Rony admite segundo tempo ruim do Palmeiras contra o Bahia: “Deixamos a desejar”

Rony em jogo do Palmeiras contra o Bahia, durante partida válida pela vigésima sexta rodada do Brasileirão 2021, na arena Fonte Nova.
Cesar Greco

Durante o segundo tempo, Rony precisou atuar como lateral-direito e ganhou elogios de Abel Ferreira

O Palmeiras apenas empatou em 0 a 0 com o Bahia na noite de ontem, em jogo válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, e chegou a cinco jogos seguidos sem vencer. Depois da partida, o atacante Rony fez uma análise do desempenho do time e admitiu a superioridade do Bahia no segundo tempo – em chutes no gol, na parte final, o Bahia finalizou 13 vezes, enquanto o Verdão só arrematou contra a meta de Danilo Fernandes uma vez.

“Difícil, foi um jogo muito difícil. Sabíamos das dificuldades que iríamos encontrar. Eles são qualificados. A gente tentou propor o nosso ritmo de jogo e fizemos um grande primeiro tempo. Tivemos chances de abrir o placar. No segundo tempo deixamos a desejar, não conseguimos jogar com a bola”, reconheceu.

Mesmo reconhecendo que o Palmeiras não apresentou um bom futebol, o atacante fez questão de enaltecer o esforço da equipe após ficar com um a menos (Wesley foi expulso aos 37 minutos) e afirmou que só há um caminho para as vitórias voltarem a acontecer: trabalhar.

“Infelizmente tivemos um expulso e o Menino se machucou sozinho. Ali mostra o espírito do grupo, todos comprometidos, tentando melhorar. Acredito que só com o trabalho que vamos conseguir os objetivos. Temos que melhorar em muitos aspectos, temos ciência. E é só com comprometimento e trabalho que vamos conseguir mudar isso”, finalizou.

Rony precisou atuar de lateral-direito em boa parte do segundo tempo

Rony em jogo do Palmeiras contra o Bahia, durante partida válida pela vigésima sexta rodada do Brasileirão 2021, na arena Fonte Nova.
Cesar Greco

Diferentemente dos jogos passados, que vinha atuando mais centralizado, Rony foi escalado para atuar pelos lados do campo. Entretanto, a partir dos 16 minutos da etapa final, o camisa 7 começou a atuar como lateral-direito.

Isto porque Gabriel Menino torceu o tornozelo direito sozinho e, como as outras duas opções do elenco, Mayke e Marcos Rocha, também estão machucados, Abel optou pela improvisação de Rony – Breno Lopes, outro jogador que já jogou nesta posição, também estava sem condições e não viajou a Salvador.

Todo o comprometimento do jogador em cumprir essa função foi elogiado por Abel Ferreira depois da partida.

“É realçar o espírito de luta com as lesões que estamos tendo. Mayke, Marcos Rocha e agora o Menino fora, o Rony acabou sacrificado para ajudar a equipe e ele merece o mérito pelo esforço. Não é a mesma coisa, mas ele deu o melhor e é isso que eu peço. Ele está de parabéns. Qualquer treinador do mundo gostaria de ter um atleta como o Rony porque ele entrega tudo que tem”, enalteceu o treinador.

Para o próximo jogo, que será frente ao Internacional, caso Menino não se recupere a tempo (o camisa 25 será reavaliado amanhã) o comandante terá que improvisar um jogador nesta função ou escalar o jovem Gustavo Garcia, do Sub-20.

Entre Marcos Rocha e Mayke, o primeiro se encontra em um estágio mais avançado – na última segunda-feira realizou um trabalho à parte com bola.