Amanhã é dia de festinha de criança, não de balada

Sub-15Amanhã será um dia histórico para a base do Palmeiras. Disputaremos finais em todas as categorias e duas delas serão no Allianz Parque (confira o roteiro completo aqui).

Mais de 20 mil ingressos gratuitos foram retirados na bilheteria do Allianz Parque. Os meninos vão jogar para uma enorme multidão. Muito jogador profissional treme, imaginem crianças de dez anos.

No jogo válido pela final da Copa do Brasil Sub-17, na última quarta-feira, a torcida do SCCP xingou nosso goleiro o tempo todo. Não entendem que a base é diferente. Fazer pressão, ser um jogador a mais fora das linhas, é válido quando o objetivo é ganhar, ser campeão. Amanhã, não se tratará disso. Ir ao Allianz Parque amanhã só tem um significado: fazer uma grande festa palmeirense, de apoio a uma molecada, que tem que sair do estádio feliz da vida não importa o que aconteça dentro de campo. Ninguém pode ir ao estádio com o objetivo de se sentir campeão, de projetar a eventual vitória dos meninos em si próprio, como muita gente faz com o futebol profissional.

Estamos falando de base. Meninos que ainda estão aprendendo a competir. Sequer dominam os fundamentos do esporte. Precisam de apoio, do início ao fim. A cada passe certo, a cada drible, um aplauso. Mas as palmas serão mais importantes ainda nos erros.

O tratamento aos adversários é igualmente importante. Não é porque estarão do outro lado vestindo camisas do Santos e do SPFC que esses meninos merecem o mesmo tratamento bélico que dedicamos aos profissionais. Ao contrário, eles também merecem aplausos – até se receberem o troféu de campeões. (obs – não se sentir à vontade aplaudindo alguém vestindo essas camisas é perfeitamente compreensível. Neste caso, o silêncio é o mais adequado)

Nem o juiz deve ser xingado. Amanhã é uma festinha de criança. Não podemos nos comportar como se estivéssemos numa balada.

Levar o jogo para o Allianz Parque foi uma atitude bacana da diretoria, que proporciona a muita gente a chance de conhecer o estádio e de fazer uma bela festa, mas o sucesso dessa iniciativa depende muito da educação de nossa torcida. Vamos mostrar a todos o que sempre falamos no dia-a-dia: somos muito melhores que a torcida do SCCP, sabemos nos comportar.

Desde já, parabéns ao departamento de base do Palmeiras pelo brilhante trabalho e a todos meninos!


Verdazzo é patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Aqui, o link para se tornar um padrinho deste site: https://www.padrim.com.br/verdazzo

A base do Palmeiras segue muito bem, obrigado

Sub-20
Fabio Menotti/Ag.Palmeiras

Os campeonatos paulistas das categorias de base começam a chegar no funil, e o Palmeiras segue vivo e forte em todas as categorias, com boas chances de melhorar ainda mais os resultados do ano passado, quando conquistou três dos cinco troféus em jogo.

Além da proximidade de chegar a mais troféus, o trabalho com a meninada pode render muitos frutos ao Palmeiras, seja financeiramente, seja lapidando novos valores a serem integrados ao time principal.

Sub-11

Dono de uma campanha espetacular, a garotada do sub-11 terminou a primeira fase com 15 vitórias e 1 empate, 91 gols marcados e apenas 4 sofridos e um saldo estonteante de 87 gols. Nas oitavas-de-finais, o time passou pelo Audax com duas vitórias esmagadoras, marcando 11 gols e sofrendo apenas um.

Na partida de ida das quartas-de-finais, o Verdão já venceu a Ponte por 5 a 0 em Campinas, e tudo indica que o time vai avançar às semifinais. Com um ataque demolidor desses, a tabela de artilharia tem 3 jogadores do Palmeiras nas 4 primeiras posições: Luighi Hanri, com 20 gols, Endrick Felipe, com 18 gols e Marcus Vinicius, com 14. A tendência é que, além do Palmeiras, avancem às semifinais o Santos, o SCCP e o Noroeste.

Sub-13

Com 41 pontos ganhos em 48 possíveis na primeira fase, o sub-13 segue avançando na competição – na partida de ida das quartas-de-finais, venceu o Comercial em Ribeirão por 3 a 1.

