Raphael Veiga e Gustavo Scarpa acumulam números expressivos na temporada

Raphael Veiga do Palmeiras em disputa com Marlon do Ceará, durante partida válida pela décima nona rodada, do Brasileirão 2021, no Castelão.
Cesar Greco

Diferentes e complementares, Veiga é o artilheiro do time na temporada; Scarpa, por sua vez, lidera o ranking de assistências

O técnico Abel Ferreira já afirmou em diversas entrevistas que gosta de dois jogadores do mesmo nível em cada posição. Um exemplo sempre citado pelo comandante é a lateral-esquerda, que tem Jorge e Piquerez brigando por um lugar na equipe principal.

Outro setor do campo que pode ter uma disputa acirrada, principalmente pensando em uma vaga no jogo contra o Flamengo, que valerá o título da Libertadores, é o meio de campo, entre Raphael Veiga e Gustavo Scarpa.

Dois dos jogadores que mais vezes entraram em campo pelo Verdão nesta temporada (Scarpa 47 e Veiga 44), os meias chegaram a atuar por um período juntos. Desde o retorno de Dudu e sua afirmação na equipe titular, contudo, Abel vem optando por escalar Veiga e manter Scarpa como opção no banco.

Com 13 gols na temporada, o camisa 23 é o maior goleador da equipe. Depois de conviver com altos e baixos no Verdão, Raphael Veiga encontrou a consistência sob o comando de Abel e consolidou-se como um dos principais nomes da equipe, sendo eleito o melhor jogador da Copa do Brasil de 2020, conquistada pelo Palmeiras.

Gustavo Scarpa, por sua vez, lidera outro ranking: o das assistências. Ele é o principal assistente do Brasil na atual temporada, com 17 passes para gol (são seis pelo Paulistão, dois na Libertadores e nove no Brasileirão). Na vitória do Palmeiras sobre o Ceará na noite de ontem, por 2 a 1, foi do camisa 14 o passe para Deyverson marcar o segundo gol.

“Valorizar a atuação coletiva e a minha. Feliz pela assistência e pela vitória”, declarou Scarpa ao final do jogo.

Abel fala da diferença entre Raphael Veiga e Gustavo Scarpa

Além da diferença nas estatísticas de gols e assistências, Abel enxerga outro fator que faz com que Scarpa e Veiga se diferenciem em campo: o jogo sem a bola.

Gustavo Scarpa do Palmeiras em disputa com jogadores do Ceará, durante partida válida pela décima nona rodada do Brasileirão 2021, no Castelão.
Cesar Greco

Para o comandante, Raphael Veiga é um “atleta mais robusto, equilibrado, que ataca e defende bem”; enquanto Gustavo Scarpa é “um dos melhores com a bola no pé e os números provam isso, mas precisa aprimorar o [jogo] sem bola, ser agressivo, desarmar. Se juntar as duas coisas, ele será um atleta completo. Queremos ter dois jogadores completos por posição. Eles são dois ótimos jogadores”.

De acordo com o site de estatísticas Footstats, Veiga desarmou 22 bolas em 24 jogos; já Scarpa, no mesmo número de partidas, 17. No quesito interceptações, a diferença é maior, 12 contra 4, e em faltas cometidas, 32 contra 15.

Entretanto, apesar de terem as mesmas quantidades de partidas disputadas no Brasileirão, Veiga esteve em campo por 1.946 minutos e Scarpa por 1.551 minutos.