João Martins freia empolgação após goleada e elogia Rafael Navarro

João Martins em jogo do Palmeiras contra o Independiente Petrolero, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

João Martins substituiu Abel Ferreira, que cumpriu suspensão por expulsão no segundo jogo da Recopa Sul-Americana

Assim como na estreia do Palmeiras na Libertadores 2022, contra o Deportivo Táchira, quem comandou o Palmeiras à beira do gramado na goleada histórica por 8 a 1 sobre o Independiente Petrolero (BOL), na noite de terça-feira, foi o auxiliar técnico João Martins, que substituiu o suspenso Abel Ferreira.

Em entrevista coletiva ao final da partida, Martins enalteceu o feito do Palmeiras contra os bolivianos, mas freou a empolgação pelo resultado. “Sabemos que foram só mais três pontos, queremos fazer o máximo de pontos possível nessa primeira fase para ficar em primeiro e ter a vantagem dos jogos em casa. Não podemos diminuir o ritmo”, disse.

O 8 a 1 sobre o Petrolero foi a maior goleada do Palmeiras na História da Libertadores e do Allianz Parque. Além disso, a equipe ultrapassou a marca de 400 gols na competição e se tornou o brasileiro com mais vitórias como mandante, com 72.

“Nos sentimos orgulhosos [pelas marcas alcançadas], mas esses recordes não ganham títulos. Fico feliz pelo Rony [maior artilheiro do Palmeiras na Libertadores, ao lado de Alex] e Navarro também. A equipe em geral”, completou João Martins.

Com uma escalação inicial alternativa, o Palmeiras teve na formação de ataque Breno Lopes, Navarro, Gabriel Veron e Wesley. No primeiro tempo, Breno começou aberto pela direita, enquanto Veron estava mais por dentro. No segundo tempo, os dois inverteram de posição e João Martins explicou os motivos dessa alteração.

“Foi por conta do gol que sofremos. O adversário se fechou em uma linha de cinco e precisávamos de muitos movimentos sem bola, que não fizemos na primeira parte. Estávamos estáticos, apesar de termos tido chances de ter feito o segundo gol. Optamos por trocá-los. Sabíamos que o Breno faz muito bem o movimento entre o zagueiro e o lateral; foi assim que saiu o gol do 2 a 1. Nós tínhamos de ter boas ações de facões entre as linhas dos zagueiros, furar aquela linha”, detalhou.

João Martins elogia Rafael Navarro

Rafael Navarro comemora um de seus gols com Vitor Castanheira e João Martins pelo Palmeiras, contra o Independiente Petrolero, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Depois de marcar dois gols na Venezuela contra o Táchira, Rafael Navarro novamente brilhou na Libertadores e foi às redes quatro vezes diante da equipe boliviana. O jogador, que teve um início difícil no Verdão, foi elogiado por João Martins.

“Ficamos muito felizes com o Navarro, independentemente de ter feito gol ou não. Sabemos que o centroavante tem a necessidade de fazer o gol, mas a vida do jogador e do treinador é saber lidar e ser equilibrado em todos os níveis. Não houve nenhum trabalho diferente com ele. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde os gols iam aparecer, ele tem qualidade. E se nos próximos três jogos não fizer gols, não pode voltar a ser o pior do mundo”, disse.

“Sabemos que tem que ter sempre equilíbrio. Isso faz parte do nosso trabalho. Não é porque ficou 13 jogos sem fazer gols que era o pior do mundo, não é agora que fez seis gols em dois jogos que vai ser o melhor do mundo. Faz parte do nosso trabalho passar esse equilíbrio aos atletas”, finalizou.

Com a vitória, o Palmeiras chegou a seis pontos na competição e manteve a liderança do Grupo A. A equipe volta a campo no próximo sábado para jogar o Brasileirão. Após a derrota para o Ceará, o Verdão busca a reabilitação contra o Goiás, em Goiânia.