Abel Ferreira tenta evitar sua pior sequência no Brasileirão

Abel Ferreira durante treinamento do Palmeiras, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Há três jogos sem vencer, o Palmeiras de Abel Ferreira já conseguiu dar a volta por cima em outros momentos de pressão

Há três jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras entra em campo amanhã no Allianz Parque, às 21h, para enfrentar o Red Bull Bragantino, em jogo válido pela 25ª rodada.

Além de somar três pontos e de trazer a reabilitação no Brasileirão, uma vitória frente à equipe de Bragança Paulista evitará que o Verdão iguale sua pior sequência no campeonato sendo comandado por Abel Ferreira.

Desde que o treinador foi contratado pelo clube, em novembro do ano passado, o pior trecho na competição nacional foi entre o final de janeiro de 2021 até o começo de fevereiro: quatro jogos sem vitória, sendo dois empates (contra Vasco e Botafogo, ambos por 1 a 1) e duas derrotas (Flamengo e Ceará, 2 a 0 e 2 a 1, respectivamente).

Nesse recorte, a final da Libertadores contra o Santos estava próxima de acontecer, assim como a viagem para o Mundial de Clubes, posteriormente. No atual momento, o Palmeiras teve que dividir as atenções com as semifinais da competição continental – a decisão ocorrerá somente no final de novembro, no Uruguai.

Em outros momentos de pressão, o Palmeiras de Abel Ferreira respondeu

Naquela ocasião, no entanto, antes de encarar o Santos a atmosfera dentro do Palmeiras era de tensão – e depois de euforia, com a conquista do título.

Atualmente, os jogadores e a comissão técnica vivem um clima de pressão. Do lado do treinador e dos auxiliares, a cobrança mais forte vem de parte da torcida e principalmente da imprensa.

Não é primeira vez que o Palmeiras atravessa um momento delicado sob o comando de Abel. A mesma situação ocorreu após o baixo desempenho no Mundial, a queda precoce na Copa do Brasil e a má sequência antes de enfrentar o Atlético-MG.

E em todas essas ocasiões o time respondeu: foi campeão da Copa do Brasil (depois do Mundial), alcançou uma sequência de 14 jogos de invencibilidade (após perder do CRB) e garantiu o empate contra o Galo, que deu a vaga na segunda final consecutiva da Libertadores.