O destaque do time é Marcos Eduardo, que já marcou 11 gols na competição. O jogo de volta acontece no próximo domingo em Guarulhos e devem avançar junto com o Palmeiras o SCCP, a Ponte Preta e o SPFC.

Sub-15

Com treze vitórias e apenas um empate, 66 gols marcados e apenas 3 sofridos, o Palmeiras demoliu seu grupo na primeira fase do campeonato e segue avançando. Na primeira partida das quartas-de-finais, meteu 5 a 0 no Guarani, em Campinas.

No sábado, teremos a definição dos semifinalistas, e devem avançar junto com o Verdão o Santos, o SPFC e o Red Bull. O menino Gabriel Silva marcou 27 gols em 27 jogos e é o grande destaque do campeonato.

Sub-17

Esta categoria foi eliminada na segunda fase no ano passado, mas ao que parece as coisas serão diferentes este ano. Mesmo com três atletas cedidos à seleção brasileira que disputou até hoje o mundial na Índia (Vitão, Luan Cândido e Alanzinho), o time segue avançando sem dificuldades no Paulista – na primeira partida das quartas-de-finais, venceu a Inter em Limeira por 1 a 0, e decide a vaga no sábado, em Guarulhos.

O Palmeiras tem três atletas entre os principais goleadores do campeonato: Diego Santos, com 19 gols, e o paraguaio Aníbal e Fabrício Nascimento, com 17. Os outros times que devem avançar na competição são América, SPFC e SCCP.

Na Copa do Brasil, a categoria também faz boa campanha, e joga hoje às 18h30, em Itu, contra o Vasco. O jogo tem entrada gratuita e será transmitido pelo SporTV.

Sub-17
Fabio Menotti/Ag.Palmeiras

Sub-20

Léo Passos
Fabio Menotti/Ag.Palmeiras

A principal categoria do futebol de base definiu este fim-de-semana os confrontos das quartas-de-finais e teremos Derby, com o primeiro jogo sendo realizado em Itaquera no próximo final-de-semana. Os outros confrontos serão Novorizontino x Desportivo Brasil; SPFC x Água Santa e Capivariano x Ponte Preta.

O Palmeiras fez a melhor campanha da primeira fase, com 54 pontos em 66 possíveis, e saldo de 47 gols. Léo Passos, que treinou várias vezes como time principal e até completou o coletivo da seleção principal da CBF, é um dos destaques do time com 13 gols marcados. Fernando, que tem 12, é um dos mais prestigiados e esta semana teve seu contrato renovado até 2022.

Prontos para o time de cima?

Um dos mantras das categorias de base é que, mais importante que vencer campeonatos, o principal objetivo é forjar talentos. Mas é inegável que levantar troféus é uma experiência fundamental para formar vencedores. Depois de anos adormecidas, nossas categorias de base entraram num ciclo vencedor que tende a se prolongar e a render ótimos frutos.

Alanzinho
Getty Images

Há quem se encante com o futebol de Alanzinho na seleção sub-17 e queira vê-lo efetivado no time de cima, mesmo com uma notícia de que o Real Madrid teria oferecido absurdos e irreais R$180 milhões pelo garoto. Uma oferta desse tamanho por um sub-17, na nossa realidade, não teria nem o que pensar. São 5 Borjas (ou duas Crefisas) por um menino muito talentoso, que pode até vir a ser um craque de primeiro nível, mas também pode virar um Allione ou um Lucas Lima. Resta saber se a notícia tem base ou se é só fumaça.

O Palmeiras precisa aprimorar a última fase de formação de jogadores, que é quando se prepara um menino não mais para chutar, se posicionar, cabecear, usar o corpo numa disputa – fundamentos que se desenvolvem predominantemente nas categorias menores, mas sim a parte mental, a suportar a vida de atleta profissional, ainda mais num clube de massa. É quando os meninos viram homens, com o perdão pelo chavão.

Temos visto nas últimas temporadas o Palmeiras com times muito competitivos entre o sub-11 e sub-15, mas essa força começa a diminuir no sub-17 e principalmente no sub-20, onde o time segue à caça de sua primeira Copa São Paulo e não revela jogadores na quantidade e qualidade desejada – talvez falte exatamente algo nesta última etapa.

