Paulo Victor fala sobre título e explica característica principal do time na competição: “é o DNA do Palmeiras”

Paulo Victor comemora o título conquistado após a partida entre Palmeiras e Santos, válida pela final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no Allianz Parque, em São Paulo-SP.
Fabio Menotti

Em entrevista coletiva após goleada sobre o Santos, Paulo Victor Gomes comentou ainda semelhança do Sub-20 com o profissional

Técnico responsável por levar o Palmeiras ao primeiro título da Copinha de sua História, Paulo Victor Gomes afirmou em entrevista coletiva após a goleada sobre o Santos por 4 a 0 que a “ficha ainda não caiu”.

Contratado para substituir Wesley Carvalho, PV completou nesta terça-feira três meses à frente do time Sub-20. Campeão da Copinha e do Paulista da categoria, o treinador segue invicto no comando palmeirense: são 17 vitórias e seis empates, em 23 jogos.

“Algo indescritível, sensação única [conquistar a Copinha]. A ficha ainda não caiu. Foram 20 dias intensos, jogos a cada dois dias e ficamos muito envolvidos nos treinos e nos estudos. Sou grato ao clube por todas as oportunidades que me concederam, abriram as portas pra mim no cenário nacional e eu tenho uma identificação muito grande”, comentou.

“Completo hoje exatos 3 meses de clube. Retornei no dia 25 de outubro. Para mim está sendo um momento especial, sem dúvidas. Mas eu sei que no futebol tudo tem memória curta e a gente precisa estar todos os dias entregando o melhor na busca pela formação, associado aos resultados”, acrescentou.

Durante a trajetória na Copinha, o Palmeiras mostrou uma característica muito forte: pressionar os adversários nos primeiros minutos e logo balançar as redes. Para PV, isso é “o DNA do clube”.

“Eu trabalho isso desde minha primeira passagem, em 2015, 2016 e 2017 [na categoria Sub-15]. Uma equipe agressiva, que pressione o adversário no seu campo de defesa, mas que quando tem a bola sabe jogar e ocupar bem os espaços. Além de ser eficiente. Então, só demos sequência na Copinha neste estilo de jogo”, declarou.

Paulo Victor comenta semelhanças do Sub-20 com o profissional

Paulo Victor durante a partida entre Palmeiras e Santos, válida pela final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no Allianz Parque, em São Paulo-SP.
Fabio Menotti

O estilo de jogo apresentado pelo Verdão na competição se assemelha com o time principal treinado por Abel Ferreira. De acordo com PV, não só a forma de ir a campo, mas também ter processos de trabalho parecidos com o profissional é algo buscado pelo departamento de categorias de base.

“Tem muito do profissional aqui na base. Faz parte da nossa ideia de jogo e trabalho para trazer coisas do time principal, associar o Sub-20 e o profissional. Não é que seja algo copiado, mas as identidades são parecidas e isso facilita o processo de transição dos jogadores. O Abel tem feito um grande trabalho e, acima disso, tem deixado um legado no Palmeiras que se estende à categoria de base”, respondeu, já emendando sobre a possível utilização de alguns garotos no time de cima.

“Todos eles [os jogadores] tiveram grande participação na competição, pra mim o destaque foi o coletivo. Agora vamos ver a transição de um ou outro para o profissional. A gente deixa isso a cargo do departamento profissional”, finalizou.