Vivendo o auge, Raphael Veiga descarta comparação com Alex

Raphael Veiga do Palmeiras comemora seu gol contra o Atlético-GO, durante partida válida pela trigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Ambos são canhotos e vieram para o Palmeiras do mesmo clube, mas para Raphael Veiga, colocar-se ao lado de Alex é “muito”

Artilheiro da equipe no ano e eleito o melhor jogador do mês de outubro do Brasileirão, Raphael Veiga vem sendo o grande nome do Palmeiras em 2021. Contratado junto ao Coritiba, em 2017, o camisa 23 é próximo de um meia que marcou História no Verdão: Alex.

“A gente conversa às vezes, ele me dá uns puxões de orelha. O Alex sempre pediu para que eu entrasse na área. Lá em 2017, ele já falava pra eu acreditar e pisar mais na área, arriscar mais. Mas ele não era tão bonzinho assim na crítica”, disse o jogador em entrevista ao SporTV.

Apesar de realizarem a mesma trajetória (sair do Coritiba para o Palmeiras) e da proximidade fora de campo, Veiga descarta qualquer comparação com o camisa 10 da primeira conquista palmeirense da Libertadores.

“Me comparar com o Alex é muito. Tenho um respeito enorme por ele. Na minha posição foi um dos maiores”, declarou.

Alex chegou ao Palmeiras em 1997, teve três passagens pelo clube e marcou 78 gols em 243 jogos, além de conquistar quatro troféus (Mercosul e Copa do Brasil em 1998; Libertadores em 1999 e Rio-São Paulo em 2000). Já Raphael Veiga está em sua quarta temporada pelo Verdão, com 42 gols em 159 jogos e a tríplice coroa conquistada na temporada passada: Paulista, Copa do Brasil e Libertadores.

Raphael Veiga fala sobre mudança na carreira

Os ótimos números do meio-campista na atual temporada (17 gols e 6 assistências) se contrastam com o início complicado no clube: foram 22 partidas e apenas dois tentos anotados em 2017. Por conta disso, Veiga acabou sendo emprestado para o Athletico-PR no ano seguinte e retornou ao Verdão em 2019.

“A minha vida mudou em quatro meses. No começo de 2016 eu estava treinando separado, ganhei oportunidade quando meu contrato estava acabando, com o Kleina, e aí não saí mais do time. Joguei entre 15 a 20 jogos no Coritiba e fui vendido para o Palmeiras. Quando cheguei [no Palmeiras], tudo era muito novo, estava em um vestiário campeão. Vejo que 2017 foi um ano de adaptação pra mim, não só no clube como no futebol”, contou.

“Em 2018 eu precisava jogar e a escolha de ir ao Athletico-PR foi muito boa. O Felipão e o Alexandro [Matos] me ligaram, pediram o meu retorno em 2019. Demonstraram confiança no meu trabalho e isso foi importante, porque sempre tive o interesse de fazer história no Palmeiras. Depois, ganhei uma certa confiança com o Andrey [Lopes]. O Abel chegou, conversou comigo, perguntou em que local do campo preferia jogar e eu continuei com a confiança iniciada pelo Andrey. Acabei me sentindo cada vez melhor”, acrescentou.

Aos 26 anos, Raphael Veiga tem contrato com o Palmeiras até o final de 2024.