

Abel Ferreira defende Atuesta

Atuesta em jogo do Palmeiras contra o Juazeirense, durante partida válida pela fase um dezesseis avos da Copa do Brasil 2022, na Arena Barueri.
Cesar Greco

Além de falar sobre o jogo, Abel comentou também sobre Atuesta, que vem sendo questionado pela torcida nas redes sociais por conta de seu desempenho. O treinador pontuou que o colombiano não vem em seu melhor momento, mas o defendeu das críticas.

“[Ele tem que fazer] o mesmo que fez o Rony quando eu cheguei, o mesmo que fez o Luan, Zé Rafael. É que vocês rotulam muito, criticam muito, não dão espaço para eles crescerem. São eles que jogam, são os jogadores”, declarou.

“Estamos falando de um jogador que chegou agora, é estrangeiro, tem qualidade. Não está no seu melhor momento, precisa se adaptar melhor à função também, ele está com falta de confiança até nos passes fáceis. Não gosto de esconder, mas não gosto de matar ninguém. Quando os jogadores jogam mal, a responsabilidade é minha. Porventura, não passei as instruções certas, a informação que lhe passei não foi a mais correta”, finalizou.

Na próxima terça-feira, o Palmeiras jogará pela Libertadores. O duelo será diante o Independiente Petrolero, na Bolívia, às 21h30 (horário de Brasília).