No estádio Centenário, Palmeiras faz reconhecimento antes do último treino

Joaquín Piquerez, Benjamín Kuscevic e Vinicius Silvestre do Palmeiras, durante reconhecimento de campo, no Estádio Centenário, em Montevidéu.
Cesar Greco

Por cerca de 25 minutos, comissão técnica e jogadores do Palmeiras caminharam por todo o gramado do Centenário

Horas antes de realizar seu último treino no estádio Gran Parque Central, o Palmeiras visitou o Centenário, palco da grande final, e fez o reconhecimento do estádio e do gramado. Os atletas não realizaram nenhum tipo de atividade, apenas caminharam e observaram o local.

Jogadores e comissão técnica permaneceram por cerca de 25 minutos no estádio e aproveitaram para tirar fotos e gravar vídeos.

“É um privilégio estar aqui neste templo do futebol, um estádio que tem muita história. Temos que desfrutar. Temos que impor o nosso jogo”, disse Abel Ferreira minutos antes, em entrevista coletiva.

Já o volante Felipe Melo, que disputou uma partida no Centenário, afirmou que “jogar em um estádio como esse é muito importante. Joguei duas vezes aqui pela Seleção e venci as duas. Quero defender esse 100% [de retrospecto]. Sei que são outros tempos, outro jogo. Será uma partida que mexe muito com o psicológico. Mais do que a história ou o palco, o psicológico de você não errar é o mais importante. E a gente trabalha a parte técnica, tática e o mental”.

A final diante do Flamengo será o 24ª jogo do Verdão no Centenário, sendo que a primeira vez ocorreu há mais de 74 anos, em 23 de janeiro de 1947, em um jogo contra o Boca Juniors (vencido por 3 a 2 pelo Palmeiras), pelo torneio Taça do Atlântico. Até o momento, o retrospecto da equipe palmeirense no estádio é de 10 vitórias, 5 empates e 8 derrotas, com 31 gols marcados e 21 sofridos.

Confira algumas imagens do Palmeiras no Centenário