Depois de alcançar um nível de excelência na estrutura e nas finanças, falta ainda ao Palmeiras definir-se como escola de futebol, com identidade tática, e isso é feito através dos valores forjados na base que sobem ao time principal e ganham seus espaços com sangue 100% verde. Com pelo menos 10 ou 12 jogadores de alto nível feitos em casa e aplicando os recursos financeiros não para montar todo o elenco, mas apenas 60%, o Palmeiras tem tudo para se manter no protagonismo do futebol brasileiro por anos a fio e pode até sonhar com voos mais altos no cenário internacional.

Tudo começa levantando taças na base. Boa sorte, molecada!


Verdazzo é patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Aqui, o link para se tornar um padrinho deste site: https://www.padrim.com.br/verdazzo

Base do Verdão avança, mas segue falhando na tarefa de revelar talentos

Uma das críticas mais recorrentes ao departamento de futebol do Palmeiras é o baixo aproveitamento dos atletas da base no time principal. Em levantamento feito pelo blog “Futebol em Números”, o Palmeiras é o penúltimo na lista dos clubes que mais aproveitaram atletas das categorias menores no Brasileirão, à frente apenas da Chapecoense.

Academia de Futebol II, em Guarulhos
Academia de Futebol II, em Guarulhos

Nas últimas temporadas, vários jogadores chegaram aos 20 anos e foram incorporados ao time principal do Palmeiras, mas com exceção de Gabriel Jesus, um extra-classe, nenhum emplacou com destaque. Podemos mencionar alguns jogadores que vêm jogando o Brasileirão por outros clubes, mas sem mostrar futebol suficiente para ser incorporado ao nosso plantel em nível compatível com nossas atuais ambições – ao menos na avaliação de nossa comissão técnica.

João Pedro e Nathan na Chapecoense e Vitor Luís no Botafogo são os casos mais notórios. Matheus Sales, depois de um papel fundamental na conquista da Copa do Brasil de 2015, hoje está na reserva do Bahia. Arthur vem tendo algum destaque no Londrina, na Série B. Apesar de todos serem bem melhores que os históricos e folclóricos Chocolate, Daniel Lovinho, Ramazzotti e o incrível Romarinho, nenhum deles, por enquanto, tende a ser chamado de volta ao Palmeiras.

A saída é ir ao mercado e contratar, algo que Alexandre Mattos faz como ninguém no mercado brasileiro – no bom e no mau sentido, recebendo muitos elogios pelos excelentes negócios que faz, em meio a contratações questionáveis. Tomemos com exemplo João Pedro: de fato, ele não enche os olhos de ninguém, mas hoje podemos dizer que não está abaixo do futebol mostrado pelo Mayke.

O elenco profissional do Palmeiras tem, hoje, apenas quatro pratas-da-casa, sendo dois deles o terceiro e o quarto goleiros: Vinicius Silvestre, Daniel Fuzato, Thiago Martins e Vitinho. Este último já está há mais de um ano treinando com os profissionais, ganhou massa muscular, mas não mostra desenvolvimento. Suas últimas atuações pela Copa do Brasil sub-20, em que o Palmeiras foi eliminado pelo Avaí nas quartas-de-finais, foram apenas medianas. Além deles, o atacante Iacovelli, que veio do Flamengo com pouco menos de 18 anos, chegou a ser aproveitado em um jogo do Brasileirão.

Transição falha

As divisões de base do Palmeiras vêm conseguindo resultados expressivos em várias competições nos últimos anos, sobretudo nas categorias menores. Mas a impressão que se tem é que todo esse potencial, à medida que os garotos se aproximam da transição para o profissional, acaba se perdendo. O trabalho final, a lapidação, de alguma forma parece não estar sendo tão bem executado como em outros clubes – hoje a referência é o Grêmio, que sob o comando do professor Renight, tem oito de seus onze titulares vindos da base, jogando em alto nível.

Há cerca de um mês o Palmeiras trocou mais uma vez o técnico do time sub-20. Depois de um ano e meio sem resultados relevantes, seja em conquistas ou em revelações, João Burse deu lugar a Wesley Carvalho, que estava no Vitória. Esperamos que o novo treinador, que já havia trabalhado com o nosso atual coordenador João Paulo Sampaio no clube baiano por muitos anos, tenha sucesso na tarefa de fazer a transição final dos juniores para os profissionais, para que o Palmeiras possa ser referência no futebol como um esquadrão poderoso não apenas pelo seu poderio financeiro, mas também como formador de novos atletas.